Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 5 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Aos 17 anos, Dioran projeta brilhar com camisa do Ramalhão

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Jovem, do Sacadura Cabral, treina com os profissionais em Vargem; primeiro objetivo é dar casa à família


Derek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

12/07/2020 | 00:05


O Santo André chegou à liderança do Paulistão 2020 com um futebol coletivo bem trabalhado pelo técnico Paulo Roberto, mas também graças aos gols do artilheiro Ronaldo, que fez cinco dos 12 tentos do time. Nascido na cidade, o atacante que frequentava as arquibancadas do Estádio Bruno Daniel para torcer pelo Ramalhão sempre pareceu deixar em campo um pouco a mais, justamente por esta identidade. Entretanto, proposta do Sport levou o goleador que, por outro lado, deixou um discípulo: o jovem Dioran, 17 anos, também andreense, da Vila Sacadura Cabral, e que, apesar da idade, foi chamado para compor o grupo ramalhino que treina em Vargem, no Interior, em preparação ao reinício da competição, no dia 22, e será inscrito.

“É gratificante e muito importante, porém, responsabilidade muito grande estar representando a cidade onde nasci. Estou dando meu máximo nos trabalhos para chegar na (re) estreia bem condicionado. Se o Paulo (Roberto, treinador) optar por mim, estarei pronto”, disse o caçula ramalhino, que viajou com a delegação justamente a pedido do técnico. “Recebi esse convite para me apresentar junto com o elenco para dar sequência aos trabalhos e minha reação foi de muita felicidade e gratidão, por todas as pessoas que me ajudam, pela comissão técnica que confia no meu trabalho. Há seis meses eu estava alojado para disputar a Copinha e, hoje, estou com o grupo me preparando para o retorno do Paulistão. É assim que funciona o futebol, num curto prazo de tempo as coisas acontecem em nossas vidas, muitos dias de lutas e batalhas, muitos pensamentos, mas Deus me manteve firme para não desistir e hoje estou aqui trabalhando forte e querendo mais e mais. Estou muito feliz, mas ainda não satisfeito”, emendou o jovem, sem esquecer da família que o apoia e ajuda “em tudo que for necessário”. “Meu principal objetivo é uma casa para minha família, pois eles merecem por tudo que fizeram por mim.”

Aos 4 anos, Dioran iniciou sua trajetória com a bola. Na adolescência, foi chamado para teste no CAD (Clube Atlético Diadema) e acabou aprovado. “Ali eu evoluí muito”, recorda. Porém, o Imperador se licenciou – antes de se mudar para Ribeirão Pires, casa atual. Em 2018, porém, as portas do Santo André se abriram ao atacante, que disputou 14 jogos e marcou cinco gols no Paulista sub-15. No ano passado, teve desempenho ainda melhor e foi artilheiro do time no Estadual sub-17, com seis tentos em 12 partidas. No início do ano, defendeu o clube na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Depois de iniciar os dois primeiros jogos na reserva, foi titular no terceiro, mas a equipe acabou eliminada.

Em passado recente, o Ramalhão revelou jogadores como Ricardo Goulart, Júnior Urso, Júnior Dutra e Vitor Hugo, situação que enche de esperança aqueles que também são prata da casa. “O Santo André é um grande clube. Revelou jogadores de alta qualidade que são inspiração para quem está na base. Estou na luta para, se Deus quiser, ser mais um que o clube revelou”, admitiu o atacante, que tem como maior ídolo no futebol Roberto Firmino, da Seleção Brasileira e do Liverpool, “por causa da sua facilidade de passe, chutes e dribles perto da área”.

O potencial de Dioran ganha força nas falas do técnico Paulo Roberto e do executivo de futebol Edgard Montemor Filho. “Menino que estamos procurando trabalhar. Vimos qualidade nele. Está no grupo, trabalhando. Jovem, promissor, mas que precisa ser lapidado, desenvolver seu potencial. Mas precisamos ter calma para não ultrapassar etapas”, disse o treinador. “Acompanhei os três jogos da Copinha e é atleta com bastante potencial. Tem algumas coisas a aprimorar, pela idade, lógico, mas tem futuro”, emendou o dirigente.

O contrato do atacante com o Santo André vai até 2024.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aos 17 anos, Dioran projeta brilhar com camisa do Ramalhão

Jovem, do Sacadura Cabral, treina com os profissionais em Vargem; primeiro objetivo é dar casa à família

Derek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

12/07/2020 | 00:05


O Santo André chegou à liderança do Paulistão 2020 com um futebol coletivo bem trabalhado pelo técnico Paulo Roberto, mas também graças aos gols do artilheiro Ronaldo, que fez cinco dos 12 tentos do time. Nascido na cidade, o atacante que frequentava as arquibancadas do Estádio Bruno Daniel para torcer pelo Ramalhão sempre pareceu deixar em campo um pouco a mais, justamente por esta identidade. Entretanto, proposta do Sport levou o goleador que, por outro lado, deixou um discípulo: o jovem Dioran, 17 anos, também andreense, da Vila Sacadura Cabral, e que, apesar da idade, foi chamado para compor o grupo ramalhino que treina em Vargem, no Interior, em preparação ao reinício da competição, no dia 22, e será inscrito.

“É gratificante e muito importante, porém, responsabilidade muito grande estar representando a cidade onde nasci. Estou dando meu máximo nos trabalhos para chegar na (re) estreia bem condicionado. Se o Paulo (Roberto, treinador) optar por mim, estarei pronto”, disse o caçula ramalhino, que viajou com a delegação justamente a pedido do técnico. “Recebi esse convite para me apresentar junto com o elenco para dar sequência aos trabalhos e minha reação foi de muita felicidade e gratidão, por todas as pessoas que me ajudam, pela comissão técnica que confia no meu trabalho. Há seis meses eu estava alojado para disputar a Copinha e, hoje, estou com o grupo me preparando para o retorno do Paulistão. É assim que funciona o futebol, num curto prazo de tempo as coisas acontecem em nossas vidas, muitos dias de lutas e batalhas, muitos pensamentos, mas Deus me manteve firme para não desistir e hoje estou aqui trabalhando forte e querendo mais e mais. Estou muito feliz, mas ainda não satisfeito”, emendou o jovem, sem esquecer da família que o apoia e ajuda “em tudo que for necessário”. “Meu principal objetivo é uma casa para minha família, pois eles merecem por tudo que fizeram por mim.”

Aos 4 anos, Dioran iniciou sua trajetória com a bola. Na adolescência, foi chamado para teste no CAD (Clube Atlético Diadema) e acabou aprovado. “Ali eu evoluí muito”, recorda. Porém, o Imperador se licenciou – antes de se mudar para Ribeirão Pires, casa atual. Em 2018, porém, as portas do Santo André se abriram ao atacante, que disputou 14 jogos e marcou cinco gols no Paulista sub-15. No ano passado, teve desempenho ainda melhor e foi artilheiro do time no Estadual sub-17, com seis tentos em 12 partidas. No início do ano, defendeu o clube na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Depois de iniciar os dois primeiros jogos na reserva, foi titular no terceiro, mas a equipe acabou eliminada.

Em passado recente, o Ramalhão revelou jogadores como Ricardo Goulart, Júnior Urso, Júnior Dutra e Vitor Hugo, situação que enche de esperança aqueles que também são prata da casa. “O Santo André é um grande clube. Revelou jogadores de alta qualidade que são inspiração para quem está na base. Estou na luta para, se Deus quiser, ser mais um que o clube revelou”, admitiu o atacante, que tem como maior ídolo no futebol Roberto Firmino, da Seleção Brasileira e do Liverpool, “por causa da sua facilidade de passe, chutes e dribles perto da área”.

O potencial de Dioran ganha força nas falas do técnico Paulo Roberto e do executivo de futebol Edgard Montemor Filho. “Menino que estamos procurando trabalhar. Vimos qualidade nele. Está no grupo, trabalhando. Jovem, promissor, mas que precisa ser lapidado, desenvolver seu potencial. Mas precisamos ter calma para não ultrapassar etapas”, disse o treinador. “Acompanhei os três jogos da Copinha e é atleta com bastante potencial. Tem algumas coisas a aprimorar, pela idade, lógico, mas tem futuro”, emendou o dirigente.

O contrato do atacante com o Santo André vai até 2024.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;