Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 21 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

A indústria resiste. E o futebol também


Ademir Medici

26/06/2018 | 07:00


Você conhece o clube da Cofap? Fica em Capuava, ao lado da estação ferroviária, na boca do polo petroquímico. Seguindo pela via marginal ao Rio Tamanduateí você chega ao clube. E a primeira impressão é que você está entrando numa fábrica.

O clube é cercado de fábricas, plantas antigas ocupadas por novas S/As – a Cofap local é hoje a Magneti Marelli Cofap – Companhia Fabricadora de Peças. As instalações que Abraham Kasinski construiu, aparentemente, são as mesmas, mas o contingente de trabalhadores diminuiu – e como diminuiu.

A Cofap, Cofap, é saudade. Constrói nova história em outras paragens. No Vale de Capuava foi substituída por outras marcas. Mas todos ainda falam “Cofap”, das unidades Santo André e Mauá, mais o clube. Herança de outros tempos.

Mesmo numa manhã de sábado, quando o trem corre espaçado e sem tantos passageiros, o cenário nos remete ao antigo ABC das fábricas que pareciam formigueiros de tantos operários seguindo para mais um dia de trabalho.

A NOVA REALIDADE

O Vale de Capuava é ainda um vale industrial. Ok, verdadeiramente é possível mapear a outra realidade não só do primitivo ABC como de todo o Grande ABC, observando que no lugar de tal fábrica ergue-se um shopping center; que a outra fábrica foi derrubada para mais um espigão; que uma terceira fábrica cedeu espaço a uma nova igreja; que aquela vila operária, com escola mantida pela indústria, foi derrubada e a vizinhança viu surgir outro shopping. A desindustrialização é tão óbvia que nem os ufanistas conseguem mascarar a realidade – apesar das tentativas.

Os números também não mentem. Eles nos levam a uma curva de prosperidade industrial que alcançou o ápice entre as décadas de 1960, 1970, 1980, para depois seguir por rota descendente. Mas – e sempre há um ‘mas’ – a nova realidade industrial existe e precisa, urgentemente, ser mapeada, para que no futuro as novas gerações saibam que no ano da graça de 2018 não eram apenas pavilhões industriais desocupados que existiam no Grande ABC em contínua transformação.

Fomos ao Vale de Capuava assistir a um jogo de futebol, sábado passado. E encontramos um conglomerado industrial. Pauta para nós, da <CF160>Memória</CF>. Retornaremos ao polo que revisitamos tantos anos depois, preferencialmente em dia comum de trabalho, para o registro que roga por uma descrição <CF160>in loco</CF>.

O JOGO

Capuava, ABR Cofap. Em celebração aos seus 60 anos de fundação (1958-2018), o Diário do Grande ABC forma uma seleção e joga amistosamente com o Santo Alberto FC, o time do Rubão. Vitória do Diário, por goleada. Na assistência, Cleiton, mascote do Vila Junqueira FC. Para o churrasco chegaram o deputado Luis Turco e assessoria.

Diário há 30 anos

Domingo, 26 de junho de 1988 – ano 31, edição 6789

Manchete – Conselho Monetário Nacional aprecia verba para Santo André

Em pauta do CMN a contratação de financiamento de 1,4 bilhão de cruzados para projetos na área social: três novas creches, dois novos centros de convivência para a terceira idade e três centros de Cultura. 

O empréstimo era buscado e pilotado, diretamente, por Francisco Cocci, secretário da Fazenda.

Nota – Bons tempos aqueles em que o próprio Cocci se orgulhava de dizer que Santo André não dependia de empréstimos para a administração municipal...

Em 26 de junho de...

1908 – Carlos Halkal nasce em Zurique, Suíça. Fotógrafo como o pai, Francisco. Veio para o Brasil em 1923. Em 1927 estava em Santo André. Montou o famoso Foto Carlos e trabalhou até a década de 1990.

1918 – Frio intenso na região, na Capital, Litoral e Interior. Termômetros indicam temperaturas abaixo de zero. Formam-se geadas. Produção cafeeira atingida. Há 20 anos não se registravam temperaturas tão baixas no Estado.

 A guerra. Do noticiário do Estadão: a grande vitória italiana em toda a frente. Destruídos os exércitos austríacos.

1923 – As irmãs Maria e Aldemira Margonari nascem em São Bernardo, na colônia da família, na atual divisa de São Bernardo com Santo André, a antiga Estrada da Vila – ou Estrada da Estação – hoje Avenida Pereira Barreto.

Pelas divisões municipais, as gêmeas nasceram do lado de Santo André. 

Maria e Aldemira trabalharam na Rhodia e na Tecelagem Rochetti. Criaram duas lindas famílias. E têm na árvore genealógica os nomes antigos de imigrantes italianos: Margonari do pai, Bianchini da mãe.

1933 – Rocha Pombo falece no Rio de Janeiro. Historiador. Deixou livros como: História de São Paulo, História do Brasil, História da América, este editado em 1900. 

1978 – Coronel Euclides Rizzaro assume a direção do DTS (Departamento d Trânsito e Segurança), de Santo André.

Municípios Brasileiros

Celebram aniversários em 26 de junho:

No Rio Grande do Norte, Bodó, Fernando Pedroza, Itajá, Major Sales, Triunfo Potiguar e Venha-Ver

Na Bahia, Castro Alves, Catu, Poções e Santa Maria da Vitória

Em Minas Gerais e Monte Santo de Minas

Em Pernambuco, São José do Belmonte

No Piauí, São Raimundo Nonato

No Paraná, Umuarama

Fonte: IBGE

Hoje

Dia Nacional do Metrologista. Dia Internacional da Luta contra o Uso e o Tráfico de Drogas

Dia Internacional de Apoio às Vítimas da Tortura

Santos do Dia

João e Paulo 

Antelmo

João dos Godos

Perseveranda

Josemaria Escrivã de Balaguer 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;