Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 20 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Tiago Iorc tem volta triunfal com
recorde no top Spotify Brasil

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Depois de período sabático das redes sociais, Tiago Iorc faz seu retorno virtual e lança álbum


Lorena S. Ávila
Especial para o Diário

11/05/2019 | 10:00


Após um ano sem utilizar as redes sociais, fazer aparições na mídia nem lançar músicas inéditas, o cantor e compositor Tiago Iorc fez seu retorno virtual ao lançar o álbum audiovisual Reconstrução, que conta com 13 faixas e 13 clipes. A união das canções e dos vídeos na sequência forma um filme romântico protagonizado por ele e a modelo Michele Alves. E a volta foi triunfal: em apenas 24 horas, o cantor bateu recorde e se tornou o artista com todas as músicas emplacadas no Top 50 Spotify Brasil.

No tempo em que esteve ausente, Tiago Iorc se dedicou à sua arte e a desenvolver todo o conceito que imprimiu no novo álbum, já que também dirigiu e editou cada vídeo, junto com o diretor Rafael Trindade. O resultado do projeto são composições belíssimas, que exploram os sentidos auditivo e visual de modo equilibrado. A fotografia dos vídeos garante uma boa estética e as cenas narram bem a história, fazendo uso de metáforas e simbolismos. A atuação de Michele surpreende e a química entre os dois é excelente.

Reconstrução fala ao coração de qualquer pessoa, até mesmo aquelas que jamais escutaram Tiago Iorc. Isso porque provoca uma reflexão profunda acerca da vida a dois, das alegrias e tristezas divididas em momentos inesquecíveis, que marcam para sempre os indivíduos. Não só isso: é enfática a abordagem da solidão, período de reclusão que pode ser encarado como uma oportunidade de praticar o autoconhecimento e se redescobrir como um ser completo, feliz e livre.

A MPB de Tiago tem ritmo agradável e envolvente, as faixas são lentas e ao mesmo tempo dançantes. Poéticas, as letras têm um teor filosófico, que transporta o ouvinte para a realidade menos atrativa do que a vida ‘instagramável’, mas mais palpável e verdadeira, onde encontra-se o seu eu despido de fantasias e mentiras.

A primeira canção, Desconstrução, apresenta crítica reflexiva sobre a busca pelo preenchimento de um vazio contínuo, que o ser humano tenta curar com o mundano. A personagem se observa através de um enorme espelho, que representa a tela de um celular, e, reflete o que ela é e o que se força a ser em meio a uma sociedade fútil e carente.

O filme parece ser uma coletânea de memórias da protagonista, que em um processo de transformação, após o término do relacionamento, refaz no pensamento todos os passos que a guiou até aquele instante. Os clipes em que a personagem se encontra sozinha representam o presente, a batalha interna, a superação e a ‘reconstrução’ do seu ser.

Já as lembranças ficam divididas em três partes, sendo elas, de trás para frente, na ordem da playlist: o sofrimento pós-separação, marcado pelos clipes Hoje Lembrei do Teu Amor, Deitada Nessa Cama e Fuzuê. A intimidade e a química a partir da convivência, com Faz e Tangerina, que, inclusive, tem um toque erótico e, por último, os dois se apaixonando, nas canções Nessa Paz eu Vou, Tua Caramassa e Me Tira Pra Dançar.

O processo de reconexão consigo, de compreender-se enquanto inteiro, que soma ao outro, e não uma metade, é dolorido e difícil, mas fortalecedor. A ideia é resgatada pela canção Laços, que traz a protagonista novamente no ponto da Desconstrução, dessa vez desejando o recomeço e preparada para vivê-lo.

O encerramento é a retomada da memória ao momento do término, que fica a cargo de duas das canções mais fortes que Tiago compôs: A Vida Nunca Cansa e Bilhetes, que evocam todo sofrimento da ruptura com bastante expressividade. Para finalizar, a música Sei é o momento que a personagem se refaz e se liberta, retomando o caminho e seguindo em frente.

Reconstrução é uma obra a ser apreciada, sentida e levada a sério por todos que entendem a necessidade de se distanciar do mundo das aparências, de juntar todos os cacos e renascer para um novo capítulo da própria história. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tiago Iorc tem volta triunfal com
recorde no top Spotify Brasil

Depois de período sabático das redes sociais, Tiago Iorc faz seu retorno virtual e lança álbum

Lorena S. Ávila
Especial para o Diário

11/05/2019 | 10:00


Após um ano sem utilizar as redes sociais, fazer aparições na mídia nem lançar músicas inéditas, o cantor e compositor Tiago Iorc fez seu retorno virtual ao lançar o álbum audiovisual Reconstrução, que conta com 13 faixas e 13 clipes. A união das canções e dos vídeos na sequência forma um filme romântico protagonizado por ele e a modelo Michele Alves. E a volta foi triunfal: em apenas 24 horas, o cantor bateu recorde e se tornou o artista com todas as músicas emplacadas no Top 50 Spotify Brasil.

No tempo em que esteve ausente, Tiago Iorc se dedicou à sua arte e a desenvolver todo o conceito que imprimiu no novo álbum, já que também dirigiu e editou cada vídeo, junto com o diretor Rafael Trindade. O resultado do projeto são composições belíssimas, que exploram os sentidos auditivo e visual de modo equilibrado. A fotografia dos vídeos garante uma boa estética e as cenas narram bem a história, fazendo uso de metáforas e simbolismos. A atuação de Michele surpreende e a química entre os dois é excelente.

Reconstrução fala ao coração de qualquer pessoa, até mesmo aquelas que jamais escutaram Tiago Iorc. Isso porque provoca uma reflexão profunda acerca da vida a dois, das alegrias e tristezas divididas em momentos inesquecíveis, que marcam para sempre os indivíduos. Não só isso: é enfática a abordagem da solidão, período de reclusão que pode ser encarado como uma oportunidade de praticar o autoconhecimento e se redescobrir como um ser completo, feliz e livre.

A MPB de Tiago tem ritmo agradável e envolvente, as faixas são lentas e ao mesmo tempo dançantes. Poéticas, as letras têm um teor filosófico, que transporta o ouvinte para a realidade menos atrativa do que a vida ‘instagramável’, mas mais palpável e verdadeira, onde encontra-se o seu eu despido de fantasias e mentiras.

A primeira canção, Desconstrução, apresenta crítica reflexiva sobre a busca pelo preenchimento de um vazio contínuo, que o ser humano tenta curar com o mundano. A personagem se observa através de um enorme espelho, que representa a tela de um celular, e, reflete o que ela é e o que se força a ser em meio a uma sociedade fútil e carente.

O filme parece ser uma coletânea de memórias da protagonista, que em um processo de transformação, após o término do relacionamento, refaz no pensamento todos os passos que a guiou até aquele instante. Os clipes em que a personagem se encontra sozinha representam o presente, a batalha interna, a superação e a ‘reconstrução’ do seu ser.

Já as lembranças ficam divididas em três partes, sendo elas, de trás para frente, na ordem da playlist: o sofrimento pós-separação, marcado pelos clipes Hoje Lembrei do Teu Amor, Deitada Nessa Cama e Fuzuê. A intimidade e a química a partir da convivência, com Faz e Tangerina, que, inclusive, tem um toque erótico e, por último, os dois se apaixonando, nas canções Nessa Paz eu Vou, Tua Caramassa e Me Tira Pra Dançar.

O processo de reconexão consigo, de compreender-se enquanto inteiro, que soma ao outro, e não uma metade, é dolorido e difícil, mas fortalecedor. A ideia é resgatada pela canção Laços, que traz a protagonista novamente no ponto da Desconstrução, dessa vez desejando o recomeço e preparada para vivê-lo.

O encerramento é a retomada da memória ao momento do término, que fica a cargo de duas das canções mais fortes que Tiago compôs: A Vida Nunca Cansa e Bilhetes, que evocam todo sofrimento da ruptura com bastante expressividade. Para finalizar, a música Sei é o momento que a personagem se refaz e se liberta, retomando o caminho e seguindo em frente.

Reconstrução é uma obra a ser apreciada, sentida e levada a sério por todos que entendem a necessidade de se distanciar do mundo das aparências, de juntar todos os cacos e renascer para um novo capítulo da própria história. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;