Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Márcio da Farmácia volta a dizer que não será candidato

Deputado torna a descartar ser prefeiturável, mas assegura que vai pedir voto ao plano B


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

21/02/2020 | 00:01


O deputado estadual Márcio da Farmácia (Podemos), de Diadema, voltou a se reunir nesta semana com aliados do governo Lauro Michels (PV) para cravar que não será o prefeiturável governista neste ano, como insiste o verde.

O Diário apurou que Márcio reafirmou o desejo de seguir no mandato na Assembleia Legislativa e ponderou sobre a necessidade de ter cautela sobre a própria saúde física – sofreu infarto há quatro anos e, mais recentemente, teve fibrilação atrial (quando as batidas do coração ficam dessincronizadas). Também deve passar por cirurgia nos próximos meses.

A posição do ex-vice de Lauro se dá diante da insistência do chefe do Executivo no nome do parlamentar e na demora para que o prefeito escolha definitivamente um substituto e dê o start para que a campanha governista saia às ruas. Nesse encontro, segundo apurou o Diário, Márcio foi incisivo. “Já avisei ao Lauro que não serei candidato”, reafirmou ao grupo de vereadores do PV e da base aliada. Lauro não teria participado da reunião, que ocorreu no Paço.

Apesar de confirmar que não representará o governo nas urnas em outubro, Márcio teria feito questão de garantir apoio incondicional ao plano B governista. Para adversários, a recusa de Márcio em ser candidato é manobra para, às vésperas da campanha, o parlamentar lançar candidatura independente a prefeito, na tentativa de driblar possível rejeição a Lauro e aos seus oito anos de mandato.

DOBRADA
Diante da posição do deputado, restaram três nomes no grupo governista: o da secretária Regina Gonçalves (PV, Habitação) e o dos vereadores Pretinho do Água Santa (DEM), presidente da Câmara, e Marcos Michels (PSB). Os dois últimos ensaiam dobrada, mas ainda sem definição sobre quem seria o cabeça de chapa.

No caso de Regina, que já foi vereadora, deputada estadual e vice-prefeita, o projeto de candidatura ao Paço ficou mais evidente. A secretária agora avisou que vai brigar pelo posto de prefeiturável e pediu apoio público da bancada verde no Legislativo. Fora do partido, porém, o nome de Regina enfrenta resistência por parte de siglas aliadas.

A escolha final de Lauro ainda deve ser pautada por nova pesquisa eleitoral. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Márcio da Farmácia volta a dizer que não será candidato

Deputado torna a descartar ser prefeiturável, mas assegura que vai pedir voto ao plano B

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

21/02/2020 | 00:01


O deputado estadual Márcio da Farmácia (Podemos), de Diadema, voltou a se reunir nesta semana com aliados do governo Lauro Michels (PV) para cravar que não será o prefeiturável governista neste ano, como insiste o verde.

O Diário apurou que Márcio reafirmou o desejo de seguir no mandato na Assembleia Legislativa e ponderou sobre a necessidade de ter cautela sobre a própria saúde física – sofreu infarto há quatro anos e, mais recentemente, teve fibrilação atrial (quando as batidas do coração ficam dessincronizadas). Também deve passar por cirurgia nos próximos meses.

A posição do ex-vice de Lauro se dá diante da insistência do chefe do Executivo no nome do parlamentar e na demora para que o prefeito escolha definitivamente um substituto e dê o start para que a campanha governista saia às ruas. Nesse encontro, segundo apurou o Diário, Márcio foi incisivo. “Já avisei ao Lauro que não serei candidato”, reafirmou ao grupo de vereadores do PV e da base aliada. Lauro não teria participado da reunião, que ocorreu no Paço.

Apesar de confirmar que não representará o governo nas urnas em outubro, Márcio teria feito questão de garantir apoio incondicional ao plano B governista. Para adversários, a recusa de Márcio em ser candidato é manobra para, às vésperas da campanha, o parlamentar lançar candidatura independente a prefeito, na tentativa de driblar possível rejeição a Lauro e aos seus oito anos de mandato.

DOBRADA
Diante da posição do deputado, restaram três nomes no grupo governista: o da secretária Regina Gonçalves (PV, Habitação) e o dos vereadores Pretinho do Água Santa (DEM), presidente da Câmara, e Marcos Michels (PSB). Os dois últimos ensaiam dobrada, mas ainda sem definição sobre quem seria o cabeça de chapa.

No caso de Regina, que já foi vereadora, deputada estadual e vice-prefeita, o projeto de candidatura ao Paço ficou mais evidente. A secretária agora avisou que vai brigar pelo posto de prefeiturável e pediu apoio público da bancada verde no Legislativo. Fora do partido, porém, o nome de Regina enfrenta resistência por parte de siglas aliadas.

A escolha final de Lauro ainda deve ser pautada por nova pesquisa eleitoral. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;