Memória

1998 Muitos candidatos. E a região perde representação




A força da campanha ‘Vote com Qualidade no Grande ABC’ foi forte em 1998, a maior da história, tanto que 86 foi o número de candidatos, o que dividiu as votações, em benefício dos chamados “candidatos de fora”.

Resultado prático: a bancada do Grande ABC na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa ficou menor. Em 1994, a região elegeu 13 deputados – cinco federais e oito estaduais. Em 1998, mesmo com a campanha desenvolvida pelo Fórum da Cidadania, foram eleitos apenas nove deputados. 

PERSPECTIVA

“Os avanços da região em seus entendimentos com o governo do Estado, no marco da Câmara do ABC, ainda precisam ser consolidados. Há, no entanto, uma lacuna importante a ser preenchida: criar uma profícua via de contato com o Palácio do Planalto, tarefa fundamental para a estratégia do desenvolvimento regional que vem sendo traçada”.

Cf. Diário, Editorial, ‘Salto de Qualidade’, edição de 4 de outubro de 1998, no dia das eleições.


771 – Apurados os votos, veio a realidade, na manchete do Diário: ‘Bancada cai para nove deputados. Novatos pregam a união dos eleitos. Petista vai dormir eleito e acorda fora’.

772 – Os três eleitos à Câmara Federal: Duílio Pisaneschi (PTB), com 100.366 votos; Luiz Carlos da Silva (o Professor Luizinho do PT), com 90.738; e Jair Meneguelli (PT), 59.590.

773 – À Alesp, os seis eleitos: Marco Tortorello (PPS), 70.293 votos; Daniel Marins (PPB), reeleito, 65.926; José de Filippi Junior (PT), 52.216; Vanderlei Siraque (PT), 38.937; José Augusto Ramos (PPS), reeleito, 36.462; e Ramiro Meves (Prona), 27.806 – o único candidato de São Bernardo eleito.

774 – No jogo político, a região teria outros deputados naquela legislatura: Ivan Valente (PT) e Clovis Volpi (PSDB) assumiriam em Brasília; Donisete Braga e Wagner Lino, ambos do PT, tomariam posse em 2001 nas vagas abertas pelos novos prefeitos de Diadema (Filippi) e Guarulhos (Elói Pietá).

775 – O caso Donisete foi curioso, o que valeu a submanchete do Diário: com 28.739 votos, o mauaense, futuro prefeito, perdeu a cadeira devido à redução de uma vaga da coligação petista na Alesp – na véspera foi dado como eleito; acabou na primeira suplência.

776 – Dos ex-prefeitos que saíram derrotados em 1998, quatro já não haviam conseguido eleger seus sucessores: Newton Brandão (Santo André), Walter Demarchi (São Bernardo), Antonio José Dall’Anese (São Caetano) e Valdirio Prisco (Ribeirão Pires). Outro ex-prefeito não eleito foi Luiz Carlos Grecco, de Ribeirão Pires.

777 – Israel Zeckcer, Edinho Montemor, Djalma Bom, Ana do Carmo, Giba Marson e Osmar Ribeiro da Fonseca foram outros nomes com chances de serem eleitos e que não conseguiram seus intentos, mesmo com boas votações. Entre as razões, o “voto salada”, na expressão do jornalista Mino Carta – num mesmo voto, candidatos de partidos diferentes.

778 – De qualquer forma, a Câmara Regional do ABC não esmoreceu. Elaborou carta-compromisso dirigida aos dois candidatos ao governo do Estado na disputa do segundo turno: Covas e Maluf. E pretendeu reunir os candidatos eleitos da região, incluindo-se os que aqui não tinham domicílio eleitoral, para um trabalho conjunto em prol da região.

779 – As esperanças maiores voltavam-se à Agência de Desenvolvimento Econômico do Grande ABC, fundada em 27 de outubro de 1998 – depois das eleições daquele ano e antes da posse dos eleitos. Uma nova história se iniciava.

780 – Leitor Evaristo de Carvalho Neto, de Santo André, na Palavra do Leitor (Candidatos da região, dia 1º de julho de 2021), comenta esta série da Memória e cobra a publicação dos nomes da diretoria do Fórum da Cidadania de 1994, “em reconhecimento”. 

Nota da Memória – Ainda é tempo, senhor Evaristo. Alguns nomes o senhor já alinhavou em sua mensagem. Ajude-nos na pesquisa completa. No entender da página, são três pontos principais:

1 – Saber o número correto de integrantes daquela diretoria do Fórum da Cidadania. “Me parece que eram sete”, arrisca o senhor. 

2 – Lembrar outros nomes, os que sucederam a diretoria de 1994.

3 – Questionar o porquê daquela proposta inicial não ter tido sequência.

Afinal, a cada eleição proporcional, o Grande ABC elege menos nomes locais. O que acontece?

Diário há meio século

Terça-feira, 27 de julho de 1971 – ano 13, edição 1597

Destaque – Tempo destrói as obras de Emeric Marcier na Capela da Santa Casa de Mauá.

Nota da Memória – Marcier era considerado o principal muralista do Brasil. Os afrescos que produziu em Mauá seriam posteriormente restaurados – uma boa pauta para este 2021: como estaria a obra de Marcier em Mauá.

Em 27 de julho de...

1991 – São Caetano instalava sua Pró-Memória.

Yakult inaugurava mais três fábricas em São Bernardo.

Santos do Dia

Clemente de Ochrida n Raimundo Zanfogni n Celestino I

Municípios Brasileiros

Em São Paulo, hoje é aniversário de São José dos Campos, verdadeira capital do Vale do Paraíba. Também é o aniversário de Agudos e de Jardinópolis.<EM>

Pelo Brasil: Abre Campo e Santos Dumont (Minas Gerais); Candiba, Catolândia, Firmino Alves, Jussara, Marcionílio Souza, Retirolândia, Rio do Antônio, Salinas da Margaria, Santa Brígida, Tapiramutá e Ubaitaba (Bahia); Maravilha, Ponte Serrada, Rio das Antas e São José do Cedro (Santa Catarina). 

Comentários


Veja Também



Voltar