Fechar
Publicidade

Domingo, 25 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

DR explícita

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Antônio Fagundes e família vão transformar Paulo Machado de Carvalho em divã com ‘Baixa Terapia’


Marcela Munhoz

02/07/2018 | 07:00


 Relacionamento é realmente complicado, mas sempre há salvação. Já pensou em fazer terapia de casal? Tem choro, discussão, perdão e – por que não? – humor. Pelo menos essa é a proposta de Baixa Terapia. Há mais de um ano em cartaz em São Paulo, a comédia agora está em turnê e São Caetano é a próxima parada. Será apresentada no Teatro Paulo Machado de Carvalho sábado, às 19h, e domingo, às 18h.

O elenco, dá para garantir, se conhece nos mínimos detalhes. Antônio Fagundes – também como produtor – sobe ao palco com o filho, Bruno, com a namorada, Alexandra Martins, com a ex-mulher Mara Carvalho (mãe de Bruno), além de Ilana Kaplan (vencedora do Prêmio Shell pela peça) e Fábio Espósito. “A relação é bem harmoniosa dentro e fora de cena. Tem de ser, afinal, vamos ficar em cartaz com Baixa Terapia até, pelo menos, janeiro de 2019 (quando voltarão ao Tuca, na Capital)”, brinca Fagundes durante entrevista ao Diário.

Segundo o ator, mais de 100 mil pessoas já assistiram ao espetáculo. “Foi o público que escolheu manter a montagem em cartaz. Sempre temos de abrir apresentação extra”, comemora. A história é sobre três casais de diferentes faixas etárias, que se encontram em uma sessão preparada estrategicamente por terapeuta que não aparece. Um acaba metendo o bedelho na vida do outro. “Não tem jeito. Todo mundo, ao menos uma vez na vida, já se relacionou ou vai se relacionar. Tratamos os conflitos de casais de forma engraçada, com humor leve. A plateia gargalha o tempo todo”, garante.

As pessoas que assistem à peça, aliás, são convidadas a participar de bate-papo quando as cortinas se fecham. “É experiência que venho desenvolvendo há mais de 40 anos e tem sido muito bom, inspirador e interessente para nós e para o público. Mesmo sendo comédia, falamos de assuntos sérios que rendem discussões.” Fagundes aproveita e convida também os espectadores aqui da região, local onde se sente à vontade para se apresentar, já que na década de 1970 fez até parte de grupo de teatro andreense. “Andava com uma turminha por aí. Depois voltei com os espetáculos Vermelho e Tribos. É sempre bom”, diz

E não é só o público brasileiro que terá a chance de ver Baixa Terapia. A montagem será apresentada nos Estados Unidos, no fim do mês, e, de setembro a dezembro, fica em cartaz em Portugal. “A expectativa está grande. Em solo norte-americano (Orlando, Miami e Boston) vamos fazer para a comunidade brasileira. Em Portugal, tem muita gente que é fã há anos das novelas brasileiras, o público é enorme.”

Segundo ele, sempre deu sorte em todos os trabalhos que fez na Globo, desde Dancing Days, passando por Vale Tudo, Dono do Mundo, Rei do Gado, Terra Nostra. “Esta será a quarta peça que apresento para os portugueses. Acho até que sou mais conhecido lá do que aqui”, conta Fagundes, que adianta os próximos trabalhos. “Acabei de gravar a série Se Eu Fechar os Olhos Agora (Edney Silvestre), que deve ir ao ar no começo de 2019 na Globo, e produzi e atuei no filme Contra a Parede (ainda sem previsão).”

Baixa Terapia – Teatro. No Teatro Paulo Machado de Carvalho – Alameda Conde de Porto Alegre, 840, em São Caetano. Sábado, às 19h, e domingo, às 18h. Ingr.: R$ 60 a R$ 140 (www.bilheteriaexpress.com.br).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

DR explícita

Antônio Fagundes e família vão transformar Paulo Machado de Carvalho em divã com ‘Baixa Terapia’

Marcela Munhoz

02/07/2018 | 07:00


 Relacionamento é realmente complicado, mas sempre há salvação. Já pensou em fazer terapia de casal? Tem choro, discussão, perdão e – por que não? – humor. Pelo menos essa é a proposta de Baixa Terapia. Há mais de um ano em cartaz em São Paulo, a comédia agora está em turnê e São Caetano é a próxima parada. Será apresentada no Teatro Paulo Machado de Carvalho sábado, às 19h, e domingo, às 18h.

O elenco, dá para garantir, se conhece nos mínimos detalhes. Antônio Fagundes – também como produtor – sobe ao palco com o filho, Bruno, com a namorada, Alexandra Martins, com a ex-mulher Mara Carvalho (mãe de Bruno), além de Ilana Kaplan (vencedora do Prêmio Shell pela peça) e Fábio Espósito. “A relação é bem harmoniosa dentro e fora de cena. Tem de ser, afinal, vamos ficar em cartaz com Baixa Terapia até, pelo menos, janeiro de 2019 (quando voltarão ao Tuca, na Capital)”, brinca Fagundes durante entrevista ao Diário.

Segundo o ator, mais de 100 mil pessoas já assistiram ao espetáculo. “Foi o público que escolheu manter a montagem em cartaz. Sempre temos de abrir apresentação extra”, comemora. A história é sobre três casais de diferentes faixas etárias, que se encontram em uma sessão preparada estrategicamente por terapeuta que não aparece. Um acaba metendo o bedelho na vida do outro. “Não tem jeito. Todo mundo, ao menos uma vez na vida, já se relacionou ou vai se relacionar. Tratamos os conflitos de casais de forma engraçada, com humor leve. A plateia gargalha o tempo todo”, garante.

As pessoas que assistem à peça, aliás, são convidadas a participar de bate-papo quando as cortinas se fecham. “É experiência que venho desenvolvendo há mais de 40 anos e tem sido muito bom, inspirador e interessente para nós e para o público. Mesmo sendo comédia, falamos de assuntos sérios que rendem discussões.” Fagundes aproveita e convida também os espectadores aqui da região, local onde se sente à vontade para se apresentar, já que na década de 1970 fez até parte de grupo de teatro andreense. “Andava com uma turminha por aí. Depois voltei com os espetáculos Vermelho e Tribos. É sempre bom”, diz

E não é só o público brasileiro que terá a chance de ver Baixa Terapia. A montagem será apresentada nos Estados Unidos, no fim do mês, e, de setembro a dezembro, fica em cartaz em Portugal. “A expectativa está grande. Em solo norte-americano (Orlando, Miami e Boston) vamos fazer para a comunidade brasileira. Em Portugal, tem muita gente que é fã há anos das novelas brasileiras, o público é enorme.”

Segundo ele, sempre deu sorte em todos os trabalhos que fez na Globo, desde Dancing Days, passando por Vale Tudo, Dono do Mundo, Rei do Gado, Terra Nostra. “Esta será a quarta peça que apresento para os portugueses. Acho até que sou mais conhecido lá do que aqui”, conta Fagundes, que adianta os próximos trabalhos. “Acabei de gravar a série Se Eu Fechar os Olhos Agora (Edney Silvestre), que deve ir ao ar no começo de 2019 na Globo, e produzi e atuei no filme Contra a Parede (ainda sem previsão).”

Baixa Terapia – Teatro. No Teatro Paulo Machado de Carvalho – Alameda Conde de Porto Alegre, 840, em São Caetano. Sábado, às 19h, e domingo, às 18h. Ingr.: R$ 60 a R$ 140 (www.bilheteriaexpress.com.br).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;