Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Casos emocionantes viram livro

Reprodução  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Thiago Mariano
Do Diário do Grande ABC

27/02/2012 | 07:08


Juliana Bussab e Susan Yamamoto, responsáveis pela ONG Adote Um Gatinho, têm história de envolvimento com os bichanos que, por si só, já renderia um livro. Amor e dedicação foram ingredientes desta relação desde muito cedo, mas a entrega aumentou conforme as duas perceberam o quão grave é o problema do abandono destes animais.

O resultado da devoção pode ser visto em 'Gatos Sortudos' (Editora Livros de Safra, 224 páginad, R$ 35 em média). Embora reúna 12 histórias - a ONG já deu para adoção mais de 4.500 gatos e hoje cuida de 450 -, o livro faz resumo dos principais tópicos da relação abandono, proteção, cuidado com os animais e adoção.

São histórias de emocionar e engajar qualquer um na luta do grupo. "Tem gente que pensa que é só dar comida e levar ao veterinário. Quisemos dividir histórias para que as pessoas percebem que nosso trabalho é muito mais profundo", diz Susan.

Ela, que abandonou o emprego de jornalista de 14 anos para se dedicar à ONG - e que tem em casa 11 gatos e na casa ao lado, alugada, mais 40 -, não recebe quase nada para fazer o trabalho. Pelo contrário, mal consegue ler seus e-mails pessoais e cada vez que o telefone toca é uma angústia. "Eu sempre penso: atendo ou não atendo? O telefone toca o dia todo, até de madrugada, e a gente nunca sabe se poderá ajudar. Até porque nunca é só um gato, geralmente é uma ninhada, animal atropelado."

O envolvimento não é resultado apenas do amor e do carinho para com os bichos, mas também da percepção da sensibilidade dos gatos. "Eles sofrem muito, chegam a morrer de depressão e estresse, chegam até a gente em estado de carência muito grande."

Casos como o do Boludo e da Bolota ilustram o trauma do abandono. Os dois foram entregues à adoção depois que a mãe do seu dono - que estava no Exterior - se cansou de cuidar deles. Boludo foi definhando aos poucos, ficou sem comer e morreu com problemas no fígado.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;