Memória

Ocara e Seci; Rosas Negras e Taí


O público prestigiou as duas cidades que mais investiram no Carnaval no biênio 1990-1991. E a apoteose, em fevereiro de 91, trouxe nomes de agremiações tradicionais entre os campeões nas chamadas “passarelas do samba” – termo importado pelas emissoras de rádio locais; estas enviavam equipes para as coberturas de rua e dos salões, geralmente com o patrocínio público.
E o Diário do Grande ABC assinalava para a história pormenores de mais um Carnaval – voltamos 30 anos no tempo.

SANTO ANDRÉ
Entre as escolas, Ocara Clube, o antigo rancho das disputas com o Panelinha, conquistou o bicampeonato andreense em 1991, com 199 pontos, um apenas à frente da segunda colocada, a Mocidade Independente Cidade São Jorge, com 198.
Temas universais: Ocara com o enredo Santos Dumont, Sonho Alado da Imaginação; Cidade São Jorge, com Fábrica de Sonhos. Em terceiro, Vila Palmares, em quarto, Vila Alice.
Entre os blocos, Seci conquistava o primeiro título em cinco anos de participação.

SÃO BERNARDO
Em 1991, Rosas Negras, da eterna Natalia Rodrigues do Amaral, chegava ao título são-bernardense com O Samba e Suas Origens; em segundo, Camisa Vermelha e Branca, com Brasil Novo; em terceiro, Padre Lustosa.
O bloco Taí tornava-se campeão em sua categoria com o tema À Procura da Sorte.

MAUÁ
Um Carnaval frustrante o de 1991. O prefeito Amaury Fioravanti decepcionou-se, como tantos, e prometia revigorar o Carnaval de 1992. José Sales Vieira, presidente da Uesma (União das Escolas de Samba de Mauá), falava em organizar um calendário “desde já”, mas demonstrava pessimismo, pedindo o gerenciamento da Prefeitura.

DIADEMA
Mais uma vez apresenta o Carnaval mais democrático, com bailes ao ar livre. O povo não assistia a desfiles, participava diretamente no quadrilátero improvisado no Centro da cidade.

ERA 1991...
- Em São Paulo, no primeiro Carnaval do Anhembi, deu empate entre as grandes escolas: Camisa Verde e Branco e Rosas de Ouro. O sambódromo era inaugurado semipronto e com arquibancadas de madeira.
- No Rio, deu Mocidade Independente de Padre Miguel.
- No Diário do Grande ABC, Beltran Asêncio, o fotógrafo de São Bernardo, abria seu acervo fotográfico e afirmava: “O Carnaval de antigamente era mais espontâneo”.
- João Paulo II, o ‘João de Deus’, abria mais uma campanha da fraternidade, focalizando o mundo do trabalho.

Diário há meio século
Terça-feira, 16 de fevereiro de 1971 – ano 13, edição 1462
Manchete – Laos: engano destrói base secreta da Cia
Santo André – Instalada a Sociedade Amigos do Jardim das Maravilhas. Na presidência, Rui Pinheiro de Farias.
São Bernardo – Luiz Guereschi reconduzido à presidência da SAB de Vila Marchi.
Lazer – Inaugurada a I Exposição de Camping na Cidade da Criança, em São Bernardo.
Rede Cinematográfica – Um casal – Glória e Robert Paul Ziegert – mantinha vários cinemas em Santo André: Tangará, Tamoio, Iporanga, Urupema, Irajá e Campestre.

Em 16 de fevereiro de...
1916 – Comendador Tiburtino Modim Pestana, oficial de gabinete do secretário do Interior, visita o senador Flaquer, em Santo André.
1921 – Transfere residência para Santo André, vindo de Santos, o Dr. Carvalhal Filho.
Também muda para Santo André o advogado Joaquim Diniz.
1956 – Restritas praticamente aos salões o Carnaval de São Paulo. Comenta o Estadão: diminui ano a ano o brilho dos festejos de Carnaval.

Hoje
- Dia Nacional do Repórter.

Santos do dia
- Onésimo.
- Allamano.
- Juliana (285-305). Viveu na Nicomedia, Turquia.
- Felipa Mareri (Nápolis, Itália, 1200-1236). Religiosa da Ordem Franciscana.

Comentários


Veja Também


Voltar