Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 5 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Sem estímulo ao consumo, Volks prevê onda de desemprego no setor

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Para presidente da empresa, medidas em vigor são de curto prazo


Yara Ferraz
do Diário do Grande ABC

08/07/2020 | 00:22


O presidente da Volkswagen na América Latina, Pablo Di Si, afirmou ontem, em entrevista coletiva virtual, que a MP (Medida Provisória) 936 é importante para a manutenção dos empregos, mas que é solução a curto prazo. O executivo demonstrou preocupação com a situação dos próximos anos, pois avalia que se não houver medidas de estímulo ao consumo há risco de onda de demissões no setor.

“Em termos de flexibilização laboral, faremos todo o possível para esticar decisões de adequação de estrutura. Para nós é muito bem-vinda (a prorrogação da MP), mas essas flexibilizações são no curto prazo”, afirmou Di Si, sobre a situação da economia, acrescentando que o objetivo é negociar com os sindicatos período maior de uso da MP.

A previsão da empresa é que o mercado deste ano tenha queda de 39% em relação a 2019. “Nosso desejo é que seja menos, 20% ou 10%. Por isso digo que é uma solução de curto prazo. Olhando para os próximos anos, países como a Alemanha e os Estados Unidos aplicaram como solução pacotes de estímulo ao consumo. Cada país tem sua receita e sua fórmula, e estamos no Brasil, e temos de ter a nossa.”

A fábrica da Anchieta, em São Bernardo, atualmente trabalha com dois turnos, influenciada principalmente pelo novo lançamento da marca, o Nivus, e também pelas vendas do Polo e do Virtus. “Com toda a situação do Brasil, ter fábrica com dois turnos é privilégio.”

O presidente do SMABC (Sindicato dos Metalúrgicos do ABC), Wagner Santana, o Wagnão, afirmou que todos os acordos feitos pelo sindicato, tanto com a Volkswagen quanto com as demais empresas, visam a manutenção dos empregos durante a crise. Ele também disse que aguarda o contato da montadora.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sem estímulo ao consumo, Volks prevê onda de desemprego no setor

Para presidente da empresa, medidas em vigor são de curto prazo

Yara Ferraz
do Diário do Grande ABC

08/07/2020 | 00:22


O presidente da Volkswagen na América Latina, Pablo Di Si, afirmou ontem, em entrevista coletiva virtual, que a MP (Medida Provisória) 936 é importante para a manutenção dos empregos, mas que é solução a curto prazo. O executivo demonstrou preocupação com a situação dos próximos anos, pois avalia que se não houver medidas de estímulo ao consumo há risco de onda de demissões no setor.

“Em termos de flexibilização laboral, faremos todo o possível para esticar decisões de adequação de estrutura. Para nós é muito bem-vinda (a prorrogação da MP), mas essas flexibilizações são no curto prazo”, afirmou Di Si, sobre a situação da economia, acrescentando que o objetivo é negociar com os sindicatos período maior de uso da MP.

A previsão da empresa é que o mercado deste ano tenha queda de 39% em relação a 2019. “Nosso desejo é que seja menos, 20% ou 10%. Por isso digo que é uma solução de curto prazo. Olhando para os próximos anos, países como a Alemanha e os Estados Unidos aplicaram como solução pacotes de estímulo ao consumo. Cada país tem sua receita e sua fórmula, e estamos no Brasil, e temos de ter a nossa.”

A fábrica da Anchieta, em São Bernardo, atualmente trabalha com dois turnos, influenciada principalmente pelo novo lançamento da marca, o Nivus, e também pelas vendas do Polo e do Virtus. “Com toda a situação do Brasil, ter fábrica com dois turnos é privilégio.”

O presidente do SMABC (Sindicato dos Metalúrgicos do ABC), Wagner Santana, o Wagnão, afirmou que todos os acordos feitos pelo sindicato, tanto com a Volkswagen quanto com as demais empresas, visam a manutenção dos empregos durante a crise. Ele também disse que aguarda o contato da montadora.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;