Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 18 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

ANTT dá início a estudos para elaborar metodologia de reequilíbrio de rodovias



06/08/2020 | 15:11


A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), informou nesta quinta-feira, 6, que deu início à primeira fase do processo de consulta para elaborar a metodologia de cálculo do desequilíbrio gerado pela pandemia do novo coronavírus nas concessões rodoviárias. O órgão é responsável pelo reequilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão de trechos federais.

Segundo a ANTT, neste ciclo de participação e controle social, serão convidadas as empresas concessionárias, a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), a Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga (ANUT), a Confederação Nacional de Transportes (CNT) e a Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib).

A primeira rodada de reuniões participativas vai acontecer entre os dias 17 e 28 de agosto, digitalmente. De acordo com a agência, a seleção destes convidados foi justificada pelo fato de serem os agentes regulados afetados, titulares do direito à manutenção do equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão, além de suas entidades representativas.

Depois dessa fase, a ANTT vai apresentar uma primeira proposta de metodologia, que será submetida à consulta pública e à segunda rodada de reuniões participativas.

A Advocacia-Geral da União (AGU) já reconheceu que a pandemia do novo coronavírus dá o direito às concessionárias de rodovias e de aeroportos de reequilibrar seus contratos fechados com o governo federal caso tenham sido impactadas pela crise. O mesmo se aplica aos arrendatários de instalações portuárias.

Há várias formas de o poder público compensar o concessionário em reequilíbrios de contrato. Entre as opções estão o reajuste tarifário, pagamento direto pelos danos, o alívio nas exigências de investimentos e o aumento do prazo da concessão, estendendo o direito de a empresa operar o serviço público por mais tempo que o previsto no contrato original.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

ANTT dá início a estudos para elaborar metodologia de reequilíbrio de rodovias


06/08/2020 | 15:11


A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), informou nesta quinta-feira, 6, que deu início à primeira fase do processo de consulta para elaborar a metodologia de cálculo do desequilíbrio gerado pela pandemia do novo coronavírus nas concessões rodoviárias. O órgão é responsável pelo reequilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão de trechos federais.

Segundo a ANTT, neste ciclo de participação e controle social, serão convidadas as empresas concessionárias, a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), a Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga (ANUT), a Confederação Nacional de Transportes (CNT) e a Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib).

A primeira rodada de reuniões participativas vai acontecer entre os dias 17 e 28 de agosto, digitalmente. De acordo com a agência, a seleção destes convidados foi justificada pelo fato de serem os agentes regulados afetados, titulares do direito à manutenção do equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão, além de suas entidades representativas.

Depois dessa fase, a ANTT vai apresentar uma primeira proposta de metodologia, que será submetida à consulta pública e à segunda rodada de reuniões participativas.

A Advocacia-Geral da União (AGU) já reconheceu que a pandemia do novo coronavírus dá o direito às concessionárias de rodovias e de aeroportos de reequilibrar seus contratos fechados com o governo federal caso tenham sido impactadas pela crise. O mesmo se aplica aos arrendatários de instalações portuárias.

Há várias formas de o poder público compensar o concessionário em reequilíbrios de contrato. Entre as opções estão o reajuste tarifário, pagamento direto pelos danos, o alívio nas exigências de investimentos e o aumento do prazo da concessão, estendendo o direito de a empresa operar o serviço público por mais tempo que o previsto no contrato original.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;