Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Irã prevê 'futuro perigoso' para Emirados Árabes, após acordo com Israel



15/08/2020 | 14:49


A poderosa Guarda Revolucionária do Irã afirmou neste sábado que pode haver consequências perigosas para os Emirados Árabes, após este país anunciar um acordo histórico com Israel para estabelecer relações diplomáticas. Os Emirados Árabes foram o primeiro país do Golfo a fazer isso e apenas a terceira nação árabe a normalizar relações com Israel, inimigo regional do Irã.

A Guarda Revolucionária qualificou o acordo como "vergonhoso" e uma "ação maligna" apoiada pelos Estados Unidos, segundo comunicado do grupo. Ela advertiu que, com o pacto, aumentará a influência americana no Oriente Médio, o que levará a um "futuro perigoso" para o governo dos Emirados Árabes.

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, também condenou a notícia. Em discurso televisionado neste sábado, ele advertiu os Emirados Árabes de que cometeram um "grande erro".

O presidente americano, Donald Trump, celebrou o acordo, como parte de uma iniciativa para paralisar a anexação de terras ocupadas dos palestinos. Os Emirados Árabes qualificaram a decisão como meio de encorajar os esforços de paz e impedir a anexação de partes da Cisjordânia por Israel. Já o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, disse que a pausa na anexação era apenas "temporária". Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Irã prevê 'futuro perigoso' para Emirados Árabes, após acordo com Israel


15/08/2020 | 14:49


A poderosa Guarda Revolucionária do Irã afirmou neste sábado que pode haver consequências perigosas para os Emirados Árabes, após este país anunciar um acordo histórico com Israel para estabelecer relações diplomáticas. Os Emirados Árabes foram o primeiro país do Golfo a fazer isso e apenas a terceira nação árabe a normalizar relações com Israel, inimigo regional do Irã.

A Guarda Revolucionária qualificou o acordo como "vergonhoso" e uma "ação maligna" apoiada pelos Estados Unidos, segundo comunicado do grupo. Ela advertiu que, com o pacto, aumentará a influência americana no Oriente Médio, o que levará a um "futuro perigoso" para o governo dos Emirados Árabes.

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, também condenou a notícia. Em discurso televisionado neste sábado, ele advertiu os Emirados Árabes de que cometeram um "grande erro".

O presidente americano, Donald Trump, celebrou o acordo, como parte de uma iniciativa para paralisar a anexação de terras ocupadas dos palestinos. Os Emirados Árabes qualificaram a decisão como meio de encorajar os esforços de paz e impedir a anexação de partes da Cisjordânia por Israel. Já o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, disse que a pausa na anexação era apenas "temporária". Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;