Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Estado extingue PPP da Linha 18-Bronze, que ligará região ao Metrô

Fotos Públicas Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Governo oficializa à Assembleia que encerrou acordo com Consórcio Vem ABC, que construiria monotrilho; projeto agora envolve BRT


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

29/07/2020 | 14:27


O governo do Estado declarou extinto o contrato firmado com o Consórcio Vem ABC para construção da Linha 18-Bronze, via monotrilho, que ligaria o Grande ABC com o sistema metroviário da Capital. O acordo, assinado em 2014, ainda na gestão de Geraldo Alckmin (PSDB), foi modificado pelo governador João Doria (PSDB) no ano passado, sob alegação de falta de condição financeira para tocar o projeto.

A informação consta na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) aprovada nesta terça-feira (28) pela Assembleia Legislativa. O projeto é uma prévia do orçamento do ano que vem e traz avaliações econômicas do Estado, entre elas riscos fiscais de propostas do Palácio dos Bandeirantes. Nesse quesito, a Linha 18-Bronze foi classificada como risco ao governo paulista.

“O Programa Estadual de Concessões do Estado de São Paulo é composto por 38 contratos vigentes, dos quais: 28 são contratos de concessão comum, seis concessões administrativas e quatro concessões patrocinadas. Ressalte-se que um contrato de concessão patrocinada, assinado em 22 de agosto de 2014, foi declarado extinto: Linha 18-Bronze Monotrilho Metrô”, escreveu a gestão estadual, dentro da LDO.

Doria anunciou mudança na Linha 18-Bronze do Metrô em julho do ano passado, depois de meses de avaliação do contrato. Embora a PPP (Parceria Público-Privada) tenha sido assinada em agosto de 2014, nenhum trecho de obra saiu do papel. O avanço do projeto esbarrou nos custos das desapropriações, avaliados em aproximadamente R$ 200 milhões. Alckmin buscou financiamentos externos, mas esbarrou em autorizações da União – o governo federal classificou o Estado como risco alto de problemas fiscais.

A PPP previa investimento de R$ 4,26 bilhões, parte custeada pelo poder público e outra pela iniciativa privada. Na avaliação de Doria – balizado por estudos feitos pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos, chefiada por Alexandre Baldy – indicou que tirar a Linha 18 do papel demandaria R$ 6 bilhões. Por isso, optou-se por outro modal: o BRT, um sistema de ônibus em corredores exclusivos.

O Consórcio Vem ABC é formado pelas empresas Primav, Cowan, Encalso e Benito Roggio. Quando houve o anúncio da mudança do escopo do projeto, a direção do consórcio disse que iria requerer na Justiça ressarcimento. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Estado extingue PPP da Linha 18-Bronze, que ligará região ao Metrô

Governo oficializa à Assembleia que encerrou acordo com Consórcio Vem ABC, que construiria monotrilho; projeto agora envolve BRT

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

29/07/2020 | 14:27


O governo do Estado declarou extinto o contrato firmado com o Consórcio Vem ABC para construção da Linha 18-Bronze, via monotrilho, que ligaria o Grande ABC com o sistema metroviário da Capital. O acordo, assinado em 2014, ainda na gestão de Geraldo Alckmin (PSDB), foi modificado pelo governador João Doria (PSDB) no ano passado, sob alegação de falta de condição financeira para tocar o projeto.

A informação consta na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) aprovada nesta terça-feira (28) pela Assembleia Legislativa. O projeto é uma prévia do orçamento do ano que vem e traz avaliações econômicas do Estado, entre elas riscos fiscais de propostas do Palácio dos Bandeirantes. Nesse quesito, a Linha 18-Bronze foi classificada como risco ao governo paulista.

“O Programa Estadual de Concessões do Estado de São Paulo é composto por 38 contratos vigentes, dos quais: 28 são contratos de concessão comum, seis concessões administrativas e quatro concessões patrocinadas. Ressalte-se que um contrato de concessão patrocinada, assinado em 22 de agosto de 2014, foi declarado extinto: Linha 18-Bronze Monotrilho Metrô”, escreveu a gestão estadual, dentro da LDO.

Doria anunciou mudança na Linha 18-Bronze do Metrô em julho do ano passado, depois de meses de avaliação do contrato. Embora a PPP (Parceria Público-Privada) tenha sido assinada em agosto de 2014, nenhum trecho de obra saiu do papel. O avanço do projeto esbarrou nos custos das desapropriações, avaliados em aproximadamente R$ 200 milhões. Alckmin buscou financiamentos externos, mas esbarrou em autorizações da União – o governo federal classificou o Estado como risco alto de problemas fiscais.

A PPP previa investimento de R$ 4,26 bilhões, parte custeada pelo poder público e outra pela iniciativa privada. Na avaliação de Doria – balizado por estudos feitos pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos, chefiada por Alexandre Baldy – indicou que tirar a Linha 18 do papel demandaria R$ 6 bilhões. Por isso, optou-se por outro modal: o BRT, um sistema de ônibus em corredores exclusivos.

O Consórcio Vem ABC é formado pelas empresas Primav, Cowan, Encalso e Benito Roggio. Quando houve o anúncio da mudança do escopo do projeto, a direção do consórcio disse que iria requerer na Justiça ressarcimento. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;