Fechar
Publicidade

Sábado, 14 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bezerra: Revisão de subsídios e recursos do Sistema S podem bancar programa



12/11/2019 | 20:42


Incomodados com a taxação do seguro-desemprego, senadores já articulam alterar a medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e trocar a fonte de financiamento do programa apresentado pelo governo para criar empregos no País. Uma das possibilidades citadas pelo líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), é reduzir incentivos tributários e usar recursos do Sistema S para bancar o programa.

Para financiar o custo da contratação de jovens entre 18 e 29 anos, o governo resolveu taxar em 7,5% o seguro-desemprego. Na prática, os desempregados vão bancar o novo programa do governo. Senadores criticaram a medida e sugerem outras fontes de financiamento para não onerar o benefício pago a pessoas que perderam o emprego.

"Nas discussões ocorridas no dia de hoje (terça), se coloca como uma das opções rever alguma renúncia tributária, incentivos, subsídios, e também identificar a possibilidade de parte dos recursos do Sistema S financiar a geração de milhões de empregos para a juventude do Brasil", afirmou Bezerra.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou que ainda não avaliou o conteúdo da medida provisória. "Ainda não consegui interpretar esse texto."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bezerra: Revisão de subsídios e recursos do Sistema S podem bancar programa


12/11/2019 | 20:42


Incomodados com a taxação do seguro-desemprego, senadores já articulam alterar a medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e trocar a fonte de financiamento do programa apresentado pelo governo para criar empregos no País. Uma das possibilidades citadas pelo líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), é reduzir incentivos tributários e usar recursos do Sistema S para bancar o programa.

Para financiar o custo da contratação de jovens entre 18 e 29 anos, o governo resolveu taxar em 7,5% o seguro-desemprego. Na prática, os desempregados vão bancar o novo programa do governo. Senadores criticaram a medida e sugerem outras fontes de financiamento para não onerar o benefício pago a pessoas que perderam o emprego.

"Nas discussões ocorridas no dia de hoje (terça), se coloca como uma das opções rever alguma renúncia tributária, incentivos, subsídios, e também identificar a possibilidade de parte dos recursos do Sistema S financiar a geração de milhões de empregos para a juventude do Brasil", afirmou Bezerra.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou que ainda não avaliou o conteúdo da medida provisória. "Ainda não consegui interpretar esse texto."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;