Fechar
Publicidade

Domingo, 31 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Com dissolução, PTB terá debandada em S.Caetano

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Parte do grupo político reconhece saída em massa diante de intervenção na municipal


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

28/03/2020 | 00:04


Com a formalização da destituição do diretório do PTB de São Caetano, em decisão do comando estadual, chefiado por Campos Machado, lideranças históricas da legenda sinalizam debandada nos próximos dias. Parte do grupo político que dirigia a sigla até então – que integra o governo do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) –, admite saída em massa, diante da mudança de rota na cidade. As modificações na direção sinalizam apoio à projeto de oposição. O novo presidente da comissão provisória é Juan Munoz, nome ligado a Fabio Palacio (PSD).

Ex-presidente da executiva local do PTB e secretário municipal de Segurança, o ex-vereador Jorge Salgado rechaçou que tenha sido surpreendido pela decisão, alegando que a situação foi conversada junto à cúpula. “A gente compõe (com o governo Auricchio, ex-PTB). Eles queriam romper, não houve espaço. Nós deixamos à vontade. Agora, fica a critério de cada um a saída”, minimizou. “O PTB era composto por homens sérios, não é de ser negociado, por isso essa ruptura. E ninguém é obrigado a continuar.”

O PTB é o partido mais tradicional de São Caetano. Chegou a gerir o Palácio da Cerâmica por 30 anos, com os governos em sequência de Walter Braido, Luiz Olinto Tortorello, Antônio José Dall’Anese e o próprio Auricchio. No último pleito foi a primeira vez em que a legenda ficou sem representação na Câmara – em coligação com o SD, a chapa proporcional acabou sendo impugnada pela Justiça Eleitoral.

Há informações sobre afastamento de Walter Figueira Júnior, ex-vice-prefeito, e dos ex-vereadores Flávio Rstom, Paulo Bottura e Gersio Sartori (atual subsecretário de Assuntos Institucionais), além de Wenceslau Teixeira, o Lalau, amigo que veio com Tortorello do Interior, e Filinto Teixeira, ex-diretor Jurídico da Prefeitura.

“O PTB tem história em São Caetano, que nasceu com Braido e teve continuidade com os demais prefeitos. Infelizmente, com essa alteração de rumo, penso que agora ele (partido) vai se esfacelar. Falo isso com lamentação, pois fui presidente (da legenda) na década de 1980. Garanto que haverá debandada total. Todos aqueles que fizeram e participaram dessa história, sem exceção, vão embora. Tem tradição de ala de direita. Na minha ótica, vai se encerrar e jamais vai ressuscitar”, alegou Filinto.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com dissolução, PTB terá debandada em S.Caetano

Parte do grupo político reconhece saída em massa diante de intervenção na municipal

Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

28/03/2020 | 00:04


Com a formalização da destituição do diretório do PTB de São Caetano, em decisão do comando estadual, chefiado por Campos Machado, lideranças históricas da legenda sinalizam debandada nos próximos dias. Parte do grupo político que dirigia a sigla até então – que integra o governo do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) –, admite saída em massa, diante da mudança de rota na cidade. As modificações na direção sinalizam apoio à projeto de oposição. O novo presidente da comissão provisória é Juan Munoz, nome ligado a Fabio Palacio (PSD).

Ex-presidente da executiva local do PTB e secretário municipal de Segurança, o ex-vereador Jorge Salgado rechaçou que tenha sido surpreendido pela decisão, alegando que a situação foi conversada junto à cúpula. “A gente compõe (com o governo Auricchio, ex-PTB). Eles queriam romper, não houve espaço. Nós deixamos à vontade. Agora, fica a critério de cada um a saída”, minimizou. “O PTB era composto por homens sérios, não é de ser negociado, por isso essa ruptura. E ninguém é obrigado a continuar.”

O PTB é o partido mais tradicional de São Caetano. Chegou a gerir o Palácio da Cerâmica por 30 anos, com os governos em sequência de Walter Braido, Luiz Olinto Tortorello, Antônio José Dall’Anese e o próprio Auricchio. No último pleito foi a primeira vez em que a legenda ficou sem representação na Câmara – em coligação com o SD, a chapa proporcional acabou sendo impugnada pela Justiça Eleitoral.

Há informações sobre afastamento de Walter Figueira Júnior, ex-vice-prefeito, e dos ex-vereadores Flávio Rstom, Paulo Bottura e Gersio Sartori (atual subsecretário de Assuntos Institucionais), além de Wenceslau Teixeira, o Lalau, amigo que veio com Tortorello do Interior, e Filinto Teixeira, ex-diretor Jurídico da Prefeitura.

“O PTB tem história em São Caetano, que nasceu com Braido e teve continuidade com os demais prefeitos. Infelizmente, com essa alteração de rumo, penso que agora ele (partido) vai se esfacelar. Falo isso com lamentação, pois fui presidente (da legenda) na década de 1980. Garanto que haverá debandada total. Todos aqueles que fizeram e participaram dessa história, sem exceção, vão embora. Tem tradição de ala de direita. Na minha ótica, vai se encerrar e jamais vai ressuscitar”, alegou Filinto.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;