Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Por que é feio arrotar?


Juliana Ravelli
Do Diário do Grande ABC

15/08/2010 | 07:49


Faz barulho quando sai; às vezes é fedido; e incomoda muita gente. Não, não é o pum, mas o arroto - nome popular da eructação. Recentemente, o programa Pânico na TV, da Rede TV!, teve de cancelar o quadro em que Vanessa Barzan fingia ser jornalista para arrotar no rosto de famosos. Muita gente ficou brava quando ela tentou fazer isso com a atriz Laura Cardoso, 82 anos.

A moça bebia muita água com gás e depois forçava a eructação. Mas você sabia que, na realidade, esse é um processo natural do organismo? Ocorre com pessoas de qualquer idade e até mesmo com alguns animais, como cães e vacas.

Acontece porque o estômago tem limite para receber alimentos e líquidos. Quando está muito cheio, os gases presentes no interior do órgão saem pela boca, podendo produzir barulho. Nem sempre o cheiro ruim aparece; depende do tipo de comida que foi ingerida.

Muito ar - Mascar chiclete, beber refrigerante em excesso, falar enquanto come e engolir as refeições depressa, sem mastigar direito, podem causar arroto. Em todos esses casos, a gente ingere ar em grande quantidade.

Apesar de ser involuntário, é possível provocá-lo. No entanto, essa não é uma atitude bacana por vários motivos. Além de ser considerada falta de educação na nossa sociedade, quando a eructação é forçada com muita frequência pode-se causar refluxo (quando a comida volta para a garganta).

Segurar o arroto não faz mal algum. Pode apenas provocar sensação desagradável e incômoda no estômago. Em casos raros, seu excesso pode ser sintoma de algumas doenças, como refluxo gastresofágico. Só o médico pode dizer o que é.

Consultoria de Ethel Zimberg Chehter, professora da Faculdade de Medicina do ABC, de Laércio Gomes Lourenço, professor da Unifesp, e de Célia Leão, consultora de etiqueta

LEIA MAIS:

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Por que é feio arrotar?

Juliana Ravelli
Do Diário do Grande ABC

15/08/2010 | 07:49


Faz barulho quando sai; às vezes é fedido; e incomoda muita gente. Não, não é o pum, mas o arroto - nome popular da eructação. Recentemente, o programa Pânico na TV, da Rede TV!, teve de cancelar o quadro em que Vanessa Barzan fingia ser jornalista para arrotar no rosto de famosos. Muita gente ficou brava quando ela tentou fazer isso com a atriz Laura Cardoso, 82 anos.

A moça bebia muita água com gás e depois forçava a eructação. Mas você sabia que, na realidade, esse é um processo natural do organismo? Ocorre com pessoas de qualquer idade e até mesmo com alguns animais, como cães e vacas.

Acontece porque o estômago tem limite para receber alimentos e líquidos. Quando está muito cheio, os gases presentes no interior do órgão saem pela boca, podendo produzir barulho. Nem sempre o cheiro ruim aparece; depende do tipo de comida que foi ingerida.

Muito ar - Mascar chiclete, beber refrigerante em excesso, falar enquanto come e engolir as refeições depressa, sem mastigar direito, podem causar arroto. Em todos esses casos, a gente ingere ar em grande quantidade.

Apesar de ser involuntário, é possível provocá-lo. No entanto, essa não é uma atitude bacana por vários motivos. Além de ser considerada falta de educação na nossa sociedade, quando a eructação é forçada com muita frequência pode-se causar refluxo (quando a comida volta para a garganta).

Segurar o arroto não faz mal algum. Pode apenas provocar sensação desagradável e incômoda no estômago. Em casos raros, seu excesso pode ser sintoma de algumas doenças, como refluxo gastresofágico. Só o médico pode dizer o que é.

Consultoria de Ethel Zimberg Chehter, professora da Faculdade de Medicina do ABC, de Laércio Gomes Lourenço, professor da Unifesp, e de Célia Leão, consultora de etiqueta

LEIA MAIS:

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;