Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 23 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Três PMs são afastados após ação que resultou em morte em Heliópolis



07/12/2019 | 11:28


Três policiais militares envolvidos na ação que resultou em uma morte em Heliópolis, na zona sul de São Paulo, no domingo, 1º, foram afastados.

A Polícia Militar afirma que perseguia um suspeito. A atuação dos agentes na maior favela da capital paulista causou a dispersão de um baile funk que ocorria no local. Imagens divulgadas por moradores mostram PMs encurralando os frequentadores do pancadão em um beco estreito.

A gravação mostra dezenas de pessoas circulando em um beco. Em dado momento, o fluxo começa a andar rapidamente no sentido contrário até não ter mais para onde ir.

À frente do grupo, aparecem dois policiais militares e um deles desfere seguidos golpes de cassetete em pessoas que tentam se proteger; um terceiro policial se junta ao grupo. As agressões continuam até o grupo de pessoas conseguir se deslocar para trás e sair dali.

A operação em Heliópolis foi parecida com a que aconteceu em Paraisópolis no mesmo fim de semana, quando nove pessoas morreram pisoteadas.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo informou neste sábado, 7, que o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, realiza diligências para o esclarecimento dos fatos em Heliópolis.

Na quarta-feira, 4, a Ouvidoria da Polícia informou que solicitou realização de perícia técnica para esclarecimento das circunstâncias em que a perseguição em Heliópolis aconteceu. O suspeito teria sido morto em uma troca de tiros.

A Ouvidoria também instaurou procedimento para apurar eventual abuso de autoridade e agressão no local. O órgão havia pedido à Corregedoria da PM o afastamento dos policiais envolvidos na perseguição e na dispersão da festa.

Outros casos

O caso em Heliópolis é um dos quatro que está sob análise da Ouvidoria diante de indícios de excesso na atuação policial. Os outros são: nove mortes em Paraisópolis; Três mortes que aconteceram na dispersão de um baile em Guarulhos, em novembro do ano passado; O ferimento que deixou uma jovem cega em um evento em Guaianases.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Três PMs são afastados após ação que resultou em morte em Heliópolis


07/12/2019 | 11:28


Três policiais militares envolvidos na ação que resultou em uma morte em Heliópolis, na zona sul de São Paulo, no domingo, 1º, foram afastados.

A Polícia Militar afirma que perseguia um suspeito. A atuação dos agentes na maior favela da capital paulista causou a dispersão de um baile funk que ocorria no local. Imagens divulgadas por moradores mostram PMs encurralando os frequentadores do pancadão em um beco estreito.

A gravação mostra dezenas de pessoas circulando em um beco. Em dado momento, o fluxo começa a andar rapidamente no sentido contrário até não ter mais para onde ir.

À frente do grupo, aparecem dois policiais militares e um deles desfere seguidos golpes de cassetete em pessoas que tentam se proteger; um terceiro policial se junta ao grupo. As agressões continuam até o grupo de pessoas conseguir se deslocar para trás e sair dali.

A operação em Heliópolis foi parecida com a que aconteceu em Paraisópolis no mesmo fim de semana, quando nove pessoas morreram pisoteadas.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo informou neste sábado, 7, que o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, realiza diligências para o esclarecimento dos fatos em Heliópolis.

Na quarta-feira, 4, a Ouvidoria da Polícia informou que solicitou realização de perícia técnica para esclarecimento das circunstâncias em que a perseguição em Heliópolis aconteceu. O suspeito teria sido morto em uma troca de tiros.

A Ouvidoria também instaurou procedimento para apurar eventual abuso de autoridade e agressão no local. O órgão havia pedido à Corregedoria da PM o afastamento dos policiais envolvidos na perseguição e na dispersão da festa.

Outros casos

O caso em Heliópolis é um dos quatro que está sob análise da Ouvidoria diante de indícios de excesso na atuação policial. Os outros são: nove mortes em Paraisópolis; Três mortes que aconteceram na dispersão de um baile em Guarulhos, em novembro do ano passado; O ferimento que deixou uma jovem cega em um evento em Guaianases.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;