Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Universitários têm vantagens no banco


Gabriela Gasparin
Especial para o Diário

23/12/2007 | 07:30


Diante da situação financeira apertada dos universitários – trabalhar para pagar a mensalidade é a realidade de muitos estudantes da região –, os bancos oferecem contas que se encaixam como luva para o público que, apesar de durango, tem futuro promissor.

Os benefícios vão de isenção de taxa mensal de administração a anuidades gratuitas do cartão de crédito por um ano – tudo sem comprovação de renda e limite de crédito de R$ 800. “O cliente universitário tem um desenvolvimento econômico diferenciado ao longo da trajetória acadêmica”, disse o coordenador do segmento universitário do Banco Real, Daniel Mitraud. O Real atua há 20 anos com o serviço, que hoje representa 17% da base total de clientes.

Mitraud acrescentou, no entanto, que lidar com jovens exige orientação financeira. “No entanto, como os estudantes estão no início da vida financeira, podem não saber administrá-la.”

Uma das tentações oferecidas pelo Real é a isenção dos juros do cartão nos 10 primeiros dias após o vencimento. No entanto, é preciso ficar atento: os juros cobrados após o 10º dia não consideram os dias de isenção.

As taxas de manutenção de conta para o segmento é de, por exemplo, R$ 3,75, no Real e R$ 3 no Banco do Brasil. Na Nossa Caixa, o universitário tem isenção da cobrança de R$ 4,80 no primeiro ano. Contas convencionais trabalham com taxas na casa dos R$ 10.

Segundo o gerente de varejo do Banco do Brasil, Carlos Antônio Decezaro, a conta universitária é um investimento para o futuro. “É um público que vai começar a ter contato com a instituição financeira agora e apostamos que fique no banco posteriormente.”

A universitária Josélia Leite Costa, 19 anos, moradora de São Bernardo, fez uma conta em setembro para usufruir do limite de crédito oferecido.

“Eu estava sem grana. Aproveitei que o limite é maior e não precisa comprovar renda”, disse. O limite da conta é de R$ 800. Josélia, que trabalha como operadora de Telemarketing também em São Bernardo, revela, no entanto, que é preciso saber administrar o dinheiro para não ficar no vermelho no final do mês: “Só vale a pena se você souber usar. Dá para estourar o limite do cartão de crédito facilmente. Eu mesma já entrei no rotativo uma vez”, contou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;