Fechar
Publicidade

Sábado, 11 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Brasil registra 1.271 mortes por coronavírus em 24h; total de óbitos vai a 59.656



30/06/2020 | 20:15


Segundo país do mundo com mais contaminados e mortos pelo novo coronavírus, o Brasil registrou nesta terça-feira, 30, mais de mil óbitos pela doença. Foram 1.271 novas mortes e mais 37.997 casos confirmados de infecção em 24 horas, segundo dados do levantamento realizado pelo Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de Saúde. No total, 59.656 brasileiros já perderam a vida por causa da covid-19 e 1.408.485 pessoas foram infectadas. O País contabilizou mais de 100 mil novos casos em apenas quatro dias.

O País é o segundo do mundo com maior número de casos e mortes devido ao vírus, atrás apenas dos Estados Unidos, que possuem cerca de 2,6 milhões de infecções confirmadas e 127 mil óbitos, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

São Paulo é o Estado com maior número de casos, nesta terça ultrapassou a marca de 280 mil casos confirmados do novo coronavírus. Balanço divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde mostra que são 281.380 casos confirmados da doença, sendo 6.235 deles registrados na últimas 24 horas. O Estado tem 14.763 óbitos pela covid-19, sendo 365 registrados também nas últimas 24 horas.

O Rio de Janeiro ultrapassou nesta terça-feira, 30, a marca de 10 mil mortes. O Estado completou 105 dias após a primeira morte por covid-19, em 17 de março, agora são 10.080 mortos pela doença, o que corresponde à média de 96 por dia. Nas últimas 24 horas foram registradas 232 mortes e 728 novos casos, o que eleva o número total de casos em todo o Estado para 112.611. Se fosse um país, o Estado do Rio seria o 19º do mundo com mais infectados. Mais 1.011 mortes estão sendo investigadas, sob suspeita de terem sido causadas pela covid-19, e 93.423 pacientes se curaram.

Nesta terça-feira, 30, o Ministério da Saúde mais uma vez deixou de fazer a entrevista coletiva para prestar esclarecimento sobre as ações relacionadas ao combate da covid-19.

Opas pede que Brasil aumente testagem

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), braço da Organização Mundial da Saúde (OMS) nas Américas, afirmou nesta terça-feira, 30, que o Brasil precisa ampliar a testagem da covid-19 para realizar um combate mais eficiente ao vírus. O órgão também reforçou a necessidade de as autoridades passarem uma mensagem "consistente" à população em meio aos esforços para conter o avanço da doença.

"A Opas constantemente pede ao Brasil para aumentar o número de testes. Pede que a mensagem (à população) seja consistente. Se não há uma mensagem consistente, a população se confunde. Isso preocupa a Opas", alertou Marcos Espinal, diretor do departamento de Doenças Transmissíveis da Opas.

Divulgação de dados

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre jornalistas dos seis meios de comunicação, que uniram forças para coletar junto às secretarias estaduais de Saúde e divulgar os números totais de mortos e contaminados. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia.

Mesmo com o recuo do Ministério da Saúde, que voltou a divulgar o consolidado de casos e mortes, o consórcio dos veículos de imprensa continua com o objetivo de informar os brasileiros sobre a evolução da covid-19 no País, cumprindo o papel de dar transparência aos dados públicos.

O órgão informou, no início da noite desta terça-feira, que o Brasil contabilizou 1.280 óbitos e mais 33.846 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Com isso, segundo o Ministério da Saúde, no total são 1.402.041 casos confirmados e 59.594 mortes causadas pelo coronavírus. O número é diferente do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Brasil registra 1.271 mortes por coronavírus em 24h; total de óbitos vai a 59.656


30/06/2020 | 20:15


Segundo país do mundo com mais contaminados e mortos pelo novo coronavírus, o Brasil registrou nesta terça-feira, 30, mais de mil óbitos pela doença. Foram 1.271 novas mortes e mais 37.997 casos confirmados de infecção em 24 horas, segundo dados do levantamento realizado pelo Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de Saúde. No total, 59.656 brasileiros já perderam a vida por causa da covid-19 e 1.408.485 pessoas foram infectadas. O País contabilizou mais de 100 mil novos casos em apenas quatro dias.

O País é o segundo do mundo com maior número de casos e mortes devido ao vírus, atrás apenas dos Estados Unidos, que possuem cerca de 2,6 milhões de infecções confirmadas e 127 mil óbitos, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

São Paulo é o Estado com maior número de casos, nesta terça ultrapassou a marca de 280 mil casos confirmados do novo coronavírus. Balanço divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde mostra que são 281.380 casos confirmados da doença, sendo 6.235 deles registrados na últimas 24 horas. O Estado tem 14.763 óbitos pela covid-19, sendo 365 registrados também nas últimas 24 horas.

O Rio de Janeiro ultrapassou nesta terça-feira, 30, a marca de 10 mil mortes. O Estado completou 105 dias após a primeira morte por covid-19, em 17 de março, agora são 10.080 mortos pela doença, o que corresponde à média de 96 por dia. Nas últimas 24 horas foram registradas 232 mortes e 728 novos casos, o que eleva o número total de casos em todo o Estado para 112.611. Se fosse um país, o Estado do Rio seria o 19º do mundo com mais infectados. Mais 1.011 mortes estão sendo investigadas, sob suspeita de terem sido causadas pela covid-19, e 93.423 pacientes se curaram.

Nesta terça-feira, 30, o Ministério da Saúde mais uma vez deixou de fazer a entrevista coletiva para prestar esclarecimento sobre as ações relacionadas ao combate da covid-19.

Opas pede que Brasil aumente testagem

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), braço da Organização Mundial da Saúde (OMS) nas Américas, afirmou nesta terça-feira, 30, que o Brasil precisa ampliar a testagem da covid-19 para realizar um combate mais eficiente ao vírus. O órgão também reforçou a necessidade de as autoridades passarem uma mensagem "consistente" à população em meio aos esforços para conter o avanço da doença.

"A Opas constantemente pede ao Brasil para aumentar o número de testes. Pede que a mensagem (à população) seja consistente. Se não há uma mensagem consistente, a população se confunde. Isso preocupa a Opas", alertou Marcos Espinal, diretor do departamento de Doenças Transmissíveis da Opas.

Divulgação de dados

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre jornalistas dos seis meios de comunicação, que uniram forças para coletar junto às secretarias estaduais de Saúde e divulgar os números totais de mortos e contaminados. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia.

Mesmo com o recuo do Ministério da Saúde, que voltou a divulgar o consolidado de casos e mortes, o consórcio dos veículos de imprensa continua com o objetivo de informar os brasileiros sobre a evolução da covid-19 no País, cumprindo o papel de dar transparência aos dados públicos.

O órgão informou, no início da noite desta terça-feira, que o Brasil contabilizou 1.280 óbitos e mais 33.846 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Com isso, segundo o Ministério da Saúde, no total são 1.402.041 casos confirmados e 59.594 mortes causadas pelo coronavírus. O número é diferente do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;