Cena Política

Mauá segue sem discutir pauta virtual


A Câmara de São Bernardo aprovou ontem a possibilidade de realização de sessão on-line. O primeiro teste está marcado para a amanhã, às 10h, e a sessão inaugural acontece na quarta-feira, a partir das 9h, em transmissão pelo YouTube. Com a decisão dos são-bernardenses, cresce a pressão sobre a Câmara de Mauá. O Legislativo mauaense, por ora, não se movimenta para organizar os trabalhos de forma remota e segue fechado, cumprindo determinação da quarentena estadual em meio à pandemia de coronavírus. Não discute sessões virtuais nem redução de salário dos vereadores, de forma temporária, para reforçar os cofres da Prefeitura no combate à Covid-19. Diadema também não instituiu sessões virtuais, mas os parlamentares têm se reunido com mais frequência para discussão de projetos.

BASTIDORES

Briga
Candidato a vereador em 2016 e atualmente funcionário comissionado na Prefeitura de Ribeirão Pires, Leandro Majerele se envolveu em briga ontem na estação da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Vídeo que viralizou nas redes sociais mostra Majerele trocando socos e chutes com pessoas – sem máscaras – em frente ao terminal. Ele argumentou que aliados do vereador Humberto D’Orto, o Amigão (PSB), possível candidato a vice na chapa de Clóvis Volpi (PL), o agrediram por ele trabalhar no combate à Covid-19. Majerele é o mesmo que bateu em Rubão Fernandes (PL), em 2017, quando o vereador era presidente da Câmara.

Emendas
O deputado federal Kim Kataguiri (DEM) protocolou duas emendas para Santo André, sendo uma de R$ 290 mil para a Casa da Esperança e outra de R$ 710 mil para o CHM (Centro Hospitalar Municipal), que virou equipamento de linha de frente de combate ao coronavírus. Os valores já foram empenhados junto ao orçamento da União e o pagamento, solicitado. A intermediação foi feita por Márcio Colombo, integrante do MBL (Movimento Brasil Livre) da cidade e pré-candidato a vereador pelo PSDB.

Mudança na PF
A mudança na direção-geral da PF (Polícia Federal), agora sob gestão de Rolando Alexandre de Souza, trouxe tensão para figuras do Grande ABC que são investigadas pela instituição. Isso porque o antigo diretor era Maurício Valeixo, indicado de Sergio Moro, ex-ministro da Justiça e Segurança Pública e que tem certa proximidade com o governador João Doria (PSDB).

Rodízio
Os deputados estaduais integrantes de grupo que fiscaliza os gastos paulistas nas ações para conter o avanço do coronavírus em São Paulo protocolaram ação popular contra o rodízio aplicado pela prefeitura da Capital, autorizando veículos com placa final par a rodar em dias pares e automóveis com placa final ímpar a circular em dias ímpares. O bloco é formado pelos deputados Sargento Neri (Avante), Coronel Telhada (PP), Márcio Nakashima (PDT), Letícia Aguiar (PSL), Adriana Borgo (Pros), Ed Thomas (PSB) e Coronel Nishikawa (PSL), esse último de São Bernardo.

PT paulistano
No processo de definição do candidato do PT na Capital, o vereador Eduardo Suplicy, o deputado federal Paulo Teixeira e o ex-vereador Nabil Bondouki retiraram as pré-candidaturas e anunciaram apoio ao projeto capitaneado pelo deputado federal e ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha. A discussão é acompanhada de perto pelos pré-prefeituráveis petistas do Grande ABC, que acreditam que uma boa campanha em São Paulo impulsiona suas empreitadas. Presidente paulista do PT, o ex-prefeito Luiz Marinho, que tentará retornar ao poder em São Bernardo, defende o nome do ex-deputado Jilmar Tatto. 

Comentários


Veja Também


Voltar