Fechar
Publicidade

Domingo, 21 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Dólar tem viés de baixa, após rondar estabilidade

Marcello Casal Jr/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


15/04/2019 | 09:59


O dólar à vista exibe viés de baixa na manhã desta segunda-feira, 15, sob influencia do dólar fraco no exterior, após ter iniciado a sessão oscilando perto da estabilidade. O mercado opera na expectativas pela reunião do presidente Jair Bolsonaro com o ministro da Economia, Paulo Guedes, marcada para 16h.

Guedes tentará encontrar uma solução para a questão do diesel, após a ingerência política de Bolsonaro na Petrobras ter determinado a suspensão do reajuste de 5,7% no preço do combustível na quinta-feira passada, dia 11.

Guedes chega nesta segunda-feira dos Estados Unidos. No sábado, 13, em Washington, onde participava de eventos do FMI e Banco Mundial, o ministro disse que é possível "consertar", caso Bolsonaro tenha feito alguma coisa "que não seja razoável" na economia. "Uma conversa conserta tudo", afirmou o ministro.

O mercado está na expectativa também pela reunião interministerial nesta segunda-feira, na Casa Civil, para tratar da política de reajuste para combustíveis. Nesta terça-feira, 16, está programado um encontro de Bolsonaro com o presidente da petroleira, Roberto Castello Branco, para discutir a questão dos preços. Os agentes financeiros afirmam que a ingerência política coloca em xeque as novas regras de revisão de preços da estatal e cria um clima de desconfiança em relação aos planos da companhia de vender ativos, como as refinarias.

Há dúvidas, ainda, sobre o cronograma da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), ou seja, se a votação da PEC da Reforma da Previdência vai ocorrer antes ou depois da PEC do Orçamento Impositivo.

Por enquanto, o investidor digere a queda de 0,31% em janeiro (dado revisado) da economia brasileira em fevereiro deste ano. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) recuou 0,73% em fevereiro ante janeiro, na série com ajuste sazonal. O resultado veio dentro do intervalo projetado pelos analistas do mercado financeiro consultados pelo Broadcast Projeções, que esperavam resultado entre -1,00% e 0,30% (mediana em -0,25%). É o menor patamar para o IBC-Br com ajuste desde maio do ano passado (133,15 pontos).

Às 9h25 desta segunda, o dólar à vista caía 0,09%, aos R$ 3,8849, após ter registrado mínima em R$ 3,8764 (-0,31%) e máxima aos R$ 3,8909 (+0,06%). O dólar futuro para maio estava em alta de 0,09%, aos R$ 3,8875.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dólar tem viés de baixa, após rondar estabilidade


15/04/2019 | 09:59


O dólar à vista exibe viés de baixa na manhã desta segunda-feira, 15, sob influencia do dólar fraco no exterior, após ter iniciado a sessão oscilando perto da estabilidade. O mercado opera na expectativas pela reunião do presidente Jair Bolsonaro com o ministro da Economia, Paulo Guedes, marcada para 16h.

Guedes tentará encontrar uma solução para a questão do diesel, após a ingerência política de Bolsonaro na Petrobras ter determinado a suspensão do reajuste de 5,7% no preço do combustível na quinta-feira passada, dia 11.

Guedes chega nesta segunda-feira dos Estados Unidos. No sábado, 13, em Washington, onde participava de eventos do FMI e Banco Mundial, o ministro disse que é possível "consertar", caso Bolsonaro tenha feito alguma coisa "que não seja razoável" na economia. "Uma conversa conserta tudo", afirmou o ministro.

O mercado está na expectativa também pela reunião interministerial nesta segunda-feira, na Casa Civil, para tratar da política de reajuste para combustíveis. Nesta terça-feira, 16, está programado um encontro de Bolsonaro com o presidente da petroleira, Roberto Castello Branco, para discutir a questão dos preços. Os agentes financeiros afirmam que a ingerência política coloca em xeque as novas regras de revisão de preços da estatal e cria um clima de desconfiança em relação aos planos da companhia de vender ativos, como as refinarias.

Há dúvidas, ainda, sobre o cronograma da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), ou seja, se a votação da PEC da Reforma da Previdência vai ocorrer antes ou depois da PEC do Orçamento Impositivo.

Por enquanto, o investidor digere a queda de 0,31% em janeiro (dado revisado) da economia brasileira em fevereiro deste ano. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) recuou 0,73% em fevereiro ante janeiro, na série com ajuste sazonal. O resultado veio dentro do intervalo projetado pelos analistas do mercado financeiro consultados pelo Broadcast Projeções, que esperavam resultado entre -1,00% e 0,30% (mediana em -0,25%). É o menor patamar para o IBC-Br com ajuste desde maio do ano passado (133,15 pontos).

Às 9h25 desta segunda, o dólar à vista caía 0,09%, aos R$ 3,8849, após ter registrado mínima em R$ 3,8764 (-0,31%) e máxima aos R$ 3,8909 (+0,06%). O dólar futuro para maio estava em alta de 0,09%, aos R$ 3,8875.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;