Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Na praça o povo vê o Paulistano campeão

Repete-se a cena do Sul-Americano de 1919: sem rádio e televisão os torcedores se concentraram na frente da redação para acompanhar os lances do futebol no Rio de Janeiro


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

27/03/2020 | 23:50


Foi há exatos 100 anos, no domingo, 28 de março de 1920: no campo do adversário, o Paulistano (campeão paulista) goleia o Fluminense (campeão carioca) por 4 a 1 em torneio que valeu como o primeiro campeonato nacional da história – na quinta-feira (25 de março de 1920), o Paulistano havia goleado os campeões gaúchos, o Brasil de Pelotas, por 7 a 2 – o Brasil foi o primeiro campeão do Rio Grande do Sul, em 1919.

Longe do estádio, o único jeito de acompanhar o jogo era posicionar-se na Praça Antonio Prado, na frente do Estadão, e seguir as tabuletas que iam sendo afixadas a cada lance mais importante, que podia ser um gol ou uma defesa.

Do Rio, um repórter ia narrando, por telefone, o desenrolar da partida. O rádio apenas engatinhava e as primeiras transmissões radiofônicas do futebol ainda estavam por vir.

As principais partidas também eram filmadas, mas só exibidas na semana seguinte nos cinemas, quando todos já haviam lido as reportagens publicadas pelos jornais e sabiam os resultados.

O Estadão noticiava: “Serviço telefônico direto do campo do jogo para a redação” – uma transmissão hoje praticamente esquecida.

FICHA TÉCNICA
Paulistano 4, Fluminense 1
Data: 28 de março de 1920
Gols: Zezé (para o Flu, abrindo a contagem), Friedenreich para o Paulistano no primeiro tempo; na etapa final, mais três gols dos paulistas: Mario (2) e Guariba.
Paulistano: Arnaldo, Orlando e Carlito, Sérgio, Carlos Araujo e Mariano, Zonzo, Mario, Friedenreich, Guariba e Cassiano.
Fluminense: Marcos, Othelo e Chico Netto, Lais, Oswaldo e Fortes, Mano, Zezé, Welfare, Machado e Bacchi.
Publico: 25 mil pessoas.

Jessé, eterno

Texto: Milton Parron

Para os amantes da música popular brasileira, o XII Festival da Canção organizado pela Televisão Ibero-Americana, OTI, foi inesquecível.

Trata-se do festival de 1983, em Washington. Um brasileiro foi o vencedor: melhor intérprete, melhor canção e melhor arranjo para Estrelas de Papel, música composta por ele em parceria com Elifas Andreato.

Falo de Jessé Florentino Santos que, nascido em Niterói em 1952, muito cedo mudou-se com os pais para Brasília, onde foi criado.

Já adulto e profissional da música veio morar em São Paulo, onde se apresentou como crooner em boates e logo depois integrou dois grupos: ‘Corrente de Força’ e ‘Placa Luminosa’.

A morte – num acidente de automóvel no Paraná – o surpreendeu na fase mais esplendorosa da carreira, fazendo shows por todo o Brasil onde era obrigado a bisar alguns sucessos de outros tempos, principalmente Porto Solidão com o qual se revelou o melhor intérprete do Festival MPB Shell da Rede Globo em 1980, e ainda Voa Liberdade, que foi uma das recordistas de vendas também em 1980.

Para a feitura do programa foram utilizados diversos trechos de entrevistas concedidas por Jessé ao longo de sua curta carreira. Foram também selecionadas suas apresentações em programas de rádio e televisão, além dos principais sucessos do cantor.

EM PAUTA

Rádio Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – Uma homenagem a Jessé. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 23h, amanhã, às 5h. Na internet: www.radiobandeirantes.com.br/ vivo

Diário há meio século

Sexta-feira, 27 de março de 1970; ano 12; edição 1196

Turismo – Focalizado o Museu Paulista de Antiguidades Mecânicas, de Caçapava, e o Museu de Caça e Pesca, do Parque da Água Branca.
Aleluia – Clubes que programavam bailes: Panelinha, com o tema Haiti; Clube de Xadrez, Praia; Ocara, Tempo Quente; Cartolinha, Mundo das Luzes.
E mais: Country House (km 28 da Via Anchieta), Grena (Grêmio Recreativo das Nações), Palácio de Mármore, GE e Jóquei Clube do Riacho Grande.


Em 28 de março de...

1920 – Federação Operária declara a greve geral em São Paulo, com 19 reivindicações, entre as quais:
- Redução da jornada diária do trabalho para oito horas.
- Liberdade de todos os presos por questões sociais.
- Abolição do trabalho dos menores de 14 anos.
- Equiparação do trabalho da mulher ao do homem.
- Supressão da obrigação dos trabalhadores fornecer as ferramentas usadas no serviço.
1925 – Estava sendo loteada a Vila Prosperidade, em São Caetano.

Hoje

- Dia do Diagramador
- Dia do Revisor
Hoje esses dois profissionais acumulam outras funções que as iniciais. Paginam. Editam. Participam das várias fases da produção de jornais e revistas impressos e digitais. O Diário tem uma bela equipe formada por esses profissionais da comunicação.

Santos do dia

- Castor
- Gontrão

Municípios Brasileiros

Celebram aniversários em 28 de março:

- Em São Paulo, Dobrada, Embu-Guaçu, Guzolândia, Juquitiba, Queiroz e Uchoa
- No Rio Grande do Norte, Alto do Rodrigues
- No Pará, Augusto Corrêa
- No Rio de Janeiro, Campos dos Goytacazes
- No Rio Grande do Sul, Charqueadas e Rondinha
- No Sergipe, Gararu, Indiaroba, Itaporanga d’Ajuda, Muribeca
- No Maranhão, Tutoia
Fonte: IBGE 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Na praça o povo vê o Paulistano campeão

Repete-se a cena do Sul-Americano de 1919: sem rádio e televisão os torcedores se concentraram na frente da redação para acompanhar os lances do futebol no Rio de Janeiro

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

27/03/2020 | 23:50


Foi há exatos 100 anos, no domingo, 28 de março de 1920: no campo do adversário, o Paulistano (campeão paulista) goleia o Fluminense (campeão carioca) por 4 a 1 em torneio que valeu como o primeiro campeonato nacional da história – na quinta-feira (25 de março de 1920), o Paulistano havia goleado os campeões gaúchos, o Brasil de Pelotas, por 7 a 2 – o Brasil foi o primeiro campeão do Rio Grande do Sul, em 1919.

Longe do estádio, o único jeito de acompanhar o jogo era posicionar-se na Praça Antonio Prado, na frente do Estadão, e seguir as tabuletas que iam sendo afixadas a cada lance mais importante, que podia ser um gol ou uma defesa.

Do Rio, um repórter ia narrando, por telefone, o desenrolar da partida. O rádio apenas engatinhava e as primeiras transmissões radiofônicas do futebol ainda estavam por vir.

As principais partidas também eram filmadas, mas só exibidas na semana seguinte nos cinemas, quando todos já haviam lido as reportagens publicadas pelos jornais e sabiam os resultados.

O Estadão noticiava: “Serviço telefônico direto do campo do jogo para a redação” – uma transmissão hoje praticamente esquecida.

FICHA TÉCNICA
Paulistano 4, Fluminense 1
Data: 28 de março de 1920
Gols: Zezé (para o Flu, abrindo a contagem), Friedenreich para o Paulistano no primeiro tempo; na etapa final, mais três gols dos paulistas: Mario (2) e Guariba.
Paulistano: Arnaldo, Orlando e Carlito, Sérgio, Carlos Araujo e Mariano, Zonzo, Mario, Friedenreich, Guariba e Cassiano.
Fluminense: Marcos, Othelo e Chico Netto, Lais, Oswaldo e Fortes, Mano, Zezé, Welfare, Machado e Bacchi.
Publico: 25 mil pessoas.

Jessé, eterno

Texto: Milton Parron

Para os amantes da música popular brasileira, o XII Festival da Canção organizado pela Televisão Ibero-Americana, OTI, foi inesquecível.

Trata-se do festival de 1983, em Washington. Um brasileiro foi o vencedor: melhor intérprete, melhor canção e melhor arranjo para Estrelas de Papel, música composta por ele em parceria com Elifas Andreato.

Falo de Jessé Florentino Santos que, nascido em Niterói em 1952, muito cedo mudou-se com os pais para Brasília, onde foi criado.

Já adulto e profissional da música veio morar em São Paulo, onde se apresentou como crooner em boates e logo depois integrou dois grupos: ‘Corrente de Força’ e ‘Placa Luminosa’.

A morte – num acidente de automóvel no Paraná – o surpreendeu na fase mais esplendorosa da carreira, fazendo shows por todo o Brasil onde era obrigado a bisar alguns sucessos de outros tempos, principalmente Porto Solidão com o qual se revelou o melhor intérprete do Festival MPB Shell da Rede Globo em 1980, e ainda Voa Liberdade, que foi uma das recordistas de vendas também em 1980.

Para a feitura do programa foram utilizados diversos trechos de entrevistas concedidas por Jessé ao longo de sua curta carreira. Foram também selecionadas suas apresentações em programas de rádio e televisão, além dos principais sucessos do cantor.

EM PAUTA

Rádio Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – Uma homenagem a Jessé. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 23h, amanhã, às 5h. Na internet: www.radiobandeirantes.com.br/ vivo

Diário há meio século

Sexta-feira, 27 de março de 1970; ano 12; edição 1196

Turismo – Focalizado o Museu Paulista de Antiguidades Mecânicas, de Caçapava, e o Museu de Caça e Pesca, do Parque da Água Branca.
Aleluia – Clubes que programavam bailes: Panelinha, com o tema Haiti; Clube de Xadrez, Praia; Ocara, Tempo Quente; Cartolinha, Mundo das Luzes.
E mais: Country House (km 28 da Via Anchieta), Grena (Grêmio Recreativo das Nações), Palácio de Mármore, GE e Jóquei Clube do Riacho Grande.


Em 28 de março de...

1920 – Federação Operária declara a greve geral em São Paulo, com 19 reivindicações, entre as quais:
- Redução da jornada diária do trabalho para oito horas.
- Liberdade de todos os presos por questões sociais.
- Abolição do trabalho dos menores de 14 anos.
- Equiparação do trabalho da mulher ao do homem.
- Supressão da obrigação dos trabalhadores fornecer as ferramentas usadas no serviço.
1925 – Estava sendo loteada a Vila Prosperidade, em São Caetano.

Hoje

- Dia do Diagramador
- Dia do Revisor
Hoje esses dois profissionais acumulam outras funções que as iniciais. Paginam. Editam. Participam das várias fases da produção de jornais e revistas impressos e digitais. O Diário tem uma bela equipe formada por esses profissionais da comunicação.

Santos do dia

- Castor
- Gontrão

Municípios Brasileiros

Celebram aniversários em 28 de março:

- Em São Paulo, Dobrada, Embu-Guaçu, Guzolândia, Juquitiba, Queiroz e Uchoa
- No Rio Grande do Norte, Alto do Rodrigues
- No Pará, Augusto Corrêa
- No Rio de Janeiro, Campos dos Goytacazes
- No Rio Grande do Sul, Charqueadas e Rondinha
- No Sergipe, Gararu, Indiaroba, Itaporanga d’Ajuda, Muribeca
- No Maranhão, Tutoia
Fonte: IBGE 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;