Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 23 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Reforma da Previdência sai em setembro, diz Major Olímpio

Reprodução/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Senador reconhece ‘percalços’, mas prevê que proposta seja votada na Câmara até julho


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

04/05/2019 | 07:00


Defensor ferrenho do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), o senador Major Olímpio (PSL) estima que a votação da reforma da Previdência seja concluída, nas duas casas, até setembro. Ao Diário, o parlamentar disse acreditar que a tramitação da proposta na Câmara termine em julho e, na sequência, o debate vá ao Senado.

Olímpio reconheceu, porém, o que chamou de “percalços” e os “próprios tropeços” dos governistas no debate sobre a medida. “Vamos ter nova Previdência a partir de setembro, com o pé no chão. Sem ser otimista ou pessimista. Com uma oposição ferrenha, com debates intensos, mas em uma programação razoável, nós terminamos o semestre com a votação na Câmara”, avaliou. “Quando chegar ao Senado já vai estar tudo mastigado. Aí teremos alterações pontuais. E, no Senado, tem ex-governadores, ex-vice-governadores, ex-prefeitos de capitais, pessoas com experiência na administração pública que sabem o tamanho da dificuldade hoje para o País”, emendou o senador.

Para o parlamentar, porém, o Palácio do Planalto está errando na comunicação sobre a reforma. “Isso eu digo o tempo todo. Sou aliado do Bolsonaro de primeira hora, (o presidente é) meu amigo e meu irmão. Mas a comunicação do governo está péssima. Falta comunicar o seo Zé e a dona Maria o que é de fato a nova Previdência. Não adianta ir à TV falar o ‘economês’”, criticou.

A reforma da Previdência do governo Bolsonaro superou a primeira etapa no dia 23, quando a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara aprovou sua admissibilidade. Entretanto, a tramitação da proposta segue em passos lentos na comissão especial, onde o texto receberá possíveis sugestões para alteração. “Vai alinhar, eu não tenho a menor dúvida, nós vamos votar a reforma da Previdência. Agora como é uma casa política, você tem uma série de percalços. Muitas vezes, a oposição consegue ter vitórias e tantas outras, nós mesmos tropeçamos nas nossas próprias pernas”, disse o senador, que esteve ontem em São Caetano participando de palestra sobre segurança pública.

CRISE NO PSL
Olímpio minimizou ainda as denúncias que pesam contra o PSL, sobre acusações de uso de candidaturas ‘laranjas’ nas eleições de 2018. “Não acredito que contamine o governo. A Polícia Federal está apurando irregularidades em relação ao partido. Nós teremos o esclarecimento disso. Eu não defendo o indefensável, mas também não pré-julgo”, contemporizou, ao rechaçar a possibilidade de Bolsonaro deixar o PSL. “O presidente nunca disse isso. De jeito nenhum. Seria morar sozinho e fugir de casa. Ele é o dono. Como ele vai sair uma coisa que é dele? É mais fácil tirar o que não presta e seguir em frente.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Reforma da Previdência sai em setembro, diz Major Olímpio

Senador reconhece ‘percalços’, mas prevê que proposta seja votada na Câmara até julho

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

04/05/2019 | 07:00


Defensor ferrenho do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), o senador Major Olímpio (PSL) estima que a votação da reforma da Previdência seja concluída, nas duas casas, até setembro. Ao Diário, o parlamentar disse acreditar que a tramitação da proposta na Câmara termine em julho e, na sequência, o debate vá ao Senado.

Olímpio reconheceu, porém, o que chamou de “percalços” e os “próprios tropeços” dos governistas no debate sobre a medida. “Vamos ter nova Previdência a partir de setembro, com o pé no chão. Sem ser otimista ou pessimista. Com uma oposição ferrenha, com debates intensos, mas em uma programação razoável, nós terminamos o semestre com a votação na Câmara”, avaliou. “Quando chegar ao Senado já vai estar tudo mastigado. Aí teremos alterações pontuais. E, no Senado, tem ex-governadores, ex-vice-governadores, ex-prefeitos de capitais, pessoas com experiência na administração pública que sabem o tamanho da dificuldade hoje para o País”, emendou o senador.

Para o parlamentar, porém, o Palácio do Planalto está errando na comunicação sobre a reforma. “Isso eu digo o tempo todo. Sou aliado do Bolsonaro de primeira hora, (o presidente é) meu amigo e meu irmão. Mas a comunicação do governo está péssima. Falta comunicar o seo Zé e a dona Maria o que é de fato a nova Previdência. Não adianta ir à TV falar o ‘economês’”, criticou.

A reforma da Previdência do governo Bolsonaro superou a primeira etapa no dia 23, quando a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara aprovou sua admissibilidade. Entretanto, a tramitação da proposta segue em passos lentos na comissão especial, onde o texto receberá possíveis sugestões para alteração. “Vai alinhar, eu não tenho a menor dúvida, nós vamos votar a reforma da Previdência. Agora como é uma casa política, você tem uma série de percalços. Muitas vezes, a oposição consegue ter vitórias e tantas outras, nós mesmos tropeçamos nas nossas próprias pernas”, disse o senador, que esteve ontem em São Caetano participando de palestra sobre segurança pública.

CRISE NO PSL
Olímpio minimizou ainda as denúncias que pesam contra o PSL, sobre acusações de uso de candidaturas ‘laranjas’ nas eleições de 2018. “Não acredito que contamine o governo. A Polícia Federal está apurando irregularidades em relação ao partido. Nós teremos o esclarecimento disso. Eu não defendo o indefensável, mas também não pré-julgo”, contemporizou, ao rechaçar a possibilidade de Bolsonaro deixar o PSL. “O presidente nunca disse isso. De jeito nenhum. Seria morar sozinho e fugir de casa. Ele é o dono. Como ele vai sair uma coisa que é dele? É mais fácil tirar o que não presta e seguir em frente.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;