Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 18 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Força Nacional cerca prédio do MEC em véspera de protesto contra cortes



14/05/2019 | 17:01


O prédio do Ministério da Educação (MEC) está desde o início da manhã desta terça-feira, 14, cercado por homens da Força Nacional. A solicitação da segurança extra foi feita pelo próprio MEC, por causa do protesto contra o contingenciamento de R$ 7 bilhões no setor, previsto para quarta. Os portões de entrada do prédio permaneceram fechados desde o início do dia.

"Temos de estar preparados para evitar qualquer tipo de problema. Simples assim", afirmou o secretário executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel. "Sempre quando tem uma manifestação, todas as áreas do governo se preparam para evitar dano ao patrimônio e danos às pessoas, as forças estaduais acompanham", completou.

Questionado sobre a greve, o ministro Abraham Weintraub não quis falar sobre o tema. Vogel, por sua vez, disse não estar acompanhando o movimento. O secretário-executivo também evitou dizer se há possibilidade de retaliação a dirigentes ou universidades que forem palco de manifestações contra o governo.

Há duas semanas, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o ministro ameaçou a retirada de verba discricionária de universidades que fizessem "balbúrdia". Na ocasião, ele citou a Universidade Federal da Bahia, a Universidade Federal Fluminense e Universidade de Brasília.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Força Nacional cerca prédio do MEC em véspera de protesto contra cortes


14/05/2019 | 17:01


O prédio do Ministério da Educação (MEC) está desde o início da manhã desta terça-feira, 14, cercado por homens da Força Nacional. A solicitação da segurança extra foi feita pelo próprio MEC, por causa do protesto contra o contingenciamento de R$ 7 bilhões no setor, previsto para quarta. Os portões de entrada do prédio permaneceram fechados desde o início do dia.

"Temos de estar preparados para evitar qualquer tipo de problema. Simples assim", afirmou o secretário executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel. "Sempre quando tem uma manifestação, todas as áreas do governo se preparam para evitar dano ao patrimônio e danos às pessoas, as forças estaduais acompanham", completou.

Questionado sobre a greve, o ministro Abraham Weintraub não quis falar sobre o tema. Vogel, por sua vez, disse não estar acompanhando o movimento. O secretário-executivo também evitou dizer se há possibilidade de retaliação a dirigentes ou universidades que forem palco de manifestações contra o governo.

Há duas semanas, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o ministro ameaçou a retirada de verba discricionária de universidades que fizessem "balbúrdia". Na ocasião, ele citou a Universidade Federal da Bahia, a Universidade Federal Fluminense e Universidade de Brasília.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;