Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

MP: Andinho estaria articulando a reativação do PCC


Do Diário OnLine

23/01/2003 | 10:27


Uma possível rearticulação da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), desmembrada em dezembro de 2002, foi identificada pelo Ministério Público de São Paulo e será investigada. Segundo a Agência Anhanguera, responsável pelos dados, o criminoso Júlio Guedes de Moraes, o 'Júlio Carambola', e o seqüestrador Wanderson Nilton de Paula Lima, o Andinho, estariam coordenando a ação.

A informação, publicada na edição desta quinta-feira do Correio de Campinas, dá conta de que o MP descobriu que os presos mantinham conversas entre si quando ficavam no parlatório, local onde os detentos permanecem lado a lado para conversar por meio de um interfone com as visitas, separadas por uma divisória de acrílico.

O homem apontado como a nova liderança do PCC, Marco Antonio Camacho, o 'Marcola', preso em Avaré, também estaria enviando "recados" para alguns presos de Presidente Bernardes por meio dos parentes que iam visitar presos na unidade, informou o MP.

No entanto, o plano já foi abortado, garantiu ao jornal o promotor do Grupo de Atuação Especial e de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do MP, Roberto Porto, responsável pelas denúncias que resultaram na prisão de 17 integrantes do PCC. O promotor destacou que "cada passo" dos 180 detentos de Presidente Bernardes, a 600 quilômetros de Campinas, está sendo monitorado pelo MP.

Andinho foi indiciado por formação de quadrilha e associação com o PCC. Aos 25 anos, ele deve é mantido em Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), sem direito a visita íntima e a qualquer contato com outros presos. Andinho está preso isolado em uma cela desde abril do ano passado no presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes, a 600 quilômetros de Campinas.

O seqüestrador também foi é réu em 12 processos referentes a seqüestros ocorridos na região de Campinas entre 2000 e 2002. Outros sete inquéritos policiais que ainda apuram a participação do criminoso em seqüestros não foram concluídos.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;