Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sto.André dará R$ 100 de reajuste a servidores

Celso Luiz 25/5/18 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Quantia será adicionada ao salário dos 14 mil servidores ativos e inativos; proposta foi aprovada ontem


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

31/05/2018 | 07:00


Depois de quase dois meses de tratativas, o governo do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), amarrou acordo de reajuste salarial junto ao funcionalismo público. A proposta prevê conceder R$ 100 de aumento para todos os servidores no lugar de um índice de reposição inflacionária. A oferta, com detalhes acertados ontem em duas reuniões na sede do Executivo, foi levada para apreciação em assembleia da categoria, realizada à noite, no Paço, e teve voto favorável da maioria dos presentes no ato.

A proposta abrange servidores ativos e inativos, número que, ao todo, gira em torno de 14 mil funcionários. Parte da oferta já tinha sido colocada em outros encontros, mas não houve consenso nas discussões firmadas na mesa de negociações, o que travou avanços na ocasião. A composição atual inclui também acréscimo de R$ 110 a título de cesta básica para algumas faixas salariais. Com a aprovação dos envolvidos, a administração tucana tem expectativa de elaborar texto da minuta da lei e encaminhar projeto à Câmara entre segunda e terça-feira. O pagamento será retroativo a 1º de abril, data-base da categoria.

“Foi uma conquista, especialmente pela conjuntura de dificuldade (financeira) no País e nos municípios. A inflação no período não atingiu 3% (foi de 2,68%), e, com esse acordo, dá um acréscimo de quase 7% para quem ganha menos (na tabela) – o salário-base é de aproximadamente R$ 1.300. Dá para dizer que cerca de 90% dos presentes foram a favor”, alegou Wagner Nascimento, dirigente do Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos), ao acrescentar que proposta de incorporação de valores no salário “sempre é pedido da categoria como forma de reajuste”.

Representante legal do sindicato, Durval Ludovico Silva adicionou que foram “beneficiados mais de 80% dos trabalhadores diretos com aumento acima da inflação do período”. “Foi um ganho para a categoria e sindicato”, emendou. O acerto se deu após ser efetivada paralisação na sexta-feira em diversos departamentos da Prefeitura, principalmente na área de Educação, além de passeata, que aglomerou média de 500 pessoas, reivindicando prosseguimento das tratativas da campanha salarial e retroativo do ano passado.

O setor jurídico do Paço deu parecer positivo ontem à proposta, “atestando a sua legalidade”, segundo o secretário de Administração, Fernando Gomes (PSDB), designado pelo prefeito para debater nas negociações. “Ficamos satisfeitos com essa situação. Responsabilidade é muito grande. É o melhor (cenário) que conseguimos no momento em que estamos (de crise), por todo o contexto das condições em que recebemos a Prefeitura. O nosso trabalho sempre foi no sentido de atender à demanda”, frisou o tucano, sinalizando que já foram iniciadas as tratativas para a campanha coletiva de 2019.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sto.André dará R$ 100 de reajuste a servidores

Quantia será adicionada ao salário dos 14 mil servidores ativos e inativos; proposta foi aprovada ontem

Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

31/05/2018 | 07:00


Depois de quase dois meses de tratativas, o governo do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), amarrou acordo de reajuste salarial junto ao funcionalismo público. A proposta prevê conceder R$ 100 de aumento para todos os servidores no lugar de um índice de reposição inflacionária. A oferta, com detalhes acertados ontem em duas reuniões na sede do Executivo, foi levada para apreciação em assembleia da categoria, realizada à noite, no Paço, e teve voto favorável da maioria dos presentes no ato.

A proposta abrange servidores ativos e inativos, número que, ao todo, gira em torno de 14 mil funcionários. Parte da oferta já tinha sido colocada em outros encontros, mas não houve consenso nas discussões firmadas na mesa de negociações, o que travou avanços na ocasião. A composição atual inclui também acréscimo de R$ 110 a título de cesta básica para algumas faixas salariais. Com a aprovação dos envolvidos, a administração tucana tem expectativa de elaborar texto da minuta da lei e encaminhar projeto à Câmara entre segunda e terça-feira. O pagamento será retroativo a 1º de abril, data-base da categoria.

“Foi uma conquista, especialmente pela conjuntura de dificuldade (financeira) no País e nos municípios. A inflação no período não atingiu 3% (foi de 2,68%), e, com esse acordo, dá um acréscimo de quase 7% para quem ganha menos (na tabela) – o salário-base é de aproximadamente R$ 1.300. Dá para dizer que cerca de 90% dos presentes foram a favor”, alegou Wagner Nascimento, dirigente do Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos), ao acrescentar que proposta de incorporação de valores no salário “sempre é pedido da categoria como forma de reajuste”.

Representante legal do sindicato, Durval Ludovico Silva adicionou que foram “beneficiados mais de 80% dos trabalhadores diretos com aumento acima da inflação do período”. “Foi um ganho para a categoria e sindicato”, emendou. O acerto se deu após ser efetivada paralisação na sexta-feira em diversos departamentos da Prefeitura, principalmente na área de Educação, além de passeata, que aglomerou média de 500 pessoas, reivindicando prosseguimento das tratativas da campanha salarial e retroativo do ano passado.

O setor jurídico do Paço deu parecer positivo ontem à proposta, “atestando a sua legalidade”, segundo o secretário de Administração, Fernando Gomes (PSDB), designado pelo prefeito para debater nas negociações. “Ficamos satisfeitos com essa situação. Responsabilidade é muito grande. É o melhor (cenário) que conseguimos no momento em que estamos (de crise), por todo o contexto das condições em que recebemos a Prefeitura. O nosso trabalho sempre foi no sentido de atender à demanda”, frisou o tucano, sinalizando que já foram iniciadas as tratativas para a campanha coletiva de 2019.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;