Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Justiça de Mauá nega de novo pedido para barrar impeachment de Atila

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prefeito, que será julgado na quinta-feira pela Câmara, sofre nova derrota jurídica


Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

16/04/2019 | 18:39


 A Justiça de Mauá negou de novo, na tarde desta terça-feira, pedido do prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), para anular um dos processos de impeachment que tramitam contra ele na Câmara, o que trata de suposta vacância do posto. O juiz Thiago Elias Massad, da 2ª Vara Cível do município, não acatou os argumentos da defesa do socialista e decidiu extinguir o processo sem apreciar o mérito. Na prática, impôs nova derrota jurídica a Atila e permitiu a tramitação da denúncia, a dois dias de os pareceres pela cassação do socialista irem a plenário - a votação será na quinta-feira, às 10h.

O juiz também afastou o pedido da defesa de Atila para afastar os vereadores do processo porque, segundo o prefeito, também são investigados pela Operação Trato Feito - são acusados de receber Mensalinho do governo em troca de apoio político. "O impetrante, no mérito dos processos de cassação deflagrados, nega, taxativamente, a prática de atos, bem como envolvimento em esquemas de corrupção. Ora, em se admitindo, por hipótese, ser verdadeira a alegação referente à inexistência de tais práticas, por conclusão lógica, não se há de falar em suspeição ou impedimento dos parlamentares locais para julgá-lo, pois, repita-se, o impetrante sempre negou a ocorrência de qualquer ato de corrupção,bem como, à evidência, por consequência, nunca reconheceu a ocorrência de pagamento aos vereadores locais", diz trecho da decisão.

Atila também tenta brecar a denúncia que trata de quebra de decoro, mas ainda não há desfecho para esse processo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Justiça de Mauá nega de novo pedido para barrar impeachment de Atila

Prefeito, que será julgado na quinta-feira pela Câmara, sofre nova derrota jurídica

Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

16/04/2019 | 18:39


 A Justiça de Mauá negou de novo, na tarde desta terça-feira, pedido do prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), para anular um dos processos de impeachment que tramitam contra ele na Câmara, o que trata de suposta vacância do posto. O juiz Thiago Elias Massad, da 2ª Vara Cível do município, não acatou os argumentos da defesa do socialista e decidiu extinguir o processo sem apreciar o mérito. Na prática, impôs nova derrota jurídica a Atila e permitiu a tramitação da denúncia, a dois dias de os pareceres pela cassação do socialista irem a plenário - a votação será na quinta-feira, às 10h.

O juiz também afastou o pedido da defesa de Atila para afastar os vereadores do processo porque, segundo o prefeito, também são investigados pela Operação Trato Feito - são acusados de receber Mensalinho do governo em troca de apoio político. "O impetrante, no mérito dos processos de cassação deflagrados, nega, taxativamente, a prática de atos, bem como envolvimento em esquemas de corrupção. Ora, em se admitindo, por hipótese, ser verdadeira a alegação referente à inexistência de tais práticas, por conclusão lógica, não se há de falar em suspeição ou impedimento dos parlamentares locais para julgá-lo, pois, repita-se, o impetrante sempre negou a ocorrência de qualquer ato de corrupção,bem como, à evidência, por consequência, nunca reconheceu a ocorrência de pagamento aos vereadores locais", diz trecho da decisão.

Atila também tenta brecar a denúncia que trata de quebra de decoro, mas ainda não há desfecho para esse processo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;