Fechar
Publicidade

Sábado, 20 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Netuno ignora semifinal e inicia obras no Inamar para jogar a elite

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Em desvantagem na luta pelo acesso, equipe não considera hipótese de parar no Ramalhão


Anderson Fattori

16/04/2019 | 07:00


Mesmo que tenha perdido o primeiro jogo da semifinal da Série A-2 do Paulista por 2 a 0 para o Santo André, sábado, no Bruno Daniel, o Água Santa não trabalha com a possibilidade de não conseguir o acesso à Primeira Divisão no domingo, às 11h, quando as equipes voltam a se enfrentar, agora no Inamar, em Diadema. Prova disso é que a diretoria do Netuno já iniciou obras no estádio para deixar o local dentro dos parâmetros requisitados para os clubes da elite.
<EM>O sonho do Água Santa passa por vitória por pelo menos dois gols de diferença para levar a decisão aos pênaltis, ou três para se classificar à decisão direto – os finalistas estarão automaticamente na Série A-1 em 2020. O Santo André pode perder por até um gol.

O presidente do Netuno, Paulo Korek, assumiu que a reforma iniciada no fim da semana passada é com foco total na Série A-1 de 2020 e não pensa na possibilidade de não conseguir desbancar o vizinho.

“Iniciamos a reforma do estádio para nosso sonho, que será realizado. Estamos convictos de que é possível e a cidade acredita nisso. Então, para não ter aquela correria que teve no primeiro ano de acesso (à elite, em 2015), já iniciamos a demolição da arquibancada que estava interditada para que a gente possa, com folga, erguer ali um novo setor”, explicou o dirigente. “Expectativa muito grande, claro que tem a tensão que se cria, somente um clube vai sair feliz do campo e eu tenho certeza que é o Água Santa. Não temos dúvida disso. Respeitamos o Santo André, mas estamos confiantes do que nossa equipe é capaz. Não entramos em campo no sábado”, analisou.

A confiança é tanta no acesso que Paulo Korek descarta a possibilidade de o Netuno subir através da terceira vaga na Série A-1, que seria aberta por causa da fusão entre Red Bull e Bragantino – a Federação Paulista de Futebol deve se pronunciar oficialmente amanhã sobre o assunto. “Quero deixar bem claro que o Água Santa não trabalha com a hipótese da terceira vaga. No início do campeonato tinham duas vagas em disputa e é nisso que confiamos. Tem de ficar muito claro, só trabalhamos com a hipótese de subir em campo”, comentou o dirigente.

O prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), presente à coletiva sobre a troca de ingressos por garrafas PET (leia mais ao lado) manteve a linha otimista do presidente do Netuno e até arriscou um placar. “Vitória do Água, com certeza. Palpite é difícil, mas vou falar 4 a 1.”

A obra no Inamar consiste em demolir totalmente a arquibancada que havia sido construída em 2015 atrás do gol dos fundos e que não era utilizada porque apresentou problemas estruturais. Depois, será erguido ali outro setor para que o estádio, que hoje comporta 8.075 torcedores, possa receber pelo menos 10 mil pessoas, capacidade mínima exigida para a Série A-1.

“Iniciou o processo de demolição, com o custo de R$ 450 mil. Nós não temos ainda o custo total da obra. Estamos (contando) com as mesmas pessoas que levantaram a arquibancada atrás do gol (da avenida), mas não temos ainda a estimativa de custo porque, após removido tudo, faremos estudo do solo. Só depois teremos o orçamento”, explicou Paulo Korek, lembrando que, ao contrário dos outros estádios da região, o Inamar é de propriedade do Netuno.


Torcedor do Água pode trocar duas garrafas PETs pelo ingresso da decisão

Assim como aconteceu na primeira partida, em Santo André, a diretoria do Água Santa também fechou parceria com o programa Futebol Sustentável, da Federação Paulista, e vai oferecer a troca de duas garrafas PETs – de qualquer tamanho e vazias – por um ingresso para o jogo de volta da semifinal da Série A-2, domingo, às 11h, no Inamar. A novidade foi anunciada em coletiva.

Foram colocados à disposição dos torcedores do Netuno, 4.533 ingressos e a bilheteria do Inamar vai funcionar das 10h às 17h até sexta-feira, ou enquanto durar o lote. Quem adquirir esses bilhetes, obrigatoriamente ficará na arquibancada lateral. No setor atrás do gol os bilhetes serão vendidos por R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Já a quantidade de ingressos cedidos à torcida do Santo André foi alvo de polêmica. Inicialmente, na entrevista coletiva, o presidente do Água Santa, Paulo Korek, havia dito que cederia até 1.000 ingressos, caso fosse solicitado – no primeiro jogo, o Santo André cedeu 1.089 bilhetes aos visitantes. Mais tarde, a assessoria de imprensa do Netuno disse que o presidente “se equivocou” e que o espaço dos visitantes comporta, no máximo, 226 torcedores.

Como a venda já havia sido iniciada pela internet no domingo, logo nas primeiras horas os andreenses compraram 126 ingressos, ou seja, serão enviados exatamente 100 bilhetes para que o Ramalhão faça a venda pelo preço de R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). A comercialização será na secretaria da sede social do clube, no Jaçatuba, das 10h às 22h. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Netuno ignora semifinal e inicia obras no Inamar para jogar a elite

Em desvantagem na luta pelo acesso, equipe não considera hipótese de parar no Ramalhão

Anderson Fattori

16/04/2019 | 07:00


Mesmo que tenha perdido o primeiro jogo da semifinal da Série A-2 do Paulista por 2 a 0 para o Santo André, sábado, no Bruno Daniel, o Água Santa não trabalha com a possibilidade de não conseguir o acesso à Primeira Divisão no domingo, às 11h, quando as equipes voltam a se enfrentar, agora no Inamar, em Diadema. Prova disso é que a diretoria do Netuno já iniciou obras no estádio para deixar o local dentro dos parâmetros requisitados para os clubes da elite.
<EM>O sonho do Água Santa passa por vitória por pelo menos dois gols de diferença para levar a decisão aos pênaltis, ou três para se classificar à decisão direto – os finalistas estarão automaticamente na Série A-1 em 2020. O Santo André pode perder por até um gol.

O presidente do Netuno, Paulo Korek, assumiu que a reforma iniciada no fim da semana passada é com foco total na Série A-1 de 2020 e não pensa na possibilidade de não conseguir desbancar o vizinho.

“Iniciamos a reforma do estádio para nosso sonho, que será realizado. Estamos convictos de que é possível e a cidade acredita nisso. Então, para não ter aquela correria que teve no primeiro ano de acesso (à elite, em 2015), já iniciamos a demolição da arquibancada que estava interditada para que a gente possa, com folga, erguer ali um novo setor”, explicou o dirigente. “Expectativa muito grande, claro que tem a tensão que se cria, somente um clube vai sair feliz do campo e eu tenho certeza que é o Água Santa. Não temos dúvida disso. Respeitamos o Santo André, mas estamos confiantes do que nossa equipe é capaz. Não entramos em campo no sábado”, analisou.

A confiança é tanta no acesso que Paulo Korek descarta a possibilidade de o Netuno subir através da terceira vaga na Série A-1, que seria aberta por causa da fusão entre Red Bull e Bragantino – a Federação Paulista de Futebol deve se pronunciar oficialmente amanhã sobre o assunto. “Quero deixar bem claro que o Água Santa não trabalha com a hipótese da terceira vaga. No início do campeonato tinham duas vagas em disputa e é nisso que confiamos. Tem de ficar muito claro, só trabalhamos com a hipótese de subir em campo”, comentou o dirigente.

O prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), presente à coletiva sobre a troca de ingressos por garrafas PET (leia mais ao lado) manteve a linha otimista do presidente do Netuno e até arriscou um placar. “Vitória do Água, com certeza. Palpite é difícil, mas vou falar 4 a 1.”

A obra no Inamar consiste em demolir totalmente a arquibancada que havia sido construída em 2015 atrás do gol dos fundos e que não era utilizada porque apresentou problemas estruturais. Depois, será erguido ali outro setor para que o estádio, que hoje comporta 8.075 torcedores, possa receber pelo menos 10 mil pessoas, capacidade mínima exigida para a Série A-1.

“Iniciou o processo de demolição, com o custo de R$ 450 mil. Nós não temos ainda o custo total da obra. Estamos (contando) com as mesmas pessoas que levantaram a arquibancada atrás do gol (da avenida), mas não temos ainda a estimativa de custo porque, após removido tudo, faremos estudo do solo. Só depois teremos o orçamento”, explicou Paulo Korek, lembrando que, ao contrário dos outros estádios da região, o Inamar é de propriedade do Netuno.


Torcedor do Água pode trocar duas garrafas PETs pelo ingresso da decisão

Assim como aconteceu na primeira partida, em Santo André, a diretoria do Água Santa também fechou parceria com o programa Futebol Sustentável, da Federação Paulista, e vai oferecer a troca de duas garrafas PETs – de qualquer tamanho e vazias – por um ingresso para o jogo de volta da semifinal da Série A-2, domingo, às 11h, no Inamar. A novidade foi anunciada em coletiva.

Foram colocados à disposição dos torcedores do Netuno, 4.533 ingressos e a bilheteria do Inamar vai funcionar das 10h às 17h até sexta-feira, ou enquanto durar o lote. Quem adquirir esses bilhetes, obrigatoriamente ficará na arquibancada lateral. No setor atrás do gol os bilhetes serão vendidos por R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Já a quantidade de ingressos cedidos à torcida do Santo André foi alvo de polêmica. Inicialmente, na entrevista coletiva, o presidente do Água Santa, Paulo Korek, havia dito que cederia até 1.000 ingressos, caso fosse solicitado – no primeiro jogo, o Santo André cedeu 1.089 bilhetes aos visitantes. Mais tarde, a assessoria de imprensa do Netuno disse que o presidente “se equivocou” e que o espaço dos visitantes comporta, no máximo, 226 torcedores.

Como a venda já havia sido iniciada pela internet no domingo, logo nas primeiras horas os andreenses compraram 126 ingressos, ou seja, serão enviados exatamente 100 bilhetes para que o Ramalhão faça a venda pelo preço de R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). A comercialização será na secretaria da sede social do clube, no Jaçatuba, das 10h às 22h. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;