Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 16 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Demanda aérea doméstica cresce 7,43% em julho

contri/Creative Commons Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


28/08/2018 | 11:00


A demanda por voos domésticos (medida em passageiros-quilômetro pagos transportados, ou RPK) cresceu 7,43% em julho ante igual mês de 2017, de acordo com o levantamento da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), que reúne os dados de suas associadas (Avianca, Azul, Latam e Gol).

Já a oferta doméstica de assentos (assentos-quilômetros ofertados, ou ASK) também avançou 7,43% em relação a julho de 2017. Com a oferta e procura avançando em igual ritmo, segundo a entidade, a taxa de aproveitamento de voos domésticos ficou estável em 83,97%.

O número de passageiros em um ano cresceu em cinco milhões de pessoas, aponta a Abear. A razão seria a flexibilização da cobrança de transporte de cargas nas tarifas, o que reduziu preços de passagens e teria atraído um número maior de passageiros. "A economia não explica isso", disse o consultor técnico da Abear, Maurício Emboaba, em coletiva de imprensa. Em julho foram transportados 8,8 milhões de passageiros nos voos nacionais, aumento de 6,75% ante o mesmo intervalo de 2017.

A Gol manteve a liderança no mercado doméstico no mês, com participação de 38,50%, seguida pela Latam, com 30%. A Azul ficou com 18,81 do market share doméstico no período, enquanto a Avianca obteve uma fatia de 12,70%.

Com isso, considerando os primeiros sete meses do ano, a demanda por transporte aéreo doméstico cresceu 4,79% frente ao observado no mesmo intervalo de 2017, enquanto a oferta subiu 4,81%. Por sua vez, o fator de aproveitamento mostrou estabilidade, com 80,88%.

No acumulado do ano foram transportados 53,3 milhões de passageiros, aumento de 3,80% ante mesmo período de 2017.

Mercado internacional

A demanda por voos internacionais (RPK) apresentou alta de 14,78% em julho na comparação anual, segundo dados da Abear, cujas associadas abrangem cerca de 30% desse mercado. A oferta internacional (ASK), por sua vez, cresceu 17,24% na mesma base de comparação, fazendo com que a taxa de ocupação dos voos internacionais caísse 1,80 ponto porcentual (p.p.) no mês, para 84,19%.

Ao todo, foram transportados 884,4 mil passageiros entre o Brasil e o exterior em julho, volume 10,49% maior do que o verificado um ano antes. A Latam respondeu por 68,67% do mercado no mês passado, seguida por Azul (15,76%), Gol (8,13%), Avianca (7,44%) .

Assim, nos primeiros sete meses de 2018, a demanda por transporte aéreo internacional cresceu 15,63% em comparação com o mesmo período de 2017, enquanto a oferta subiu 19%. O fator de aproveitamento diminuiu 2,42 pontos porcentuais, para 82,86%.

Segundo o presidente da associação, Eduardo Sanovicz, as incertezas eleitorais contaminam, de certo, o ambiente de negócios no País, mas não devem interferir na tendência observada pelo setor no ano até aqui.

Cargas

O transporte aéreo de carga pelas associadas da Abear movimentou 30,6 mil toneladas no mercado doméstico em julho, 4,59% acima do verificado em igual mês de 2017. No mercado internacional, o volume atingiu 23,6 mil toneladas, uma alta anual de 21,52%.

De janeiro a julho de 2018, foram 215,3 mil toneladas de carga transportadas dentro do País (+13,55% ante igual intervalo de 2017) e 162,8 mil toneladas transportadas nas rotas internacionais (+34,52%).

Carta aos candidatos

A Abear preparou uma carta aos candidatos à Presidência da República e entrará em contato com eles dentro das próximas três semanas para apresentação dos pleitos, disse o presidente da entidade, Eduardo Sanovicz. Encabeça a lista de prioridades a questão da política de precificação de combustíveis da aviação, incluindo a tributação e distribuição do querosene de aviação (QAV).

Segundo Sanovicz, o custo do combustível na passagem área de um voo doméstico no Brasil é da ordem de 30%, ao passo que no mercado internacional essa proporção é de cerca de 17%. "Existe uma grande distorção", disse.

No documento que será apresentado, a entidade abordará também a garantia de liberdade de mercado e a concorrência do setor aéreo, aumento de investimentos em infraestrutura aeroportuária, assim como a autonomia das agências regulatórias.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;