Fechar
Publicidade

Sábado, 16 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Adutora não resolve falta de água

Moradores do Jardim Caçula ainda sofrem com desabastecimento


Cadu Proieti
Do Diário do Grande ABC

15/05/2012 | 07:00


As obras da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) para instalação de redes no sistema de abastecimento de água na região do Jardim Caçula, em Ribeirão Pires, não resolveram o problema de desabastecimento do bairro. A estatal investiu R$ 4,5 milhões na construção de outra adutora (tubulação de grande porte), com extensão de sete quilômetros e 300 milímetros de diâmetro, com a intenção de quadruplicar a oferta de água no local.

"Continua a mesma coisa. Neste fim de semana fiquei o sábado todo sem água. A segunda-feira é o pior dia, quando geralmente temos problemas logo pela manhã. Pagamos todas as contas direito, e o valor é alto, mas solução para o problema não tem", reclamou o comerciante Aldecir Gomes, 50 anos.

Em fevereiro, o Diário havia noticiado que o problema no bairro existe há cerca de 20 anos. "Quando vim morar aqui, tínhamos que tomar banho e lavar roupa em um bica próxima porque não chegava água", relatou Ilda Brito de Lima, 50 anos, dona de uma loja de utilidades domésticas.

A Sabesp informou que gráficos gerados por equipamento que monitora a pressão nas redes de água, instalado na parte mais alta do bairro, mostram que não houve desabastecimento entre os dias 27 de abril e 11 de maio.

Segundo a estatal, no último dia 13 ocorreu problema eletromecânico na bomba que abastece a região, mas teria sido resolvido no prazo de duas horas, sendo o abastecimento retomado imediatamente. A companhia prometeu realizar nova vistoria hoje para assegurar o fornecimento de água a todos os imóveis.

ENERGIA ELÉTRICA
Segundo os moradores, oscilação na rede elétrica também é comum no bairro e isso influencia na falta de água. "É constante aqui. Tem dias que ficamos quase cinco horas sem luz. Com isso, a bomba que faz a distribuição de água não funciona e as casas da parte alta do bairro não recebem o serviço. Ainda continuamos tendo problema de abastecimento mesmo depois que colocaram a adutora", reclamou o comerciante Anézio Ferreira, 59.

A AES Eletropaulo, concessionária responsável pelo serviço, informou que enviará equipe ao local para monitorar a rede de fornecimento de energia da região.


Em São Bernardo, torneiras seguem secas no Pq. das Garças

Após passar o Dia das Mães sem água na torneira, a segunda-feira dos moradores do Parque das Garças, em São Bernardo, também foi seca. Ontem, o serviço ainda não havia sido normalizado.

"Continua a mesma coisa. Ficamos sem água o dia todo e ninguém veio arrumar", relatou Antonia Josefa de Jesus, 51 anos.

Não é a primeira vez que o desabastecimento atinge as casas das ruas Amazonas, Paraíba, Santa Catarina e parte da Piauí. Como as vias ficam na parte alta do bairro, os moradores acreditam que a bomba não tem pressão suficiente para abastecer as residências.

A Sabesp, que faz a distribuição de água no município, informou que houve problema eletromecânico no sistema de bombeamento que atende as ruas do bairro. A estatal comunicou que continua trabalhando no reparo da rede, que apresenta baixa pressão e está sendo monitorada. A previsão era que o abastecimento fosse normalizado no decorrer da madrugada.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;