Fechar
Publicidade

Domingo, 24 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Arroz tem menor preço em seis anos

Celso Luiz/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Alexandre Melo
Do Diário do Grande ABC

23/06/2011 | 07:07


Há cinco anos o pacote com cinco quilos de arroz vendido nos supermercados da região não registrava preço tão barato, R$ 5,58 em média. Em 2010, o produto chegou à casa dos R$ 8,54 e iniciou este ano vendido por R$ 7,17. Desde janeiro o recuou foi de 22%. O alto estoque do cereal no País é o que força essa queda.

Apesar do bolso do consumidor agradecer, o engenheiro agrônomo da Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André Fábio Vezzá de Benedetto alerta que o valor muito baixo pode desestimular o cultivo do arroz para a safra 2011/2012, que chegará às mesas dos consumidores no ano que vem. Os produtores, inclusive, já reclamam da situação.

"Se o governo federal não intervir comprando cereal do produtor para que os preços não fiquem tão abaixo do normal, é provável que em fevereiro ou março de 2012 o pacote de arroz suba, pois haverá menos produto no mercado", analisa Benedetto.

Nesta semana, a Craisa aponta que o produto com maior queda no valor da cesta básica é o arroz (7,15%). O carrinho de alimentos em Santo André, São Caetano, Diadema, Mauá e Ribeirão Pires custa em média R$ 355,28, recuo de 0,40% na comparação com o levantamento anterior, economia de R$ 1,41. Esta é a terceira queda consecutiva nos preços.

SOBE E DESCE - O grupo hortifrúti registra a maior inflação na cesta desta semana, com valores 4,07% maiores, assim como os produtos de limpeza doméstica, que subiram 1,50%. Enquanto isso, os alimentos e itens de higiene pessoal estão 1,37% e 0,76% mais baratos, respectivamente.

Além do cereal, os itens com preço em queda são a batata (6,61%), o frango (4,66%) e o sal refinado (4,66%). O quilo do legume custa em média R$ 2,12, enquanto o da carne de ave sai por R$ 3,68. Já o tempero é vendido por R$ 1,13.

Entre os alimentos penalizados pela inflação durante esta semana estão a laranja (18,4%), o tomate (7,03%) e a cebola (6,21%). O valor médio cobrado pelo quilo da laranja chega a R$ 1,48. No caso do tomate, sai por R$ 3,96, em média, e o valor do quilo da cebola por R$ 1,88. Para o engenheiro agrônomo da Craisa, a tendência é que os preços em junho registrem queda frente a maio.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;