Fechar
Publicidade

Domingo, 12 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas de Nova York fecham em alta, com risk-on após otimismo da ADP por retomada

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


03/06/2020 | 18:08


As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta quarta-feira (3) com o mercado em modo risk-on após dados de emprego no setor privado americano reforçarem a percepção dos investidores de que a retomada econômica com o fim do isolamento social será rápida. As tensões entre os Estados Unidos e a China, os protestos nos Estados Unidos e a possibilidade de uma segunda onda de infecção por covid-19, porém, continuam no radar.

O índice Dow Jones fechou em alta de 2,05%, em 26.269,89 pontos, o S&P 500 avançou 1,36%, a 3.122,87 pontos, e o Nasdaq subiu 0,78%, a 9.682,91 pontos.

O setor privado dos EUA cortou 2,76 milhões de empregos em maio, segundo dados divulgados hoje pela ADP. A estimativa, no entanto, era de perda de 8,75 milhões de vagas no período. Com o resultado melhor do que o esperado, o otimismo do mercado com a recuperação econômica aumentou.

Em evento virtual, a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, disse hoje que é provável uma recuperação parcial da economia global em 2021. Ela sugeriu, também, que os governos continuem a implementar medidas de estímulo fiscal para garantir o crescimento.

"As ações estão em alta em todo o mundo devido ao otimismo contínuo com a reabertura das economias, junto com dados surpreendentemente fortes de serviços da China, o que mostra que a segunda maior economia do mundo continua a se recuperar", dizem analistas da LPL Financial. Ontem, o país asiático informou que seu índice de gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) de serviços subiu de 44,4 em abril para 55,0 em maio.

Segundo a LPL Financial, estímulos fiscais e monetários em larga escala ajudam na recuperação da confiança. Hoje, o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) anunciou uma expansão do seu programa de empréstimos a governos municipais e estaduais.

No S&P 500, o subíndice do setor industrial liderou as altas (+3,91%), seguido pelos dos setores financeiro (3,83%) e de energia (+3,05%). Este último apoiado pela alta nos preços do petróleo.

As ações da Boeing subiram 12,95%, depois que o fundo de hedge Third Point anunciou uma participação nos negócios da companhia aérea. Já entre os bancos, os papéis do Wells Fargo avançaram 5,22% e os do JPMorgan, 5,40%. No setor de energia, Chevron ganhou 2,63% e ExxonMobil registrou alta de 4,08%.

As tensões entre Washington e Pequim, porém, seguem no radar, já que os EUA planejam proibir companhias aéreas chinesas de operarem no país até 16 de junho. Os protestos em solo americano, que se espalharam após a morte de George Floyd, um homem negro que foi asfixiado por um policial branco, também seguem monitorados. (COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsas de Nova York fecham em alta, com risk-on após otimismo da ADP por retomada


03/06/2020 | 18:08


As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta quarta-feira (3) com o mercado em modo risk-on após dados de emprego no setor privado americano reforçarem a percepção dos investidores de que a retomada econômica com o fim do isolamento social será rápida. As tensões entre os Estados Unidos e a China, os protestos nos Estados Unidos e a possibilidade de uma segunda onda de infecção por covid-19, porém, continuam no radar.

O índice Dow Jones fechou em alta de 2,05%, em 26.269,89 pontos, o S&P 500 avançou 1,36%, a 3.122,87 pontos, e o Nasdaq subiu 0,78%, a 9.682,91 pontos.

O setor privado dos EUA cortou 2,76 milhões de empregos em maio, segundo dados divulgados hoje pela ADP. A estimativa, no entanto, era de perda de 8,75 milhões de vagas no período. Com o resultado melhor do que o esperado, o otimismo do mercado com a recuperação econômica aumentou.

Em evento virtual, a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, disse hoje que é provável uma recuperação parcial da economia global em 2021. Ela sugeriu, também, que os governos continuem a implementar medidas de estímulo fiscal para garantir o crescimento.

"As ações estão em alta em todo o mundo devido ao otimismo contínuo com a reabertura das economias, junto com dados surpreendentemente fortes de serviços da China, o que mostra que a segunda maior economia do mundo continua a se recuperar", dizem analistas da LPL Financial. Ontem, o país asiático informou que seu índice de gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) de serviços subiu de 44,4 em abril para 55,0 em maio.

Segundo a LPL Financial, estímulos fiscais e monetários em larga escala ajudam na recuperação da confiança. Hoje, o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) anunciou uma expansão do seu programa de empréstimos a governos municipais e estaduais.

No S&P 500, o subíndice do setor industrial liderou as altas (+3,91%), seguido pelos dos setores financeiro (3,83%) e de energia (+3,05%). Este último apoiado pela alta nos preços do petróleo.

As ações da Boeing subiram 12,95%, depois que o fundo de hedge Third Point anunciou uma participação nos negócios da companhia aérea. Já entre os bancos, os papéis do Wells Fargo avançaram 5,22% e os do JPMorgan, 5,40%. No setor de energia, Chevron ganhou 2,63% e ExxonMobil registrou alta de 4,08%.

As tensões entre Washington e Pequim, porém, seguem no radar, já que os EUA planejam proibir companhias aéreas chinesas de operarem no país até 16 de junho. Os protestos em solo americano, que se espalharam após a morte de George Floyd, um homem negro que foi asfixiado por um policial branco, também seguem monitorados. (COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;