Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Teatral, Chilavert cospe em Roberto Carlos ao final do jogo


Fernão Silveira
Do Diário OnLine

16/08/2001 | 00:29


Catimbeiro, polêmico e teatral como sempre, o goleiro Jose Luiz Chilavert (Racing Strasbourg, França) procurou briga com os jogadores da Seleção durante todo o jogo entre Brasil e Paraguai, nesta quarta-feira, e quase arranjou confusão com o lateral Roberto Carlos. Depois do apito final do árbitro alemão Helmut Krug, o arqueiro deu uma cusparada no atleta do Real Madrid e provocou um princípio de tumulto no gramado do Olímpico.

Sem camisa e segurando um uniforme da seleção paraguaia, Roberto Carlos foi cumprimentar Chilavert, depois de um jogo cheio de provocações. O paraguaio deu uma peitada no brasileiro e disparou uma cusparada no olho do lateral.

Representantes da organização do jogo, vestidos com ternos que levavam o emblema do Grêmio de Futebol Porto-Alegrense, atuaram no “deixa-disso” e conduziram Roberto Carlos para o vestiário, enquanto Chilavert saia do campo com pose de destemido.

“Ele está em final de carreira. Tem muita história para contar. Venci ele todas as vezes em que o enfrentei. Está na hora de parar”, provocou Roberto Carlos em entrevista à Rede Globo. “Espero que a Sul-Americana veja a cena e possa multá-lo. Que isso sirva de exemplo para outros profissionais”, afirmou à TV Bandeirantes.

Chilavert afirmou, na entrevista coletiva realizada após o jogo, que cuspiu em Roberto Carlos porque foi ofendido pelo lateral. Segundo o goleiro, o brasileiro chamou-o de “filho da p.” diversas vezes.

Quilos e terras - Chilavert abusou da catimba em toda a sua estadia no Brasil para o jogo das Eliminatórias. Em entrevistas coletivas, o goleiro disse “pesar 250 quilos” – respondendo ao técnico Luiz Felipe Scolari, que afirmou estar na casa dos 400 kg o peso do goleiro – e reivindicou a devolução de “terras paraguaias roubadas pelo Brasil na Guerra do Paraguai”.

Durante o jogo, não foi diferente. Chilavert provocou os jogadores brasileiros a arriscar tiros de longa distância – seguindo a orientação de Felipão, ao comentar sobre os “400 quilos” do goleiro. O teatro incluiu ainda gestos exagerados ao juiz Krug na reclamação procedente de um pênalti cometido por Rivaldo no começo do segundo tempo, quando a bola tocou em sua mão dentro da área.

Antes do entrevero com Roberto Carlos, Chilavert tentou plantar um arranca-rabo com o zagueiro Juan. Em um lance normal dentro da área, quando o defensor do Flamengo chocou-se no ar contra ele, o goleiro saiu correndo atrás do brasileiro para tirar satisfação.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Teatral, Chilavert cospe em Roberto Carlos ao final do jogo

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, acesse com:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;