Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 17 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

TCE reprova pela segunda vez as contas de Zé Nelson

Corte dá parecer desfavorável aos gastos de 2015; há duas semanas, rejeitou os de 2016


Júnior Carvalho
Do dgabc.com.br

04/09/2019 | 07:00


O TCE (Tribunal de Contas do Estado) rejeitou ontem, pela segunda vez consecutiva e em menos de duas semanas, contas da Câmara de Ribeirão Pires referentes ao exercício de 2015, ano em que a casa era presidida pelo vereador José Nelson de Barros (MDB).

Os motivos que levaram à rejeição dos gastos são exatamente os mesmos que resultaram no revés de 15 dias atrás, nas contas de 2016: despesas com combustível usado pela frota da casa, excesso de cargos comissionados e adiantamento salarial aos parlamentares.

O conselheiro Renato Martins Costa destacou a disparidade entre o total de funcionários de carreira e os apadrinhados: 24 a 63. Também criticou a exigência de escolaridade mínima para ocupar os cargos comissionados. “A graduação exigida para (ocupar) determinados casos de cargos comissionados é limitada a (possuir) ensino médio, o que é incompatível com as atividades. As falhas consistem em apontamento em 2012, 2013 e 2014”, frisou o conselheiro.

Questionado há duas semanas, Zé Nelson admitiu as irregularidades e minimizou o fato de as rejeições o tornarem inelegíveis, com base na Lei da Ficha Limpa. “Se não conseguir uma outra vez (ser vereador), não tem problema.”
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

TCE reprova pela segunda vez as contas de Zé Nelson

Corte dá parecer desfavorável aos gastos de 2015; há duas semanas, rejeitou os de 2016

Júnior Carvalho
Do dgabc.com.br

04/09/2019 | 07:00


O TCE (Tribunal de Contas do Estado) rejeitou ontem, pela segunda vez consecutiva e em menos de duas semanas, contas da Câmara de Ribeirão Pires referentes ao exercício de 2015, ano em que a casa era presidida pelo vereador José Nelson de Barros (MDB).

Os motivos que levaram à rejeição dos gastos são exatamente os mesmos que resultaram no revés de 15 dias atrás, nas contas de 2016: despesas com combustível usado pela frota da casa, excesso de cargos comissionados e adiantamento salarial aos parlamentares.

O conselheiro Renato Martins Costa destacou a disparidade entre o total de funcionários de carreira e os apadrinhados: 24 a 63. Também criticou a exigência de escolaridade mínima para ocupar os cargos comissionados. “A graduação exigida para (ocupar) determinados casos de cargos comissionados é limitada a (possuir) ensino médio, o que é incompatível com as atividades. As falhas consistem em apontamento em 2012, 2013 e 2014”, frisou o conselheiro.

Questionado há duas semanas, Zé Nelson admitiu as irregularidades e minimizou o fato de as rejeições o tornarem inelegíveis, com base na Lei da Ficha Limpa. “Se não conseguir uma outra vez (ser vereador), não tem problema.”
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;