Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 23 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Pró-Família ofertará crédito e remédio

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

São Caetano amplia programa social para microempreendedor e auxílio-medicamento para idosos


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

04/05/2019 | 07:00


A Prefeitura de São Caetano vai ampliar a oferta de serviços do Programa Pró-Família, disponibilizando auxílio para compra de medicamentos e crédito para MEIs (Microempreendedores Individuais) do município.

O aporte para aquisição de remédios resgata linha já oferecida no passado. Já o empréstimo para fomentar a microeconomia municipal é inédito. Hoje são dez serviços à disposição, entre eles ajuda a afetados por enchentes.

Segundo o prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), o auxílio medicamento deve ter início com base de 1.000 inscritos, selecionados por critério etário (idosos) e social (de baixa renda). Haverá cadastro de farmácias privadas para aceitação do benefício.

“Antigamente atendíamos 3.000 pessoas, com R$ 60 mensais para ajuda na compra dos remédios. Ainda não fechamos o valor, mas deve ficar em R$ 75 por mês e com outros critérios adotados”, disse o tucano, ao Diário.

Nos primeiros moldes, o auxílio possibilitava o morador comprar itens de perfumaria. Desta vez, segundo Auricchio, será restrito a medicamentos. “Queremos também ter olhar técnico nessa questão, priorizando o morador que foi diagnosticado com patologia que se agravam por falta de remédio.”

Sobre a linha de crédito a MEIs, a meta é dar fôlego à microeconomia de São Caetano. Nas contas da administração, são 9.000 microempreendedores individuais na cidade e a tendência é de crescimento deste número devido à crise econômica nacional, com enxugamento de postos de trabalho com carteira assinada.

“Imaginamos que entre 10% e 15% dos MEIs possam aderir ao programa, chegando a aproximadamente 2.000 beneficiários. Ainda faremos estudo técnico do impacto econômico que a medida trará, mas certamente impactará”, discorreu Auricchio.

Serão duas linhas de crédito oferecidas pela Prefeitura. Uma para capital de giro, suporte para início da atividade econômica, e outra de investimento, com incremento do trabalho já executado.

O Palácio da Cerâmica estima fixar entre R$ 1.000 e R$ 3.000 o valor do empréstimo, com juros semelhantes aos praticados pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), atualmente na casa dos 5% ao ano. O microempreendedor terá de 12 a 24 meses de carência e poderá quitar sua dívida em 60 meses. No total, R$ 2 milhões serão reservados do orçamento para essa linha do Pró-Família.

“A parcela é mínima. No MEI, colocar R$ 2.000, por exemplo, na mão dele há um incremento significativo. Dá para mudar a vida do empreendedor que trabalha na garagem de casa. Também há perspectiva de geração de emprego, pois esse MEI pode contratar alguém para auxiliá-lo. A expectativa é bacana”, afirmou Auricchio.

A meta é lançar oficialmente as duas linhas do Pró-Família no aniversário de São Caetano, em 28 de julho.

‘Bom cenário pode durar décadas’

O prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), acredita que a situação financeira da cidade, hoje equilibrada e possibilitando até investimento próprio em várias frentes – como economia local e obras –, pode durar décadas “se nenhuma ação populista” for tomada nos próximos anos.

Auricchio chegou ao terceiro mandato, em 2017, com críticas ao cenário financeiro municipal. Houve corte de gastos, congelamento de orçamento, redução de pessoal, além do desmembramento da taxa do lixo do carnê do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), atualmente cobrado pelo Saesa (Sistema de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental), algo que gerou críticas em um primeiro momento.

“Temos um equilíbrio na execução de limpeza pública com essa mudança porque antes havia falsa impressão de equação desta conta. O dinheiro entrava na receita corrente líquida e se perdia nas obrigações constitucionais de (investimento em) Educação e Saúde”, defendeu. “Se não tiver nenhum prefeito novo com ações populistas, São Caetano tem perenidade (financeira) para décadas.”

Auricchio lembrou do acerto de investimentos da GM (General Motors) e política para fomento da microeconomia como pilares para sustentar o otimismo com o cenário financeiro de São Caetano. “Há círculo virtuoso na cidade. O próximo prefeito poderá quebrar a cabeça para onde colocar dinheiro. É que a economia nacional está claudicante, vai nos deixando ancorado para baixo. Se melhorar (a economia do Brasil), o cenário melhora ainda mais”, avaliou.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pró-Família ofertará crédito e remédio

São Caetano amplia programa social para microempreendedor e auxílio-medicamento para idosos

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

04/05/2019 | 07:00


A Prefeitura de São Caetano vai ampliar a oferta de serviços do Programa Pró-Família, disponibilizando auxílio para compra de medicamentos e crédito para MEIs (Microempreendedores Individuais) do município.

O aporte para aquisição de remédios resgata linha já oferecida no passado. Já o empréstimo para fomentar a microeconomia municipal é inédito. Hoje são dez serviços à disposição, entre eles ajuda a afetados por enchentes.

Segundo o prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), o auxílio medicamento deve ter início com base de 1.000 inscritos, selecionados por critério etário (idosos) e social (de baixa renda). Haverá cadastro de farmácias privadas para aceitação do benefício.

“Antigamente atendíamos 3.000 pessoas, com R$ 60 mensais para ajuda na compra dos remédios. Ainda não fechamos o valor, mas deve ficar em R$ 75 por mês e com outros critérios adotados”, disse o tucano, ao Diário.

Nos primeiros moldes, o auxílio possibilitava o morador comprar itens de perfumaria. Desta vez, segundo Auricchio, será restrito a medicamentos. “Queremos também ter olhar técnico nessa questão, priorizando o morador que foi diagnosticado com patologia que se agravam por falta de remédio.”

Sobre a linha de crédito a MEIs, a meta é dar fôlego à microeconomia de São Caetano. Nas contas da administração, são 9.000 microempreendedores individuais na cidade e a tendência é de crescimento deste número devido à crise econômica nacional, com enxugamento de postos de trabalho com carteira assinada.

“Imaginamos que entre 10% e 15% dos MEIs possam aderir ao programa, chegando a aproximadamente 2.000 beneficiários. Ainda faremos estudo técnico do impacto econômico que a medida trará, mas certamente impactará”, discorreu Auricchio.

Serão duas linhas de crédito oferecidas pela Prefeitura. Uma para capital de giro, suporte para início da atividade econômica, e outra de investimento, com incremento do trabalho já executado.

O Palácio da Cerâmica estima fixar entre R$ 1.000 e R$ 3.000 o valor do empréstimo, com juros semelhantes aos praticados pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), atualmente na casa dos 5% ao ano. O microempreendedor terá de 12 a 24 meses de carência e poderá quitar sua dívida em 60 meses. No total, R$ 2 milhões serão reservados do orçamento para essa linha do Pró-Família.

“A parcela é mínima. No MEI, colocar R$ 2.000, por exemplo, na mão dele há um incremento significativo. Dá para mudar a vida do empreendedor que trabalha na garagem de casa. Também há perspectiva de geração de emprego, pois esse MEI pode contratar alguém para auxiliá-lo. A expectativa é bacana”, afirmou Auricchio.

A meta é lançar oficialmente as duas linhas do Pró-Família no aniversário de São Caetano, em 28 de julho.

‘Bom cenário pode durar décadas’

O prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), acredita que a situação financeira da cidade, hoje equilibrada e possibilitando até investimento próprio em várias frentes – como economia local e obras –, pode durar décadas “se nenhuma ação populista” for tomada nos próximos anos.

Auricchio chegou ao terceiro mandato, em 2017, com críticas ao cenário financeiro municipal. Houve corte de gastos, congelamento de orçamento, redução de pessoal, além do desmembramento da taxa do lixo do carnê do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), atualmente cobrado pelo Saesa (Sistema de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental), algo que gerou críticas em um primeiro momento.

“Temos um equilíbrio na execução de limpeza pública com essa mudança porque antes havia falsa impressão de equação desta conta. O dinheiro entrava na receita corrente líquida e se perdia nas obrigações constitucionais de (investimento em) Educação e Saúde”, defendeu. “Se não tiver nenhum prefeito novo com ações populistas, São Caetano tem perenidade (financeira) para décadas.”

Auricchio lembrou do acerto de investimentos da GM (General Motors) e política para fomento da microeconomia como pilares para sustentar o otimismo com o cenário financeiro de São Caetano. “Há círculo virtuoso na cidade. O próximo prefeito poderá quebrar a cabeça para onde colocar dinheiro. É que a economia nacional está claudicante, vai nos deixando ancorado para baixo. Se melhorar (a economia do Brasil), o cenário melhora ainda mais”, avaliou.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;