Fechar
Publicidade

Sábado, 22 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Unicórnios existem na vida real?

Animal místico é conhecido por participação em contos literários e desenhos animados


Tauana Marin

19/08/2018 | 07:07


Os cavalos fofos com chifres coloridos, como o arco-íris, e poderes mágicos que aparecem em animações e livros nunca existiram. Eles são seres mitológicos e, por isso, fazem parte de lendas e contos replicados ao longo de muitas gerações com o passar do tempo. A popularidade do personagem faz com que seja figura participante de diversas atrações do universo do entretenimento até hoje em dia, com presença em desenhos e em estampas de roupas. 

O animal que viveu na Terra que mais se assemelha a figura do unicórnio parecia um rinoceronte, não tendo qualquer parentesco com o cavalo. Chamado de ‘Unicórnio Siberiano’, ele possuia espécie de chifre em sua testa. O crânio (osso que envolve o cérebro) desse animal foi encontrado perto da aldeia de Kozhamzhar, na cidade de Pavlodar, no Cazaquistão (Ásia), por especialistas da Universidade Estadual de Tomsk, da Rússia. 

Os estudos mostram que tratava-se de animal muito grande, chegando a ter cerca de 1,82 metro de altura e 4,4 metros de largura. O unicórnio da vida real pode ter existido até 29 mil anos atrás, tendo habitado o mundo na companhia do homem, uma vez que o fóssil humano mais antigo da história, encontrado no oeste da Sibéria, na Rússia, em 2008, é datado de 45 mil anos.

CURIOSIDADES

É importante dizer que o chifre que vemos nos animais, a exemplo do rinoceronte, existe por conta de grande quantidade de pelos concentrada. A camada pode até parecer ser feita de algum tipo de estrutura mais firme, mas, na verdade, tem como base a queratina, tipo de proteína existente nos nossos cabelos. 

Os rinocerontes são mamíferos e não possuem ligação direta com os dinossauros mesmo que tenham vivido na era pré-histórica. Representantes variados das aves, como as galinhas e o beija-flores, pertencem ao grupo mais próximo dos dinos. Com a evolução, esses animais ficaram menores, o que facilita a atividade do voo, a reprodução e, inclusive, o fato de se esconderem dos predadores. Foram esses bichos que conseguiram sobreviver quando o meteoro colidiu com a Terra e levou grande parte dos grandes dinossauros a extinção.

Pergunta de Rayssa Santos Oliveira, 12 anos, de Santo André

Consultoria de Luiz Eduardo Anelli, paleontólogo, professor do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo e escritor dos livros "Almanaque dos Dinossauros; O Guia Completo  dos Dinossauros do Brasil" e "Dinossauros e Outros Monstros – Uma Viagem À Pré-História do Brasil". 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;