Cotidiano

Vossa excelência o inquérito




O governo monta equipe para investigar o governo. Pensamento um tanto contraditório, admito, ainda que eu veja com otimismo o fato de um determinado segmento governista se dedicar ao nada fácil trabalho de empreender busca ferrenha pela sujeira que o Executivo da Nação procura desesperadamente empurrar para debaixo do tapete. Até porque, é preciso que se apure e se responsabilize os culpados pelo desastre ora em curso, que já ceifou centenas de milhares de vidas, País afora.

E, uma vez instalada a comissão competente, as chamadas testemunhas são convocadas para explicar, perante os investigadores, a sua atuação enquanto integrantes de uma ou outra pasta ou ainda de qualquer setor ligado ao descaso com a saúde pública, que culminou em tragédia. Também são ouvidas pessoas que, de alguma forma, possam colaborar com os trabalhos, já que tiveram alguma relação com os eventos.

No dia marcado, os depoentes ocupam lugar junto à corte, para serem inquiridos acerca de acontecimentos que os envolvem direta ou indiretamente na questão que colocou o Brasil na contramão do mundo, que já obtém resultados positivos no combate à peste. Peste que carrega no seu bojo uma molécula daninha que fez morada cá neste esquecido sertão, e que aqui vive e se multiplica confortavelmente, sem a interferência de quem quer que possa tolher sua liberdade. Teria ela encontrado neste vastíssimo paraíso tropical refúgio e acolhida para se espalhar e dar cabo da gente mais feliz do mundo?

E o tribunal, diante de tamanha empreitada, ganha ares de Copa do Mundo, com direito a torcida e tudo. Sim, tribunal, uma vez que ali se encontram advogados de acusação, de defesa e juiz. Quase todos empenhados em realizar um trabalho primoroso para esclarecer à população o que de fato se passou, e que levou este País a não ter vacina suficiente, único recurso de que dispõem as nações para evitar mais contágios e mortes. E algumas testemunhas, no caso as que estavam no comando e que dispunham de recursos e poder para salvar parte considerável da população, abriram mão desses recursos e optaram por soluções outras que resultaram no descalabro sanitário ora vigente. Motivos, pois, não faltam para que sejam indiciados.

No entanto, estes depoentes têm faltado com a verdade sempre que indagados a respeito disso ou daquilo. Destaque para a fineza nas palavras dos acusadores que evitam dizer que o traste inquirido mente, inclusive, com a anuência dos advogados de defesa que lá estão para tumultuar o ambiente com provocações, as mais diversas. É um espetáculo circense de um mau gosto que aflige sobremaneira os corações dotados de um mínimo de bom senso. São os defensores da morte por atacado, que, em rompantes de pura sublimação ao ódio, investem contra a corte na defesa do indefensável.

Muito se espera, afinal, dessa comissão, a despeito da guerra que terá de travar, com a finalidade única de caminhar até o fim na apuração rigorosa de tudo o que aconteceu e que vem acontecendo, que tem resultado em muitas lágrimas. Não será fácil, dada a intervenção constante da horda ali presente, que entrega sua alma ao diabo para defender o inominável.
 

Comentários


Veja Também



Voltar