Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sinais dos tempos virtuais

A Polícia Militar de Bauru aderiu às redes sociais. A conta no Facebook (Quarto Batalhão Bauru) possuía mais de


Wilson Marini

01/08/2011 | 00:00


A Polícia Militar de Bauru aderiu às redes sociais. A conta no Facebook (Quarto Batalhão Bauru) possuía mais de 600 seguidores na sexta-feira. O Twitter também está nos planos. "É algo que veio do comando geral da corporação. Fomos percebendo as primeiras experiências e vendo como isso está dando certo", disse ao Jornal da Cidade o comandante do 4.º BPM-I, tenente-coronel Nelson Garcia Filho. Segundo ele, o ingresso no mundo virtual é uma forma de conversar com a própria tropa e outras unidades da PM. "É uma troca de experiências. Iremos ‘alimentar' com sugestões para a imprensa e outros fatos que possam ser vistos por quem está na região e, inclusive, fora dela". A ideia é que seja um informativo atualizado sobre os principais acontecimentos que envolvem a polícia na cidade. "Quando surgir uma ocorrência, queremos ir atualizando em tempo real."

Na Capital, também já é possível se comunicar por redes sociais com a Polícia Militar para acompanhar a situação das marginas Tietê e Pinheiros. A 3ª Companhia do 2º Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran), na capital, lançou os canais no Twitter e no Facebook (ambos PMnasmarginais). Os canais servirão para informar o funcionamento das vias e ao mesmo tempo receber informações dos usuários. "Quem quiser tuitar já pode entrar, para poder levar informações, prestar serviço público e ajudar a polícia a cumprir bem o seu papel", disse o governador Alckmin na semana passada. Segundo o comandante geral da PM, coronel Álvaro Camilo, as páginas serão monitorados 24 horas por dia. "É um modelo de polícia comunitária virtual". Outros endereços da Polícia Militar no Twitter: PMESP e BombeirosPMESP.

Conhecimento

Esse é apenas um exemplo das transformações sociais provocadas pela revolução da informação. Em meados dos anos 90, surgiu o ‘correio eletrônico' nos computadores, depois popularizados como ‘e-mails'. A internet hoje está nos celulares, empresas, escolas, hotéis, praças e residências. O acesso está sendo ampliado para que maior número de pessoas possa se conectar em velocidade e quantidade crescentes.

Internetar é preciso. É tão fundamental quanto a alfabetização. Preocupados com a exclusão social devido às mudanças, os governos criam programas de incentivo à alfabetização digital em todo o mundo. Mas o desafio da sociedade do futuro não será o domínio da tecnologia, tampouco a sua democratização, que é inevitável. O desafio será como juntar toda a carga de informações e transformar em conhecimento - esse sim, o próximo passo na escala da evolução.

Por torpedo

O Jornal da Cidade informa ainda que em Bauru já há algum tempo a população aciona policiais por meio das mensagens de celular, os conhecidos ‘torpedos' (SMS). Diz o comandante: "A comunidade deve pegar os números de celulares dos policiais que fazem o patrulhamento. Assim, eles podem acioná-los por meio do ‘torpedo'. É algo que já ocorre. Nossa recomendação é que os policiais passem seus contatos para pessoas nos bairros".

Fim da caução em internações

De interesse público: está em vigor há um mês a Lei estadual 14.471/2011, que proíbe os hospitais e clínicas particulares de São Paulo de exigir caução ou qualquer outra garantia como condição para internar paciente. A prática caracteriza abuso, por ferir princípios básicos de cidadania. Segundo o autor do projeto, deputado Fernando Capez (PSDB), a exigência causa situações de constrangimento e coloca em risco a saúde e a própria vida da pessoa que necessita de atendimento.

A prática já era proibida pela Resolução Normativa 44/2003 da Agência Nacional de Saúde Suplementar, pelo Código de Defesa do Consumidor e pelo Código Civil, os quais vedam a cobrança de qualquer valor antecipado ou a exigência manifestamente excessiva ao consumidor. A partir de agora, o hospital ou clínica que descumprir a lei terá que devolver ao paciente o valor em dobro e pagar multa de R$ 17.450 a R$ 174.500, dependendo da gravidade da infração.

Água

Levar água potável a todos os brasileiros é o objetivo do decreto federal 7.492/2011, publicado quarta-feira no Diário Oficial da União. Trata-se do Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Água. O decreto deve promover também ações relacionadas à segurança alimentar e nutricional; infraestrutura hídrica e de abastecimento público de água; regulação do uso da água; saúde e meio Ambiente. Em São Paulo, a Sabesp já estabeleceu como meta a universalização dos serviços de fornecimento de água e tratamento de água para 2016.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;