Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 21 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Inflação das carnes é destaque na aceleração do IGP-DI de novembro

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

As carnes bovinas foram destaque na Alimentação, com aceleração de 1,07% para 8,00%



09/12/2019 | 10:22


Em meio ao aumento das exportações para a China por causa do impacto da peste suína africana naquele país, a inflação das carnes foi destaque, tanto no atacado quanto no varejo, no Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de novembro. O IGP-DI registrou alta de 0,85% em novembro, após um avanço de 0,55% em outubro, informou mais cedo, nesta segunda-feira, 9, a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Dentro do IPA-DI, que representa o atacado, o subgrupo "alimentos processados" passou de +1,37% em outubro para +4,25% em novembro. Entre as Matérias-Primas Brutas, a variação do preço médio dos bovinos acelerou de 2,85% em outubro para 15,63% em novembro. O preço médio da carne bovina no atacado passou de uma alta de 5,18% em outubro para um salto de 13,73% em novembro.

Também contribuíram para a aceleração do IPA-DI (de 0,84% para 1,11%) os preços do café em grão (-0,83% para 9,63%) e da soja em grão (1,72% para 2,60%). Esses avanços foram compensados pela desaceleração do minério de ferro (-3,01% para -6,75%), do milho em grão (9,54% para 7,19%) e da laranja (8,66% para 4,66%).

O IPC-DI, que apura a evolução de preços no varejo, registrou aceleração na variação de preços em sete das oito classes de despesa, com destaque para Alimentação (-0,28% em outubro para 0,42% em novembro). As carnes bovinas foram destaque na Alimentação, com aceleração de 1,07% para 8,00%. Apenas o corte bovino "alcatra" acelerou de 1,99% em outubro para 11,81% em novembro.

As outras classes do IPC-DI com aceleração foram Habitação (-0,40% para 0,50%), Despesas Diversas (0,38% para 3,14%), Educação, Leitura e Recreação (-0,03% para 0,59%), Transportes (0,20% para 0,33%), Comunicação (-0,09% para 0,14%) e Vestuário (0,13% para 0,26%). Com isso, o IPC-DI saiu de uma deflação de 0,09% em outubro para uma inflação de 0,49% em novembro.

Já a desaceleração no INCC-DI, que mensura o impacto de preços na construção, foi puxada pelos preços dos Materiais e Equipamentos, que passaram de uma alta de 0,50% em outubro para 0,06% em novembro. Os Serviços aceleraram (0,06% para 0,18%), enquanto a componente Mão de Obra "não variou pelo segundo mês consecutivo", informou a FGV. Com isso, o INCC-DI subiu 0,04% em novembro, ante 0,18% no mês anterior.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Inflação das carnes é destaque na aceleração do IGP-DI de novembro

As carnes bovinas foram destaque na Alimentação, com aceleração de 1,07% para 8,00%


09/12/2019 | 10:22


Em meio ao aumento das exportações para a China por causa do impacto da peste suína africana naquele país, a inflação das carnes foi destaque, tanto no atacado quanto no varejo, no Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de novembro. O IGP-DI registrou alta de 0,85% em novembro, após um avanço de 0,55% em outubro, informou mais cedo, nesta segunda-feira, 9, a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Dentro do IPA-DI, que representa o atacado, o subgrupo "alimentos processados" passou de +1,37% em outubro para +4,25% em novembro. Entre as Matérias-Primas Brutas, a variação do preço médio dos bovinos acelerou de 2,85% em outubro para 15,63% em novembro. O preço médio da carne bovina no atacado passou de uma alta de 5,18% em outubro para um salto de 13,73% em novembro.

Também contribuíram para a aceleração do IPA-DI (de 0,84% para 1,11%) os preços do café em grão (-0,83% para 9,63%) e da soja em grão (1,72% para 2,60%). Esses avanços foram compensados pela desaceleração do minério de ferro (-3,01% para -6,75%), do milho em grão (9,54% para 7,19%) e da laranja (8,66% para 4,66%).

O IPC-DI, que apura a evolução de preços no varejo, registrou aceleração na variação de preços em sete das oito classes de despesa, com destaque para Alimentação (-0,28% em outubro para 0,42% em novembro). As carnes bovinas foram destaque na Alimentação, com aceleração de 1,07% para 8,00%. Apenas o corte bovino "alcatra" acelerou de 1,99% em outubro para 11,81% em novembro.

As outras classes do IPC-DI com aceleração foram Habitação (-0,40% para 0,50%), Despesas Diversas (0,38% para 3,14%), Educação, Leitura e Recreação (-0,03% para 0,59%), Transportes (0,20% para 0,33%), Comunicação (-0,09% para 0,14%) e Vestuário (0,13% para 0,26%). Com isso, o IPC-DI saiu de uma deflação de 0,09% em outubro para uma inflação de 0,49% em novembro.

Já a desaceleração no INCC-DI, que mensura o impacto de preços na construção, foi puxada pelos preços dos Materiais e Equipamentos, que passaram de uma alta de 0,50% em outubro para 0,06% em novembro. Os Serviços aceleraram (0,06% para 0,18%), enquanto a componente Mão de Obra "não variou pelo segundo mês consecutivo", informou a FGV. Com isso, o INCC-DI subiu 0,04% em novembro, ante 0,18% no mês anterior.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;