Cena Política

S.Bernardo prepara para sessões on-line


Os vereadores de São Bernardo participarão de sessão hoje, a partir das 9h, com o objetivo de votar a possibilidade de realização dos trabalhos de forma virtual. Na semana passada, o presidente da casa, Juarez Tudo Azul (PSDB), comandou testes de transmissão das sessões on-line, nos mesmos moldes que estão sendo feitos nas Câmaras de Santo André e de São Caetano. Será necessário mudar o regimento interno do Legislativo de São Bernardo, que veda a realização das ações fora do plenário. “Apesar da pandemia do novo coronavírus, vamos continuar dando andamento aos trabalhos. As sessões serão transmitidas via YouTube. Sei que no começo todos ainda terão alguma dificuldade (com o sistema), mas logo todos (os vereadores) estarão familiarizados”, discorreu o tucano. A preocupação é porque não é pequena a lista de vereadores com mais de 60 anos ou com alguma doença preexistente.

BASTIDORES

À espera
O projeto de lei de autoria dos vereadores Professor Minhoca (PSDB) e Almir Cicote (Avante) aguarda parecer da comissão de Justiça e Redação, composta por Eduardo Leite (PT, presidente do bloco), Zezão Mendes (PDT) e Rodolfo Donetti (Cidadania). Havia expectativa de que o texto, que prevê redução de 30% nos subsídios dos parlamentares durante a pandemia do novo coronavírus, entrasse em votação ontem, mesmo sem ser a propositura com maior número de adesões na casa. A maioria dos parlamentares defende o corte de 10% nos salários de vereadores e servidores.

Avante de Sto.André
Em meio à indefinição sobre o posicionamento do Avante de Santo André na eleição, a direção estadual da legenda vem para a cidade hoje, participar de reunião com a cúpula municipal. O grupo ligado ao empresário Erick Eloi espera que a cúpula paulista referende seu projeto de candidatura à Prefeitura. A ala próxima do vereador Almir Cicote (Avante), por outro lado, aguarda por definição de encaminhamento de apoio ao prefeito Paulo Serra (PSDB) ou para referendar uma pré-candidatura de Cicote ao Paço.

Crítica
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), disparou contra o secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, que havia reclamado sobre não ter sido avisado previamente do endurecimento das regras de rodízio na Capital. À TV Globo, Covas garantiu que informou ao governo do Estado sobre a medida. “Conversei com o governador (João Doria, PSDB) e com o secretário de Governo, Rodrigo Garcia (DEM). Se o secretário (Baldy) não tem prestígio dentro do governo, eu nada posso fazer. O rodízio que implementei não foi pensando na mobilidade urbana. Foi pensando em saúde, em vidas, para conter o novo coronavírus.”

Sem presente
Na semana passada, esta coluna mostrou que o prefeito de Ribeirão Pires, Adler Kiko Teixeira (PSDB), que foi prefeito de Rio Grande da Serra por dois mandatos, ignorou o aniversário do município mais jovem da região. A situação ficou ainda mais constrangedora porque o vice-prefeito de Ribeirão, Gabriel Roncon (PTB), parabenizou, em um tradicional jornal ribeirão-pirense, a cidade vizinha pelos 56 anos de vida.

Tentativa
Segundo suplente do PSC na eleição de 2016 em Ribeirão Pires, Alessandro Dias protocolou documento na mesa diretora da Câmara para tentar assumir a vaga de Gê do Aliança (Podemos), que morreu na sexta-feira. A tendência, porém, é a de que Anderson Benevides (Avante) herde a cadeira, mesmo tendo deixado o PSC e rumado ao Avante.


Na tentativa de popularizar sua imagem, o empresário José Roberto Lourencini, pré-candidato do PSDB à Prefeitura de Mauá, adotou a alcunha ‘Zé Lourencini’ em seu material de pré-campanha. Lourencini é dono de rede de supermercado que leva o nome da família e pela primeira vez concorrerá a um cargo público. 

Comentários


Veja Também


Voltar