Cena Política

O silêncio de Márcio da Farmácia


No dia 13 de maio, este Diário mostrou que o prefeito Lauro Michels (PV) havia batido o martelo: o presidente da Câmara, Pretinho do Água Santa (DEM), seria seu candidato à Prefeitura de Diadema na eleição deste ano. Desde então, teve início uma corrida nos bastidores para que o deputado estadual Márcio da Farmácia (Podemos), plano A do Paço, mas que rejeitou concorrer no pleito municipal, apoie publicamente a pré-candidatura do democrata. Márcio tem fugido de todos os modos. No fim de semana, por exemplo, Pretinho foi percorrer feiras livres no Centro. Estava sem Lauro e sem Márcio. O núcleo duro do governo acredita que Márcio estará no palanque de Pretinho e que isso acontecerá no tempo certo. Mas o tempo certo está passando.

Coordenação
Por outro lado, o vereador Marcos Michels (PSB), primo do prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), e que foi preterido pelo governo à sucessão, banca que será candidato à administração diademense. Tanto que aposta no deputado federal Alex Manente (Cidadania), com domicílio eleitoral em São Bernardo, como coordenador da pré-campanha. Alex não será candidato em São Bernardo – estará no palanque do prefeito Orlando Morando (PSDB).

Tentativa de volta
Ex-vereador de Santo André e figura mais conhecida do Psol andreense, Ricardo Alvarez anunciou que tentará novamente uma cadeira na Câmara. “Esta jornada é por democracia, contra o fascismo e o neoliberalismo e por direitos”, declarou Alvarez, que exerceu os mandatos quando estava no PT. Ele fará evento on-line de lançamento de sua pré-campanha.

Estratégia
Vereador em segundo mandato em São Bernardo, Índio (SD) adotou estratégia curiosa no pleito deste ano. Ele tentará a reeleição, mas terá sua filha, Geovanna Karoline, também como postulante a uma das cadeiras no Legislativo. Geovanna está filiada ao Solidariedade, assim como o pai, partido que está no arco de aliados do ex-prefeito Luiz Marinho (PT).

Críticas
Duas lideranças do PT de São Bernardo agiram publicamente para criticar a postura do deputado federal Alex Manente (Cidadania), que divulgou vídeos acusando o petismo de querer barrar a distribuição do cartão merenda – alternativa da Prefeitura de São Bernardo para garantir alimentação a alunos da rede pública, cujas aulas estão suspensas devido à pandemia de Covid-19. O deputado estadual Luiz Fernando Teixeira (PT) fez uma live para rebater Alex. O deputado federal Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT), usou a tribuna da Câmara Federal para questionar o colega. O caso parou na Justiça.

Pedido
Advogada que protocolou pedido de impeachment contra o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), na Câmara, Silmara Silva abriu um abaixo-assinado virtual com o mesmo objetivo: ter adesões para buscar a cassação do mandato do tucano. “O pedido de impeachment se baseia em diversas omissões do prefeito Orlando Morando na defesa dos interesses do município e da população, inclusive transgredindo a lei para esconder gastos que deveriam ser públicos”, argumentou a advogada. O pedido protocolado no Legislativo foi rejeitado pela casa.

Chapa feminina
O grupo do prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (Cidadania), bateu o martelo na chapa que tentará a sucessão na eleição deste ano: a vice-prefeita Marilza de Oliveira (PSD) será a prefeiturável, com Helenice Arruda (PL) como vice. O anúncio formal deve ser feito na próxima semana. A ideia é aproveitar o viés feminino – será a primeira vez que uma dupla de mulheres concorrerá à Prefeitura de Rio Grande – aliando a tradição de ambas na política local com o legado do pai de Helenice, Carlão Arruda, ex-prefeito da cidade. 

Comentários


Veja Também


Voltar