Fechar
Publicidade

Domingo, 18 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Seminário debate soluções para o descarte de resíduos em S.Bernardo

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Discussões realizadas ontem servirão de base para criação de lei municipal


Bianca Barbosa
Especial para o Diário

27/08/2018 | 21:27


 A troca de experiências a respeito da gestão dos resíduos sólidos para a elaboração de lei municipal motivou a realização de seminário, ontem, em São Bernardo. O evento, que integra o calendário de festejos pelo aniversário da cidade, comemorado no dia 20, discutiu soluções para a destinação final do lixo, tendo em vista a dependência dos aterros.

Ao todo, seis palestras foram ministradas, com temas como logística reversa na gestão municipal, e resíduos de serviços de Saúde. “Queremos o conhecimento da academia, da prática, da sociedade, e tudo o que pudermos ter de informações e conhecimentos para o desenvolvimento desta legislação, que será implementada da forma mais eficiente para o município”, disse o secretário do Meio Ambiente e Proteção Animal, José Carlos Gobbis Pagliuca.

Para o secretário, a situação atual do Grande ABC é complicada, tendo em vista que ainda não há destinação adequada para a maior parte dos materiais. “Estamos fazendo uma parte de reciclagem que ainda é frágil em relação à quantidade de resíduos que produzimos na região”, destacou.

A diretora do escritório regional do Programa Cidades do Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas) para o Brasil, Patrícia Iglecias, abordou, em sua palestra, os objetivos do desenvolvimento sustentável, questões presentes na Agenda 2030 da ONU. “Não adianta pensar em equilíbrio, do ponto de vista do meio ambiente, se não tiver o aspecto social atendido, e condições para que as pessoas tenham uma existência digna, com aspecto econômico. Basta ver a situação do Brasil hoje, com o número de desempregados e todas as dificuldades que nós temos, não há sustentabilidade ao olhar somente para uma dessas facetas”, explicou.

Na Agenda 2030, os países trabalham com metas a serem atingidas. “Acredito que esse seja um tema que a gente ainda vai ouvir muito, e é bem isso que precisamos mesmo, difundir para as escolas, igrejas, no trabalho. Todo mundo produz lixo, mas nem todo mundo cuida dele, e esse pensamento tem de mudar”, disse a professora Alice Aparecida Guimarães, 55 anos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Seminário debate soluções para o descarte de resíduos em S.Bernardo

Discussões realizadas ontem servirão de base para criação de lei municipal

Bianca Barbosa
Especial para o Diário

27/08/2018 | 21:27


 A troca de experiências a respeito da gestão dos resíduos sólidos para a elaboração de lei municipal motivou a realização de seminário, ontem, em São Bernardo. O evento, que integra o calendário de festejos pelo aniversário da cidade, comemorado no dia 20, discutiu soluções para a destinação final do lixo, tendo em vista a dependência dos aterros.

Ao todo, seis palestras foram ministradas, com temas como logística reversa na gestão municipal, e resíduos de serviços de Saúde. “Queremos o conhecimento da academia, da prática, da sociedade, e tudo o que pudermos ter de informações e conhecimentos para o desenvolvimento desta legislação, que será implementada da forma mais eficiente para o município”, disse o secretário do Meio Ambiente e Proteção Animal, José Carlos Gobbis Pagliuca.

Para o secretário, a situação atual do Grande ABC é complicada, tendo em vista que ainda não há destinação adequada para a maior parte dos materiais. “Estamos fazendo uma parte de reciclagem que ainda é frágil em relação à quantidade de resíduos que produzimos na região”, destacou.

A diretora do escritório regional do Programa Cidades do Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas) para o Brasil, Patrícia Iglecias, abordou, em sua palestra, os objetivos do desenvolvimento sustentável, questões presentes na Agenda 2030 da ONU. “Não adianta pensar em equilíbrio, do ponto de vista do meio ambiente, se não tiver o aspecto social atendido, e condições para que as pessoas tenham uma existência digna, com aspecto econômico. Basta ver a situação do Brasil hoje, com o número de desempregados e todas as dificuldades que nós temos, não há sustentabilidade ao olhar somente para uma dessas facetas”, explicou.

Na Agenda 2030, os países trabalham com metas a serem atingidas. “Acredito que esse seja um tema que a gente ainda vai ouvir muito, e é bem isso que precisamos mesmo, difundir para as escolas, igrejas, no trabalho. Todo mundo produz lixo, mas nem todo mundo cuida dele, e esse pensamento tem de mudar”, disse a professora Alice Aparecida Guimarães, 55 anos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;