Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Deputados criam comissão para fiscalizar os gastos com pandemia

Parlamentares querem visitar hospitais de campanha e se reunirem com secretariado


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

25/04/2020 | 21:22


Grupo de deputados estaduais criou comissão para acompanhar os gastos emergenciais do governo do Estado de São Paulo, sob gestão de João Doria (PSDB), referentes à Covid-19. Deputado estadual com domicílio eleitoral em São Bernardo, Coronel Nishikawa (PSL) é um dos articuladores do grupo parlamentar.

A intenção do bloco, formado por oito deputados, é fiscalizar para onde o governo está enviando os recursos economizados especificamente para ações de enfrentamento da pandemia. Caso encontrem algum tipo de irregularidade nos gastos destes recursos, a promessa da ala é articular abertura de CPI para investigar a possível ilegalidade.

Além de Nishikawa, o grupo conta com a participação de Gil Diniz (PSL), Tenente Coimbra (PSL), Letícia Aguiar (PSL), Márcio Nakashima (PDT), Adriana Borgo (Pros), Coronel Telhada (Progressistas) e Edna Macedo (Republicanos). Grande parte dos deputados pertence à ala oposicionista na Assembleia Legislativa.

Conforme Nishikawa, a ideia é realizar visitas aos hospitais de campanha, agendar reunião com secretários para pedir esclarecimentos, verificar as despesas de compras e aluguéis de materiais dispensando licitações. “Apesar de já existir uma comissão formal que acompanha as finanças do governo do Estado, decidimos criar esse bloco para que possamos acompanhar, de maneira específica, os gastos da gestão com os recursos que estão sendo destinados ao combate da Covid-19”, disse.

REDUÇÃO
Apesar de os deputados do Grande ABC concordarem que o corte nos vencimentos e na verba de gabinete pode ajudar no combate à Covid-19, os parlamentares têm opiniões diferentes referente à ação da Assembleia.

Deputado por São Bernardo, Luiz Fernando Teixeira (PT) declarou que o Legislativo demorou muito para reagir. “A Assembleia quase prevaricou”, disse o petista, que já havia proposto o corte nos valores destinados à classe política estadual.

Já Thiago Auricchio (PL), parlamentar com domicílio eleitoral em São Caetano, foi um dos primeiros deputados a apoiar o corte nas verbas da Assembleia. Que prevê economia de R$ 320 milhões até o fim do ano.

Na sexta-feira, durante sessão, requerimento de urgência para apreciação do projeto que prevê corte de 30% nos salários dos deputados, 30% na verba de gabinete e 20% de corte dos vencimentos de comissionados, foi aprovado e aguarda posicionamento do presidente da Assembleia, Cauê Macris (PSDB). A expectativa é de que a propositura seja apreciada entre terça e quarta-feira. O texto tem consenso entre os líderes de partidos e sua votação será apenas protocolar. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;