Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 17 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Relembre carros esportivos improváveis

A lista é diversa, indo de uma picape com motor de Dodge Viper a um sedã italiano que era praticamente uma Ferrari de quatro portas.

Leo Alves

22/06/2019 | 10:18


Por serem carros normalmente voltados para o conforto, esses modelos podem ser considerados como esportivos improváveis. O estilo pode até ser discreto e inofensivo, mas o desempenho fala alto quando o acelerador é acionado. E a lista é diversa, indo de uma picape com motor de Dodge Viper a um sedã italiano que era praticamente uma Ferrari de quatro portas.

LEIA MAIS: Recall: Audi chama modelos A4 e A5 por risco de incêndio

Robô da Ford simula suor para testar durabilidade dos bancos

A seguir, confira os modelos selecionados na galeria especial do Garagem360. Nem todos foram vendidos no Brasil, sendo que alguns são exclusivos da Europa ou dos Estados Unidos.

Carros esportivos improváveis

Foto: dustinsapenga on Visual hunt / CC BY-NC

Dodge RAM SRT-10: um dia algum engenheiro achou uma boa ideia colocar o motor do Dodge Viper em uma picape. O resultado foi um monstro de quase 6 metros de comprimento na versão de cabine dupla e podia pesar mais de 2,5 toneladas. O propulsor de 8,3l V10 rendia 507 cv e levava a picape aos 237 km/h

Foto: Jacob Frey 4A on VisualHunt.com / CC BY

Dodge RAM SRT-10: um dia algum engenheiro achou uma boa ideia colocar o motor do Dodge Viper em uma picape. O resultado foi um monstro de quase 6 metros de comprimento na versão de cabine dupla e podia pesar mais de 2,5 toneladas. O propulsor de 8,3l V10 rendia 507 cv e levava a picape aos 237 km/h

Foto: Divulgação

Fiat Linea T-Jet: o modelo da foto é mais novo, mas serve para ilustrar o sedã da Fiat. Quando foi lançado no Brasil, ele tinha uma versão movida pelo motor de 1,4l turbo. Embora não parecesse um esportivo, conseguia um bom desempenho com seus 152 cv. Apesar disso, nunca decolou nas vendas

Foto: Divulgação

Fiat Linea T-Jet: o modelo da foto é mais novo, mas serve para ilustrar o sedã da Fiat. Quando foi lançado no Brasil, ele tinha uma versão movida pelo motor de 1,4l turbo. Embora não parecesse um esportivo, conseguia um bom desempenho com seus 152 cv. Apesar disso, nunca decolou nas vendas

Foto: Divulgação

Fiat Marea Weekend Turbo: o sedã até tinha um certo apelo esportivo, mas a perua não parecia ter 182 cv debaixo do capô. Juntamente com o três volumes, foi o carro nacional mais potente por quase uma década, graças à potência de seu propulsor 2,0l turbo de cinco cilindros

Foto: Divulgação

Fiat Marea Weekend Turbo: o sedã até tinha um certo apelo esportivo, mas a perua não parecia ter 182 cv debaixo do capô. Juntamente com o três volumes, foi o carro nacional mais potente por quase uma década, graças à potência de seu propulsor 2,0l turbo de cinco cilindros

Foto: Divulgação

Fiat Tempra Turbo: em 1994, ele recebeu um motor de 2,0l turbo de 165 cv no Brasil. O salto no desempenho fez com que o Tempra se tornasse um verdadeiro sonho de consumo

Foto: Divulgação

Fiat Tempra Turbo: em 1994, ele recebeu um motor de 2,0l turbo de 165 cv no Brasil. O salto no desempenho fez com que o Tempra se tornasse um verdadeiro sonho de consumo

Foto: Divulgação

Fiat Tempra Stile Turbo: utilizando o mesmo motor do Turbo, ele era tão discreto que nem parecia ter o mesmo desempenho. A aparência de sedã pacato faz essa versão ser um autêntico esportivo improvável

Foto: Divulgação

Fiat Tempra Stile Turbo: utilizando o mesmo motor do Turbo, ele era tão discreto que nem parecia ter o mesmo desempenho. A aparência de sedã pacato faz essa versão ser um autêntico esportivo improvável

Foto: DIvulgação

Fiat Uno Turbo: em 1994, o hatch já completava sua primeira década no mercado e era um carro sem pretensões esportivas, apesar das edições 1.5R e 1.6R. Tudo mudou quando ele recebeu o primeiro motor turbinado de um carro nacional, que era um 1,4l de 118 cv de potência

Foto: DIvulgação

Fiat Uno Turbo: em 1994, o hatch já completava sua primeira década no mercado e era um carro sem pretensões esportivas, apesar das edições 1.5R e 1.6R. Tudo mudou quando ele recebeu o primeiro motor turbinado de um carro nacional, que era um 1,4l de 118 cv de potência

Foto: Divulgação

Ford F-150 Raptor: uma picape grande, com motor V6 EcoBoost de 456 cv e preparada para enfrentar qualquer terreno. A Raptor é uma valentona que não tem medo de encarar desafios 4x4 em alta velocidade

Foto: Divulgação

Ford F-150 Raptor: uma picape grande, com motor V6 EcoBoost de 456 cv e preparada para enfrentar qualquer terreno. A Raptor é uma valentona que não tem medo de encarar desafios 4x4 em alta velocidade

Foto: Divulgação

Ford F-150 Raptor: uma picape grande, com motor V6 EcoBoost de 456 cv e preparada para enfrentar qualquer terreno. A Raptor é uma valentona que não tem medo de encarar desafios 4x4 em alta velocidade

Foto: Divulgação

Ford Ka XR: pequeno, o modelo de primeira geração recebeu uma apimentada mecânica no ínicio dos anos 2000, no Brasil. Para virar um esportivo, ele ganhou uma preparação na suspensão e um motor de 1,6l de 95 cv

Foto: Divulgação

Ford Ka XR: pequeno, o modelo de primeira geração recebeu uma apimentada mecânica no ínicio dos anos 2000, no Brasil. Para virar um esportivo, ele ganhou uma preparação na suspensão e um motor de 1,6l de 95 cv

Foto: By No machine-readable author provided. SchuminWeb assumed (based on copyright claims). - No machine-readable source provided. Own work assumed (based on copyright claims)., CC BY-SA 2.5, Link

Ford Taurus SHO: nos Estados Unidos, o sedã conta com uma versão esportiva desde os anos 1990, mesmo sendo um carro mais voltado para o conforto

Foto: Chad Horwedel on Visualhunt.com / CC BY-NC-ND

Ford Taurus SHO: nos Estados Unidos, o sedã conta com uma versão esportiva desde os anos 1990, mesmo sendo um carro mais voltado para o conforto

Foto: Divulgação

Lancia Thema 8.32: imagine um sedã pacato com um motor feito pela Ferrari. Foi exatamente isso que a Lancia fez com este modelo na Itália, nos anos 1980. O propulsor era um V8 de 2,9l de 215 cv

Foto: Divulgação

Lancia Thema 8.32: imagine um sedã pacato com um motor feito pela Ferrari. Foi exatamente isso que a Lancia fez com este modelo na Itália, nos anos 1980. O propulsor era um V8 de 2,9l de 215 cv

Foto: Divulgação

Lancia Thema 8.32: imagine um sedã pacato com um motor feito pela Ferrari. Foi exatamente isso que a Lancia fez com este modelo na Itália, nos anos 1980. O propulsor era um V8 de 2,9l de 215 cv

Foto: Divulgação

Renault Clio V6: lançado em 2001 na Europa, ele trocava os bancos traseiros por um motor V6 de 3,0l de 230 cv

Foto: Divulgação

Renault Clio V6: lançado em 2001 na Europa, ele trocava os bancos traseiros por um motor V6 de 3,0l de 230 cv

Foto: Conrad Longmore on VisualHunt.com / CC BY

Renault Espace F1: este foi apenas um conceito lançado em 1994, mas é tão inusitado que merece entrar na lista. Trata-se de uma minivan com o motor V10 que a equipe Williams usava em seus carros de F1

Foto: Gilles Couteau on Visual Hunt / CC BY-NC-ND

Renault Espace F1: este foi apenas um conceito lançado em 1994, mas é tão inusitado que merece entrar na lista. Trata-se de uma minivan com o motor V10 que a equipe Williams usava em seus carros de F1

Foto: Divulgação

Renault Fluence GT: o sedã nunca foi um sucesso no Brasil, mas recebeu uma versão esportiva em 2016. Ele era equipado com um motor de 2,0l turbo de 180 cv

Foto: Divulgação

Renault Fluence GT: o sedã nunca foi um sucesso no Brasil, mas recebeu uma versão esportiva em 2016. Ele era equipado com um motor de 2,0l turbo de 180 cv

Foto: Divulgação

Renault Fluence GT: o sedã nunca foi um sucesso no Brasil, mas recebeu uma versão esportiva em 2016. Ele era equipado com um motor de 2,0l turbo de 180 cv

Foto: Divulgação

Renault Sandero R.S: assinado pela divisão esportiva da marca francesa, o hatch, que até então era visto como um carro sem apelo esportivo, se tornou um dos modelos mais desejados pelos entusiastas brasileiros. Sob o capô, ele usa um motor de 2,0l de 150 cv

Foto: Divulgação

Renault Sandero R.S: assinado pela divisão esportiva da marca francesa, o hatch, que até então era visto como um carro sem apelo esportivo, se tornou um dos modelos mais desejados pelos entusiastas brasileiros. Sob o capô, ele usa um motor de 2,0l de 150 cv

Foto: Divulgação

Renault Sandero R.S: assinado pela divisão esportiva da marca francesa, o hatch, que até então era visto como um carro sem apelo esportivo, se tornou um dos modelos mais desejados pelos entusiastas brasileiros. Sob o capô, ele usa um motor de 2,0l de 150 cv

Foto: Divulgação

Toyota Corolla XRS: no Brasil, esta versão só conta com acabamento diferenciado. Nos Estados Unidos, porém, o modelo de 2009 recebia um motor de 2,4l de 160 cv no lugar do 1,8l de 134 cv

Foto: Divulgação

Toyota Corolla XRS: no Brasil, esta versão só conta com acabamento diferenciado. Nos Estados Unidos, porém, o modelo de 2009 recebia um motor de 2,4l de 160 cv no lugar do 1,8l de 134 cv

Foto: Divulgação

Toyota Corolla XRS: no Brasil, esta versão só conta com acabamento diferenciado. Nos Estados Unidos, porém, o modelo de 2009 recebia um motor de 2,4l de 160 cv no lugar do 1,8l de 134 cv

Foto: Divulgação

Volkswagen Parati GTi: o Gol contava com uma versão esportiva desde a primeira geração e manteve a tradição em sua segunda. Porém, a surpresa foi que a Parati também recebeu uma configuração GTi. Assim como o hatch, ela podia ser equipada com o motor de 2,0l 16v de 141 cv

Foto: fsseifert on Visualhunt.com / CC BY-NC-SA

Volkswagen Parati GTi: o Gol contava com uma versão esportiva desde a primeira geração e manteve a tradição em sua segunda. Porém, a surpresa foi que a Parati também recebeu uma configuração GTi. Assim como o hatch, ela podia ser equipada com o motor de 2,0l 16v de 141 cv

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;