Cena Política

Rodrigo Garcia já aparece fora do DEM




Potencial candidato governista na corrida ao Palácio dos Bandeirantes em 2022, o atual vice-governador Rodrigo Garcia já não aparece mais como filiado ao DEM no sistema mantido pelo TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo). É o primeiro passo para a formalização da estratégia desenhada pelo governador João Doria (PSDB) para viabilizar o aliado como candidato tucano ao Estado sem causar tanto ruído dentro do PSDB. Ao se filiar um ano e meio antes da eleição, Rodrigo minimiza discursos internos de que é forasteiro. E como deve herdar a cadeira de governador quando Doria renunciar para se candidatar à Presidência da República, ele será chefe de Estado tucano que concorrerá à reeleição. Assim, implode movimento de prévia – grupo ligado ao ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) desenhava potencializar internamente.

Mudanças andreenses
Ontem, esta coluna mostrou como toda mudança no tabuleiro eleitoral do Estado pode favorecer o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), mas já caminha para redesenhar o cenário em Santo André. A aposta no alto comando do governo andreense de Paulo Serra (PSDB) é a de que, com Rodrigo Garcia como candidato a governador, a dobrada oficial do Paço na eleição do ano que vem é a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Ana Carolina Barreto Serra, como candidata a deputada estadual e o secretário executivo de Habitação do Estado, Fernando Marangoni (DEM), como postulante a federal. Outros nomes que orbitam em torno do Paço ainda buscam espaços, como o líder do governo na Câmara, Professor Jobert Minhoca (PSDB), o vereador licenciado e secretário de Esportes, Marcelo Chehade (PSDB), e o ex-vereador Donizeti Pereira (PV).

MP acionado
O Ministério Público de Santo André foi acionado para investigar se os ex-vice-prefeitos de Ribeirão Pires Edinaldo de Menezes, o Dedé (Cidadania), e Gabriel Roncon (PTB), além do ex-prefeiturável de Rio Grande da Serra Akira Auriani (PSB) burlaram o expediente que precisavam dar na Prefeitura de Santo André para prestigiar ato político do deputado federal Alex Manente (Cidadania). Na sexta-feira, o parlamentar anunciou envio de R$ 1 milhão para o hospital de campanha do município e a atividade foi prestigiada pelo trio – além dos vereadores Diogo Manera (PSDB) e Amanda Nabeshima (PTB).

Requerimento
Na Câmara de Santo André, o vereador Ricardo Alvarez (Psol) também apresentou requerimento a respeito da atuação de Roncon, Dedé e Akira no governo de Paulo Serra. O documento foi aprovado pela casa. Segundo o parlamentar, ele procurou no Diário Oficial se os três haviam tirado licença. Ao perceber que essa deliberação não foi tomada, decidiu fazer os questionamentos à Prefeitura andreense.

Segurança
O vereador Rodolfo Donetti (Cidadania), de Santo André, tomou para si o debate em torno de melhoria na segurança do bairro Campestre, que vem registrando aumento no caso de delitos. O parlamentar, que é policial militar, conversou com o comando da PM que atende o bairro, bem como levou demanda de moradores para o secretário municipal de Segurança, Edson Sardano (PSD), e a direção da GCM (Guarda Civil Municipal), para que, em conjunto, solução para o problema seja encontrada.

Almoço
Ex-vereador de São Caetano e provável candidato a prefeito da cidade se houver nova eleição no município, Fabio Palacio (PSD) tem intensificado agendas com figuras políticas da cidade. Ontem, postou foto após almoço com o ex-vereador Edison Parra (Podemos), nome que sempre foi próximo de José Auricchio Júnior (PSDB).

Aparição
O instituto Paraná Pesquisas divulgou ontem simulação eleitoral da corrida ao governo paulista na eleição do ano que vem.Chama atenção o fato de o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), ser citado em uma das simulações, com 2,9%, no cenário em que ele é candidato tucano. Os ex-governadores Geraldo Alckmin (PSDB) e Márcio França (PSB), além do ex-prefeito Fernando Haddad (PT), lideram os estratos estimulados.

Comentários


Veja Também



Voltar