Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 16 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Árvores quebram calçadas e ruas em S.Bernardo

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Moradores do bairro Assunção aguardam há anos por remoção de dois exemplares da espécie ficus


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

09/10/2019 | 07:00


Moradores da Rua Santiago, no bairro Assunção, em São Bernardo, aguardam há pelo menos sete anos que a Prefeitura remova e substitua duas árvores da espécie ficus (ou ficus benjamina), que quebraram a calçada de suas casas, causando rachaduras em muros e até nas garagens dos imóveis. Apesar de já haver autorização da administração para a retirada dos espécimes, nada foi feito até o momento.

Moradora do número 1.115, a dona de casa aposentada Rachel Batista Pereira Lopes, 71, relatou que durante reforma em sua casa achou pedaços da raiz da árvore quando os pedreiros cavaram no piso da sala. “Inclusive essas rachaduras na garagem, meu marido tem certeza que são causadas pela movimentação das raízes”, relatou. A munícipe afirmou que já foi até acordado com o vizinho que a nova árvore será plantada na divisa entre os dois terrenos. “Não temos problemas com árvores. Mas essa está destruindo tudo”, reclamou.

Poucos metros à frente, a moradora do número 1.127, a dona de casa Lydia Silva Pereira Leite, 79, solicitou, em 2017, a remoção da árvore, que inclusive já foi autorizada pela Prefeitura. “Sempre que eu ligo cobrando o serviço informaram que não têm equipe disponível e que está na fila”, contou.

A demora na remoção já trouxe inúmeros problemas a Lydia. Além da calçada danificada e do muro rachado, uma idosa sofreu queda devido ao desnível do piso e o filho da vítima abriu processo no Juizado de Pequenas Causas contra a moradora. “Expliquei que a culpa não é minha, mas olha a dor de cabeça.”

Além das árvores, moradores também reclamam de desnível na rua entre os dois espécimes, problema que também pode estar associado ao avanço das raízes das árvores. Segundo eles, a situação tem resultado em rachaduras no imóvel de número 1.119. “O impacto dos ônibus e caminhões está danificando as paredes”, alegou o engenheiro aposentado Ivan Baruque, 79.

Em nota, a Prefeitura de São Bernardo informou que as árvores serão substituídas em até 20 dias úteis, uma vez que, conforme laudo técnico já emitido, causaram danos em grandes proporções ao passeio público.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Árvores quebram calçadas e ruas em S.Bernardo

Moradores do bairro Assunção aguardam há anos por remoção de dois exemplares da espécie ficus

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

09/10/2019 | 07:00


Moradores da Rua Santiago, no bairro Assunção, em São Bernardo, aguardam há pelo menos sete anos que a Prefeitura remova e substitua duas árvores da espécie ficus (ou ficus benjamina), que quebraram a calçada de suas casas, causando rachaduras em muros e até nas garagens dos imóveis. Apesar de já haver autorização da administração para a retirada dos espécimes, nada foi feito até o momento.

Moradora do número 1.115, a dona de casa aposentada Rachel Batista Pereira Lopes, 71, relatou que durante reforma em sua casa achou pedaços da raiz da árvore quando os pedreiros cavaram no piso da sala. “Inclusive essas rachaduras na garagem, meu marido tem certeza que são causadas pela movimentação das raízes”, relatou. A munícipe afirmou que já foi até acordado com o vizinho que a nova árvore será plantada na divisa entre os dois terrenos. “Não temos problemas com árvores. Mas essa está destruindo tudo”, reclamou.

Poucos metros à frente, a moradora do número 1.127, a dona de casa Lydia Silva Pereira Leite, 79, solicitou, em 2017, a remoção da árvore, que inclusive já foi autorizada pela Prefeitura. “Sempre que eu ligo cobrando o serviço informaram que não têm equipe disponível e que está na fila”, contou.

A demora na remoção já trouxe inúmeros problemas a Lydia. Além da calçada danificada e do muro rachado, uma idosa sofreu queda devido ao desnível do piso e o filho da vítima abriu processo no Juizado de Pequenas Causas contra a moradora. “Expliquei que a culpa não é minha, mas olha a dor de cabeça.”

Além das árvores, moradores também reclamam de desnível na rua entre os dois espécimes, problema que também pode estar associado ao avanço das raízes das árvores. Segundo eles, a situação tem resultado em rachaduras no imóvel de número 1.119. “O impacto dos ônibus e caminhões está danificando as paredes”, alegou o engenheiro aposentado Ivan Baruque, 79.

Em nota, a Prefeitura de São Bernardo informou que as árvores serão substituídas em até 20 dias úteis, uma vez que, conforme laudo técnico já emitido, causaram danos em grandes proporções ao passeio público.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;