Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Próximo de deixar o PSB, Vaguinho mira PTB e PRB

Parlamentar, que segue sem aval socialista, deve encampar projeto ao Paço em uma das siglas


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

11/08/2015 | 07:00


Sem conseguir aval no PSB para ingressar na corrida eleitoral pela Prefeitura de Diadema na eleição do ano que vem, o vereador Vaguinho do Conselho pode migrar para o PRB ou PTB. As legendas deixaram o arco de aliados do prefeito Lauro Michels (PV) e buscam papel protagonista para o pleito municipal.

“Estou filiado no PSB há 17 anos e não tenho a intenção de sair. Contudo, estou engajado neste grupo político que tem projeto de trabalho para a cidade e de concorrer ao Paço no ano que vem”, assegurou Vaguinho.

O diretório socialista segue dividido na cidade. O presidente municipal, Manoel José da Silva, o Adelson, mantém adesão em empreitada que visa reeleição de Lauro. Vaguinho, que tem o apoio do vereador Célio Boi e de parte dos filiados, tenta formalização de candidatura. A executiva do PSB no Estado também segue sem consenso sobre projeção em Diadema, mas a tendência é de continuidade no apoio ao governo de Lauro Michels.

O PRB, que transitou entre situação e oposição no governo Lauro, está integrado na frente partidária, que apoia projeto de candidatura própria com Vaguinho. O PTN e o PMDB também compõem aliança.

Em relação ao PTB, o presidente municipal, José Rodrigues, revelou que fez convite oficial ao parlamentar. “Não estamos participando dessa frente de partidos. Convidamos o Vaguinho para se filiar em nossa legenda. Se aceitar, pensamos nessa composição”, comentou o dirigente.

A legenda petebista caminhou junto com Lauro na eleição de 2012, com Silvana Guarnieri eleita como vice-prefeita.

Em janeiro, o presidente paulista da sigla, deputado estadual Campos Machado, anunciou rompimento com a administração do verde. Campos afirmou que o chefe do Executivo foi desrespeitoso com sua correligionária – a deixou sem função no governo –, após ela decidir que iria concorrer à cadeira na Câmara Federal na eleição de outubro. A número dois de Diadema, porém, teve resultado pífio nas urnas e, depois de fracasso, fez as pazes com Lauro. Hoje ela prepara saída do PTB e seu destino deve ser o PP.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;