Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

‘A Jornada do Rinoceronte’ revela o drama da espécie

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Resultado de ensaio feito pelo fotógrafo brasileiro Érico Hiller fica exposto até fevereiro


Andréa Ciaffone

05/01/2015 | 07:00


 Forte, compacto e armado com chifres, o rinoceronte é uma das maravilhas que a evolução produziu. São 50 milhões de anos de trabalho da seleção natural em risco de desaparecer por causa a mistura fatal de ignorância, cobiça e mau uso da tecnologia em armamentos.

Diante do perigo de desaparecimento da espécie o fotógrafo documental paulistano Érico Hiller não se intimidou. Pegou a câmera e partiu para o continente africano. As melhores fotos desta cruzada foram reunidas na exposição A Jornada do Rinoceronte, que está em cartaz até 1º de fevereiro na Praça Victor Civita (primeiro andar do Prédio do Incinerador), em São Paulo, com entrada gratuita.

Hiller passou por quatro países e acompanhou os esforços de quem busca proteger esses animais que parecem invencíveis, mas que estão em situação de fragilidade enquanto espécie. Na viagem, ele testemunhou a desproporção de forças entre os que lutam para proteger esses animais diante do perigo que os caçadores ilegais representam. O alto valor do chifre do rinoceronte no mercado negro – é o produto ilegal mais caro no planeta – é o que movimenta a caça. Por isso, há equipes que trabalham na extração preventiva dos chifres. Ironicamente, sem o chifre os animais têm melhores chances de sobreviver e reproduzir.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

‘A Jornada do Rinoceronte’ revela o drama da espécie

Resultado de ensaio feito pelo fotógrafo brasileiro Érico Hiller fica exposto até fevereiro

Andréa Ciaffone

05/01/2015 | 07:00


 Forte, compacto e armado com chifres, o rinoceronte é uma das maravilhas que a evolução produziu. São 50 milhões de anos de trabalho da seleção natural em risco de desaparecer por causa a mistura fatal de ignorância, cobiça e mau uso da tecnologia em armamentos.

Diante do perigo de desaparecimento da espécie o fotógrafo documental paulistano Érico Hiller não se intimidou. Pegou a câmera e partiu para o continente africano. As melhores fotos desta cruzada foram reunidas na exposição A Jornada do Rinoceronte, que está em cartaz até 1º de fevereiro na Praça Victor Civita (primeiro andar do Prédio do Incinerador), em São Paulo, com entrada gratuita.

Hiller passou por quatro países e acompanhou os esforços de quem busca proteger esses animais que parecem invencíveis, mas que estão em situação de fragilidade enquanto espécie. Na viagem, ele testemunhou a desproporção de forças entre os que lutam para proteger esses animais diante do perigo que os caçadores ilegais representam. O alto valor do chifre do rinoceronte no mercado negro – é o produto ilegal mais caro no planeta – é o que movimenta a caça. Por isso, há equipes que trabalham na extração preventiva dos chifres. Ironicamente, sem o chifre os animais têm melhores chances de sobreviver e reproduzir.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;