Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 26 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Oposição pede retorno de sessões em Mauá

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Legislativo é único da região que paralisou completamente os trabalhos durante pandemia


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

27/05/2020 | 00:01


Vereadores de oposição vão protocolar junto ao presidente da Câmara de Mauá, Vanderley Cavalcante da Silva, o Neycar (SD), ofício solicitando o retorno das sessões ordinárias. O Diário mostrou ontem que o Legislativo mauaense paralisou completamente os trabalhos desde o início da pandemia de Covid-19 e está prestes a completar 50 dias sem realizar nenhuma plenária, ao contrário das demais casas.

Documento formulado pelo oposicionista Professor Betinho (PSL) sugere a retomada dos trabalhos. O Diário apurou que outros vereadores da oposição farão o mesmo pedido. “Sabemos que a suspensão das sessões ordinárias não significou a paralisação do trabalho dos parlamentares de forma individual. Contudo, a ausência de sessões ordinárias impossibilita debates acerca de temas importantes para a cidade, impede a votação de proposituras e até dificulta a fiscalização plena do Poder Executivo, já que o poder de fiscalização de Câmara Municipal é outorgado principalmente ao órgão coletivo da Câmara e não somente aos seus integrantes individualmente”, diz o ofício. O pedido pondera que a “retomada dos trabalhos deverá se dar com a observância das orientações das autoridades da saúde, podendo ocorrer de forma virtual”, como tem ocorrido nas demais câmaras.

A última vez que os vereadores de Mauá se reuniram foi em 9 de abril, já durante a pandemia, em sessão extraordinária realizada de forma virtual. Com os trabalhos suspensos desde o fim de março, a casa não voltou nem a promover novas plenárias on-line, tampouco presenciais. “Nós não paramos. O que estão suspensas são as sessões ordinárias, mas as extraordinárias podem ser feitas. A maioria dos vereadores é do grupo de risco, mas se precisarmos votar algum projeto, vamos votar de forma virtual”, explicou Neycar, ao citar que a ausência de sessões se dá em decorrência da falta de projetos enviados pelo prefeito Atila Jacomussi (PSB).

Nos bastidores, porém, a explicação é a de que o hiato é provocado por abalos na base governista e pela necessidade de a casa, se retomar os trabalhos, ter de encarar debates indigestos para o governo, como o pedido de abertura de CPI para apurar supostas irregularidades na instalação de hospital de campanha na cidade e pelo novo pedido de impeachment contra o prefeito, que já sofreu cassação e conseguiu anular o processo na Justiça.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Oposição pede retorno de sessões em Mauá

Legislativo é único da região que paralisou completamente os trabalhos durante pandemia

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

27/05/2020 | 00:01


Vereadores de oposição vão protocolar junto ao presidente da Câmara de Mauá, Vanderley Cavalcante da Silva, o Neycar (SD), ofício solicitando o retorno das sessões ordinárias. O Diário mostrou ontem que o Legislativo mauaense paralisou completamente os trabalhos desde o início da pandemia de Covid-19 e está prestes a completar 50 dias sem realizar nenhuma plenária, ao contrário das demais casas.

Documento formulado pelo oposicionista Professor Betinho (PSL) sugere a retomada dos trabalhos. O Diário apurou que outros vereadores da oposição farão o mesmo pedido. “Sabemos que a suspensão das sessões ordinárias não significou a paralisação do trabalho dos parlamentares de forma individual. Contudo, a ausência de sessões ordinárias impossibilita debates acerca de temas importantes para a cidade, impede a votação de proposituras e até dificulta a fiscalização plena do Poder Executivo, já que o poder de fiscalização de Câmara Municipal é outorgado principalmente ao órgão coletivo da Câmara e não somente aos seus integrantes individualmente”, diz o ofício. O pedido pondera que a “retomada dos trabalhos deverá se dar com a observância das orientações das autoridades da saúde, podendo ocorrer de forma virtual”, como tem ocorrido nas demais câmaras.

A última vez que os vereadores de Mauá se reuniram foi em 9 de abril, já durante a pandemia, em sessão extraordinária realizada de forma virtual. Com os trabalhos suspensos desde o fim de março, a casa não voltou nem a promover novas plenárias on-line, tampouco presenciais. “Nós não paramos. O que estão suspensas são as sessões ordinárias, mas as extraordinárias podem ser feitas. A maioria dos vereadores é do grupo de risco, mas se precisarmos votar algum projeto, vamos votar de forma virtual”, explicou Neycar, ao citar que a ausência de sessões se dá em decorrência da falta de projetos enviados pelo prefeito Atila Jacomussi (PSB).

Nos bastidores, porém, a explicação é a de que o hiato é provocado por abalos na base governista e pela necessidade de a casa, se retomar os trabalhos, ter de encarar debates indigestos para o governo, como o pedido de abertura de CPI para apurar supostas irregularidades na instalação de hospital de campanha na cidade e pelo novo pedido de impeachment contra o prefeito, que já sofreu cassação e conseguiu anular o processo na Justiça.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;