Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 5 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Bolsonaro testou positivo para Covid e iniciou tratamento com hidroxicloroquina

Embora não haja eficácia comprovada, presidente elogia remédio


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

08/07/2020 | 00:01


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou ontem que está com a Covid-19. No anúncio e, em vídeo divulgado nas redes sociais, o presidente afirmou estar tratando a doença com hidroxicloroquina, medicamento que não possui eficácia comprovada para tratamento da infecção pelo coronavírus.

“Eu estou tomando aqui a terceira dose da hidroxicloroquina. Estou me sentindo muito bem. Estava mais ou menos no domingo, mal na segunda-feira e hoje (ontem) estou muito melhor do que sábado. Então, com toda a certeza, está dando certo. Sabemos que existem outros remédios que podem ajudar a combater o coronavírus, mas que nenhum tem sua eficácia cientificamente comprovada, mas sou uma pessoa que está dando certo. Então, eu confio na hidroxicloroquina. E você?”, disse.

Ao anunciar o resultado do exame, Bolsonaro voltou a minimizar a doença. “Vamos tomar cuidado, em especial, com os mais idosos e os que têm comorbidades. Os mais jovens, tomem cuidado, mas se forem acometidos do vírus, fiquem tranquilos que, para vocês, a possibilidade de algo mais grave é próxima de zero.”

Assessores do presidente também fizeram exames, porém, se submeteram a testes rápidos, imprecisos para detectar a Covid-19. Foi o caso dos ministros Braga Netto (Casa Civil), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo).

Segundo a agenda oficial, o presidente esteve com seis ministros e um secretário especial na segunda-feira. Alguns assessores, como os ministros Jorge Oliveira e Luiz Eduardo Ramos, também realizaram o exame e despacharam no Palácio do Planalto na terça-feira. As reuniões na segunda foram com Paulo Guedes (Economia), Braga Netto, Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos, Jorge Oliveira e Levi Mello (Advocacia-Geral da União). A última agenda ocorreu às 16h40 com o secretário especial de Cultura, Mário Frias.

No sábado, Bolsonaro foi à residência do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, com ministros e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), seu filho. Ele não usou máscara e se confraternizou com abraços, de acordo com imagens divulgadas pela Presidência da República. Na sexta-feira, houve um almoço no Palácio da Alvorada com ministros e empresários – também com apertos de mão, abraços e sem máscara. (com Estadão Conteúdo) 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsonaro testou positivo para Covid e iniciou tratamento com hidroxicloroquina

Embora não haja eficácia comprovada, presidente elogia remédio

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

08/07/2020 | 00:01


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou ontem que está com a Covid-19. No anúncio e, em vídeo divulgado nas redes sociais, o presidente afirmou estar tratando a doença com hidroxicloroquina, medicamento que não possui eficácia comprovada para tratamento da infecção pelo coronavírus.

“Eu estou tomando aqui a terceira dose da hidroxicloroquina. Estou me sentindo muito bem. Estava mais ou menos no domingo, mal na segunda-feira e hoje (ontem) estou muito melhor do que sábado. Então, com toda a certeza, está dando certo. Sabemos que existem outros remédios que podem ajudar a combater o coronavírus, mas que nenhum tem sua eficácia cientificamente comprovada, mas sou uma pessoa que está dando certo. Então, eu confio na hidroxicloroquina. E você?”, disse.

Ao anunciar o resultado do exame, Bolsonaro voltou a minimizar a doença. “Vamos tomar cuidado, em especial, com os mais idosos e os que têm comorbidades. Os mais jovens, tomem cuidado, mas se forem acometidos do vírus, fiquem tranquilos que, para vocês, a possibilidade de algo mais grave é próxima de zero.”

Assessores do presidente também fizeram exames, porém, se submeteram a testes rápidos, imprecisos para detectar a Covid-19. Foi o caso dos ministros Braga Netto (Casa Civil), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo).

Segundo a agenda oficial, o presidente esteve com seis ministros e um secretário especial na segunda-feira. Alguns assessores, como os ministros Jorge Oliveira e Luiz Eduardo Ramos, também realizaram o exame e despacharam no Palácio do Planalto na terça-feira. As reuniões na segunda foram com Paulo Guedes (Economia), Braga Netto, Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos, Jorge Oliveira e Levi Mello (Advocacia-Geral da União). A última agenda ocorreu às 16h40 com o secretário especial de Cultura, Mário Frias.

No sábado, Bolsonaro foi à residência do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, com ministros e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), seu filho. Ele não usou máscara e se confraternizou com abraços, de acordo com imagens divulgadas pela Presidência da República. Na sexta-feira, houve um almoço no Palácio da Alvorada com ministros e empresários – também com apertos de mão, abraços e sem máscara. (com Estadão Conteúdo) 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;