Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Lucas Candido sonha alto inspirado por Kevin Durant

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Aos 16 anos, jogador é destaque de Santo André e visa Seleção


Dérek Bittencourt

25/11/2017 | 07:00


Não há como medir o nível do basquete norte-americano. Tampouco, a influência que ele tem sobre fãs e, principalmente, praticantes. Não é diferente com o armador da equipe sub-21 de Santo André, Lucas Candido da Silva, 16 anos.

Natural de Marília e dono de grande habilidade, é uma das peças principais do grupo comandado pelo técnico Adriano Andrei Alves Pereira, e tem como referência uma das principais estrelas da NBA.

“Meu ídolo é o Kevin Durant (ala do Golden State Warriors e da seleção dos Estados Unidos). Acho bonito o jogo dele, é frio, é pontuador, bem alto. Mas também gosto do jogo do Chris Paul e do Tony Parker, que foram bons armadores, Stephen Curry, que arrisca muito na bola de três, e (Russell) Westbrook, que tem estilo mais atlético”, contou.

Apesar de jovem, Lucas já defendeu outras três equipes: São Bernardo, Corinthians e Palmeiras. Neste ano, chegou a Santo André em busca de crescer como jogador, melhorar nos arremessos e dar mais um passo rumo ao principal objetivo. “Pretendo seguir a carreira, treinando forte, sendo sempre humilde, colaborando com as pessoas e com o time. E crescer. Seleção é o sonho de todo atleta, é o topo. Acima de tudo é sempre respeitar, tentar melhorar. Quero uma oportunidade e com o tempo vou tentar conquistar”, afirmou.

Ontem à tarde, no ginásio do parque Celso Daniel, Lucas comandou a reação andreense diante de Limeira. Mas, no fim, o time do Interior se saiu melhor e venceu por 74 a 70. Hoje, às 13h30, no mesmo local, os andreenses encaram Itu pela semifinal do torneio.

"Hoje(ontem, erramos mais do que eles, não soubemos administrar placar na frente. Mas entendo. Equipe feita de atletas sub-17 e 16, então têm muito a aprender. Tenho de parabenizá-los porque se superam cada dia mais”, definiu o treinador. “Dá sim (para buscar o ouro). Se a gente trabalhar direitinho, dá certo. Foi por detalhes hoje (ontem), eles acertaram mais que a gente e foram erros que podem ser consertados”, concluiu Lucas.


Técnico prevê bom futuro para o basquete masculino

O nome já diz: Associação de Pais e Amigos do Basquete Andreense. É sob esta tutela que a modalidade tenta não apenas se manter viva como resgatar os anos de glória vividos há algumas décadas.

“Projeto de mais de 25 anos, fundado após o término da Pirelli. Vem fazendo trabalho maravilhoso e queremos voltar a ter basquete masculino de força em Santo André e no Grande ABC. Temos potencial enorme e vejo coisas boas para o futuro”, destacou o técnico Adriano Andrei Alves Pereira. “Aqui quem administra são os pais, juntamente com o apoio da Prefeitura. Não tem fim lucrativo, então estão porque gostam do basquete”, declarou o treinador. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lucas Candido sonha alto inspirado por Kevin Durant

Aos 16 anos, jogador é destaque de Santo André e visa Seleção

Dérek Bittencourt

25/11/2017 | 07:00


Não há como medir o nível do basquete norte-americano. Tampouco, a influência que ele tem sobre fãs e, principalmente, praticantes. Não é diferente com o armador da equipe sub-21 de Santo André, Lucas Candido da Silva, 16 anos.

Natural de Marília e dono de grande habilidade, é uma das peças principais do grupo comandado pelo técnico Adriano Andrei Alves Pereira, e tem como referência uma das principais estrelas da NBA.

“Meu ídolo é o Kevin Durant (ala do Golden State Warriors e da seleção dos Estados Unidos). Acho bonito o jogo dele, é frio, é pontuador, bem alto. Mas também gosto do jogo do Chris Paul e do Tony Parker, que foram bons armadores, Stephen Curry, que arrisca muito na bola de três, e (Russell) Westbrook, que tem estilo mais atlético”, contou.

Apesar de jovem, Lucas já defendeu outras três equipes: São Bernardo, Corinthians e Palmeiras. Neste ano, chegou a Santo André em busca de crescer como jogador, melhorar nos arremessos e dar mais um passo rumo ao principal objetivo. “Pretendo seguir a carreira, treinando forte, sendo sempre humilde, colaborando com as pessoas e com o time. E crescer. Seleção é o sonho de todo atleta, é o topo. Acima de tudo é sempre respeitar, tentar melhorar. Quero uma oportunidade e com o tempo vou tentar conquistar”, afirmou.

Ontem à tarde, no ginásio do parque Celso Daniel, Lucas comandou a reação andreense diante de Limeira. Mas, no fim, o time do Interior se saiu melhor e venceu por 74 a 70. Hoje, às 13h30, no mesmo local, os andreenses encaram Itu pela semifinal do torneio.

"Hoje(ontem, erramos mais do que eles, não soubemos administrar placar na frente. Mas entendo. Equipe feita de atletas sub-17 e 16, então têm muito a aprender. Tenho de parabenizá-los porque se superam cada dia mais”, definiu o treinador. “Dá sim (para buscar o ouro). Se a gente trabalhar direitinho, dá certo. Foi por detalhes hoje (ontem), eles acertaram mais que a gente e foram erros que podem ser consertados”, concluiu Lucas.


Técnico prevê bom futuro para o basquete masculino

O nome já diz: Associação de Pais e Amigos do Basquete Andreense. É sob esta tutela que a modalidade tenta não apenas se manter viva como resgatar os anos de glória vividos há algumas décadas.

“Projeto de mais de 25 anos, fundado após o término da Pirelli. Vem fazendo trabalho maravilhoso e queremos voltar a ter basquete masculino de força em Santo André e no Grande ABC. Temos potencial enorme e vejo coisas boas para o futuro”, destacou o técnico Adriano Andrei Alves Pereira. “Aqui quem administra são os pais, juntamente com o apoio da Prefeitura. Não tem fim lucrativo, então estão porque gostam do basquete”, declarou o treinador. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;